9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
34 Comentários

Requião denuncia chantagem da agência Standard & Poor’s no rebaixamento do Brasil

Requião vê engodo do capital vadio no rebaixamento de nota do Brasil nesta quarta (9); depois de lançamento da Frente Brasil Popular, em Minas Gerais, no último fim de semana, especuladores lutam para manter Joaquim Levy no Ministério Fazenda; senador paranaense estranha que, ao mesmo tempo que velha mídia e PSDB comemoram a “queda”, agência de classificação chinesa Dagong tenha elevado nota dado nota A+ para o Brasil; resumo da ópera: demite o Levy, Dilma.

Requião vê engodo do capital vadio no rebaixamento de nota do Brasil nesta quarta (9); depois de lançamento da Frente Brasil Popular, em Minas Gerais, no último fim de semana, especuladores lutam para manter Joaquim Levy no Ministério Fazenda; senador paranaense estranha que, ao mesmo tempo que velha mídia e PSDB comemoram a “queda”, agência de classificação chinesa Dagong tenha elevado nota dado nota A+ para o Brasil; resumo da ópera: demite o Levy, Dilma.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) é voz lúcida — e o contraponto — nesse deserto de ideias em tempo de conservadorismo e ausência de projeto para o país. Exemplo disso foi a denúncia que ele fez nesta quarta-feira (9), solitariamente, de que o Brasil está sendo vítima de chantagem ao ter nota rebaixada pela agência de risco Standard & Poor’s. ... 

Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
4 Comentários

Saiba por que investigação de máfia do ICMS de SP pode “ricochetear” no governo do Paraná

youssef_mauro_richa

No dia 21 de agosto, o Blog do Esmael cravou que “Yousseff entrega esquema de corrupção na Receita de SP do tempo que Mauro Ricardo era secretário” ao referir-se a uma série de prisões de fiscais e ex-funcionários da Receita daquele estado, desbaratando o que eles chamaram de “máfia do ICMS”. Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
7 Comentários

Em nota oficial, governo Richa jura que não falta comida para a Polícia Civil

richa_pc_criseA Secretaria de Estado da Segurança Pública do Paraná (SESP), em nota, contesta informação publicada pelo Blog do Esmael na última sexta-feira (4) sobre corte de almoço para os investigadores da Polícia Civil (Menos de 24h após anunciar programa de combate à fome, Richa corta almoço de investigadores da Polícia Civil).

“O modelo referido vigia quando os alunos ao realizarem o Curso de Formação não estavam nomeados e nada recebiam”, justifica o governo Beto Richa (PSDB).

O diabo é que o comunicado oficial do dia 3 de setembro último, publicado no site da Escola Superior da Polícia Civil (ESPC), dizia exatamente como registrou o Blog do Esmael, que, além da alimentação, os investigadores devem arcar com os materiais para o curso, que são o uniforme composto por calça preta (tática ou sarja), camiseta branca, calçado preto, calção preto, legging preta e jaqueta ou blusa preta; além de cinto, coldre universal, porta carregador, óculos de proteção, protetor auricular e colete balístico.

Na propaganda milionária de Beto Richa, bancada pelos recursos cortados da merenda escolar e da educação como um todo, “o melhor está por vir” já chegou para a velha mídia — que vendeu sua consciência crítica e a capacidade de discutir um projeto para o Paraná.

Entretanto, o Blog do Esmael é democrático e amante do contraditório. Por isso mesmo, abaixo, publica a íntegra da posição do governo tucano acerca da “crise da marmita” na Polícia Civil. Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
17 Comentários

Beto Richa, o “Carniceiro do Centro Cívico”, fecha mais turmas na educação básica do Paraná

fechamento ... 

Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
22 Comentários

Mais ricos podem ser taxados em até 35% no Imposto de Renda

do Bloomberg, via Brasil 247

Levy_IRO governo da presidente Dilma Rousseff está estudando um aumento de imposto sobre os detentores dos maiores salários do Brasil entre as diversas opções para elevar as receitas e reduzir o déficit cada vez maior do orçamento, segundo um funcionário de sua equipe econômica que participa das discussões.

Segundo a proposta, o governo criaria uma nova alíquota fiscal com uma taxa de 32 a 35 por cento para aqueles que possuem os salários mais elevados, disse o funcionário, que pediu anonimato porque as discussões não são públicas. A taxa tributária do salário mais elevado é, atualmente, de 27,5 por cