11 de outubro de 2014
por Esmael Morais
25 Comentários

Contra a velha política!, Marina anuncia neutralidade! neste domingo

A ex-candidata Marina Silva deverá anunciar neste domingo (12) “neutralidade” no segundo turno desta eleição. Pelo menos é o indica uma “nota de orientação” encaminhada pela executiva nacional da Rede Sustentabilidade aos seus militantes em todo o país. O Blog do Esmael teve acesso ao documento interno que é reproduzido abaixo.

“Em respeito aos que votaram em Aécio acreditando na mudança, aos que não definiram sua posição e aos que não se sentem representados pela polarização que persiste há 20 anos, delegamos a cada militante avaliar em qual dessas alternativas as propostas de mudança qualificada, expressa pela candidatura Marina Silva, estará melhor representada”, diz um trecho da nota.

A Rede sustenta que o resultado do primeiro turno mostra reprovação do eleitorado ao governo de Dilma, mas, ainda segundo o documento, “revelou também que esse desejo de mudança foi tragado para dentro da velha polarização PT x PSDB”.

Leia a íntegra do documento que libera os militantes da Rede:

Rede Sustentabilidade afirma sentimento de mudança e se manterá vigilante e independente em relação ao próximo governo

O resultado do primeiro turno das eleições presidenciais comprovou a existência de um indiscutível desejo de mudança na sociedade brasileira.

Dentro desse anseio, a candidata Marina Silva, da Rede Sustentabilidade e da Coligação Unidos pelo Brasil, obteve honrosos 22% dos votos, mostrando que parcela significativa da sociedade continua apoiando uma mudança qualificada, que tem como centro o desenvolvimento sustentável e a nova política.

Também salta aos olhos a quantidade de votos nulos, brancos e abstenções, quase 30%, que demonstra também uma insatisfação crescente com o modelo político atual e acende o sinal amarelo para a urgência de mudanças estruturais de qualidade, sob pena de aumentar o descrédito nas instituições e na democracia.

O resultado do primeiro turno tornou evidente que a maioria da sociedade não aprova o atual governo e que não quer sua continuidade.Revelou também que esse desejo de mudança foi tragado para dentro da velha polarização PT x PSDB e aprisionado nos limites de uma estrutura política em crise profunda, porque nela os instrumentos de poder !“ sejam eles políticos, midiáticos ou econômicos !“ exercem forte pressão sobre a vontade popular, dificultando a escolha de uma alternativa real de mudança. Mesmo assim, o resultado geral mostra que o medo não derrotou a esperança, apenas adiou para um novo momento essa possibilidade.

Nessa encruzilhada, nenhum dos caminhos aponta para uma saída política de Leia mais

11 de outubro de 2014
por Esmael Morais
34 Comentários

Na campanha pela volta do PSDB, Istoà‰ jura que Aécio “disparou” em pesquisa

A revista Istoà‰ quer ultrapassar a Veja no quesito engajamento político pela volta do PSDB ao governo federal. A saudade da velha mídia pela era FHC não tem limites.

Neste sábado, pesquisa Istoà‰\Sensus afirma que Aécio Neves (PSDB) com 58,8% dos votos válidos e a petista Dilma Rousseff com 41,2%. Uma diferença de 17,6 pontos percentuais.

Segundo a revista pró-Aécio, a candidata do PT despencou depois que o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em delação premiada, denunciou suposto esquema de corrupção na estatal.

Ontem o Blog do Esmael mostrou que há esforço do tucanato, sobretudo o paranaense, para criminalizar o PT e Dilma neste segundo turno (clique aqui). A candidata diz que “vazamentos” de depoimentos de presos são “seletivos” e “eleitoreiros”.

A seguir, leia a íntegra da matéria na Istoà‰:

Aécio dispara e abre 17 pontos de vantagem sobre Dilma, mostra pesquisa Istoé/Sensus

Primeiro levantamento após divulgação de áudios da Petrobrás mostra que escândalo atingiu em cheio campanha da petista
Mário Simas Filho

Primeira pesquisa ISTOà‰\Sensus realizada depois do primeiro turno da sucessão presidencial mostra o candidato Aécio Neves (PSDB) com 58,8% dos votos válidos e a petista Dilma Rousseff com 41,2%. Uma diferença de 17,6 pontos percentuais. O levantamento feito entre a quarta-feira 7 e o sábado 10 é o primeiro a captar parte dos efeitos provocados pelas revelações feitas pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa sobre o detalhamento do esquema de corrupção na estatal. Além do crescimento da candidatura de Aécio Neves, observa-se um forte aumento na rejeição da presidenta Dilma Rousseff!, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Segundo a pesquisa, o índice de eleitores que afirmam não votar em Dilma de forma alguma é de 46,3%. A rejeição de Aécio Neves é de 29,2%. O tamanho da rejeição à  candidatura de Dilma, torna praticamente impossível a reeleição da presidenta!, diz Guedes. A pesquisa também capta, segundo o diretor do Sensus, os apoios políticos que Aécio recebeu durante a semana, entre eles o do PSB, PV e PPS.

As 2000 entrevistas feitas em 24 Estados e 136 municípios mostra que houve uma migração do eleitorado à  candidatura tucana mais rápida do que as manifestações oficiais dos líderes políticos. No levantamento sobre o total dos votos, Aécio soma 52,4%, Dilma 36,7% e os indecisos, brancos e nulos são 11%, tudo com margem de erro de 2,2% e índice de confiança de 95%. Nos votos espontâneos, quando nenhum nome é apresentado ao eleitor, Aécio soma 52,1%, Dilma fica 35,4% e os indecisos são 12,6%. A analise de todos esses dados permite af Leia mais

11 de outubro de 2014
por Esmael Morais
29 Comentários

Dilma declara guerra total a Aécio: “Aeroporto imoral”

do Brasil 247
A presidente Dilma Rousseff, do PT, decidiu adotar um tom mais duro em relação ao adversário Aécio Neves. Hoje, em Contagem (MG), ela bateu duro no caso do aeroporto de Cláudio (MG) e também insinuou que Aécio não pode criticar o aparelhamento da máquina pública, por ter sido nomeado vice-presidente da Caixa Econômica Federal aos 25 anos, no governo de José Sarney.

“Eu não faço mau uso do dinheiro público. Eu jamais desapropriei um pedaço da fazenda de algum familiar meu. Jamais construí um aeroporto nessa fazenda e jamais peguei a chave desse aeroporto e entreguei pra ser gerido por um familiar meu”, disse ela, referindo-se ao caso do aeroporto construído em terras próximas à s de uma fazenda da família Neves. “Não é só uma questão de ser legal ou ilegal, mas não é moral”, afirmou.

Ela também insinuou que Aécio não pode criticar o aparelhamento da máquina pública. “Eu nunca virei vice-presidente da Caixa Econômica aos 25 anos de idade. Todos os cargos que tive foram pelos meus méritos e não por indicação de ninguém”, disse ela. No governo Sarney, Aécio ocupou a diretoria de loterias da Caixa Econômica Federal, nos anos 1980, por indicação do tio Francisco Dornelles.

Leia mais

11 de outubro de 2014
por Esmael Morais
13 Comentários

Derrotada e indecisa, Marina deve deixar PSB até final da eleição

via Brasil 247

Marina Silva faz suspense sobre sua posição no segundo turno das eleições à  Presidência. Seu atual partido, o PSB, já declarou apoio a Aécio Neves, assim como a Rede Sustentabilidade, que tenta criar. Ela, no entanto, parece sem rumo.

Derrotada no 1!° turno, após decolar na campanha embalada pela comoção nacional com a trágica morte de Eduardo Campos, a ex-senadora pode deixar o PSB até o final da eleição.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, a escolha de Carlos Siqueira para a presidência do PSB deve precipitar sua saída e a volta ao projeto da Rede. Não existe espaço para convivência entre os dois.

Assim que assumiu a vaga de Campos na disputa, Siqueira, militante histórico e secretário-geral do PSB, acusou Marina de tratá-lo de modo “grosseiro” e deixou a campanha presidencial.

“Se ela comete uma deselegância no dia em que está sendo anunciada candidata, imagine no resto. Com ela não quero conversa. Não estou e não estarei em hipótese alguma na campanha desta senhora”, disse ele na época.

Leia mais

11 de outubro de 2014
por Esmael Morais
42 Comentários

Coluna do Gomyde: Quando penso no futuro, não esqueço do passado

Ricardo Gomyde*

A sabedoria popular consagrou a verdade de que não se decide pelo futuro sem pensar no passado. Nessa fase final das eleições presidenciais, esse sábio conselho ganha ainda mais importância. Afinal, o Brasil estará simplesmente dizendo se quer o progresso ou o retrocesso. A opção pelo progresso está aí, aos olhos de todos !” como venho apontando aqui neste espaço. Já o retrocesso não é tão visível. Para vermos melhor a sua face precisamos fazer um breve passeio pelo tempo, voltando precisamente ao ano de 1993, quando a proposta de governo do PSDB ganhou sujeito, predicado e objeto direito.

Naquele ano ocorreu a nomeação de Fernando Henrique Cardoso (FHC) para o cargo de ministro da Fazenda. O presidente da República, Itamar Franco, estava sob pressão de setores conservadores que exigiam a aplicação de programa econômico mais radical. A posse de FHC foi saudada até por ninguém menos que o secretário de Estado norte-americano, Warrem Cristopher, que ligou para parabenizar o novo ministro. Ele chegou dizendo que precisava botar a casa em ordem!. Isso não significa intervenção no mercado!, ressaltou. Estava dada a senha.

O novo ministro afirmou que não reduziria os juros, que não alteraria o Programa Nacional de Desestatização !” ele manteve o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como comitê de administração das privatizações até o último dia do seu governo, em 31 de dezembro de 2002 !” e que não incluiria em sua política econômica qualquer item de política social, chamada por ele de populismo!. Dias terríveis aguardavam a nação.

Investida contra o Estado

A arrumação da casa! começou com o chamado Plano Verdade!, que consistia basicamente em arrochar investimentos públicos. Os direitos sociais e trabalhistas eram o principal alvo. A primeira investida de FHC contra os trabalhadores foi a ferrenha oposição à  lei salarial aprovada pelo Congresso Nacional. Para ele, o reajuste mensal era uma esquisitice que serve de âncora para a taxa de inflação!.

Em 1994, FHC seria o principal personagem do país. Já em janeiro, ele ocupou a televisão para pressionar o Congresso Nacional a aprovar seu programa econômico e iniciar sua indisfarçável campanha à  Presidência da República. Logo após lançar o Plano Real!, ele deixou o Ministério da Fazenda para oficializar sua candidatura. O trator neoliberal não poupava ninguém. Nem o presidente da República, Itamar Franco, que ousou opinar sobre algumas medidas anunciadas pela equipe econômica.

A mídia atacou Itamar violentamente quando ele disse que o Congresso Nacional deveria regulamentar o artigo da Constituição que determina o limite de 12% ao ano para a taxa de juros !” antevendo o estrago que a turma de FHC promoveria. O presidente, no entanto, já era quase uma voz isolada no país. Mas logo se veria que sua preocupação tinha razão de ser !” no primeiro dia útil do Real, a taxa de juros, puxada pelo Banco Central (BC), disparou, chegando aos 12%. Até o fim da era FHC!, o país nunca mais viu juros abaixo deste patamar. Um ano depois, já estava em 60%. O passo seguinte seria a investida contra o Estado !” abrangendo a União, os estados e municípios. O estrago que a confraria neoliberal promoveria no país estava apenas começando.

São Francisco de Assis

Com toda essa mobilização conservadora, o neoliberalismo venceu as eleições !” ganhadas por FHC já no primeiro turno. O novo presidente agregou em sua pasta figuras notórias do conservadorismo econômico brasileiro !” classificadas por ele como notáveis! !” e promoveu um festival de arbitrariedades assim que a poeira da posse abaixou.

A pretexto de domar a inflação, uma necessidade que unia o país, ele deu sinal verde para o Banco Central fazer dos juros astronômicos a âncora da estabilidade, promovendo uma verdadeira orgia financeira à s custas no arrocho da produção (gerando desemprego elevadíssimo), dos serviços sociais (saúde, educação e segurança, basicamente) e dos direitos dos trabalhadores. Tudo isso amarrado por um pacote para escorar o Plano Real! e descarregar mais um pouco do peso da crise nas costas do povo.

A Previdência Social, principalmente a aposentadoria, era o primeiro alvo. FHC, dirigindo-se à  oposição, tentou provar que esse era o único caminho para o país. Vamos calar a boca de gente q Leia mais

11 de outubro de 2014
por Esmael Morais
38 Comentários

Vídeo em que humorista Danilo Gentili acusa Aécio usar drogas vira meme! na internet; assista

Ninguém sabe ao certo quando e onde o humorista Danilo Gentili, ex-CQC, atacou o presidenciável Aécio Neves (PSDB) em suas ácidas piadas — até de mau gosto — acusando-o de usar drogas. Mas o vídeo com o “show” na caiu na rede e virou “meme” (conceito que se espalha via Internet).

Para muitos Gentili é considerado um “perfeito idiota”, mas outros o consideram um artista politicamente incorreto.

Não é a primeira vez que o humorista se mete em confusão. Em 2010, ele chamou a apresentadora Hebe Camargo, do SBT, morta há dois anos.

Recentemente, Gentili também deu uma sapecada no global Renato Aragão acerca de uma confusão entre o eterno Didi, de Os Trapalhões, e um manobrista de shopping carioca.

A pergunta que fica é a seguinte: Aécio vai ficar quieto ou reagirá à  acusação?

Assista ao vídeo:

Abaixo, leia a transcrição do vídeo:

Ah! Eu sou contra a violência! O problema da violência é o morro, é o tráfico de drogas!¦! mas só que esses caras sustentam o tráfico de drogas!¦

Porque tem um monte de político que cheira cocaína pra caralho!¦

Uá? Não sou eu que estou falando, está registrado no jornal.

Em um jogo de Brasil e Argentina, no Mineirão, a torcida gritou assim:

O Maradona, vai se fuder, porque o Aécio cheira mais do que você!¦!

Não sou eu que estou falando!¦ está registrado!¦ saiu no jornal.

Eu fiquei sabendo que Neves! não é o sobrenome dele, é o apelido!¦

Sempre é Natal no nariz dele.

Tem ranho que sai pra esquiar!¦ heeeeee!

Falaram que ele se envolveu com política só porque escutou falar que na política é tudo farinha do mesmo saco!: Tô Nessa !!.

Quando cremaram o avô dele, o Tancredo, ele disse: Vou levar pra sempre meu avô aqui (apontando para o coração)!¦ estica ele ai!¦

Essa é a nossa esperança!, hein?

Imagina uma festa do Collor com o Aécio!¦

O Collor fala: Aécio, muito obrigado por ter vindo!¦ agora, tira o nariz do meu cú!

Leia mais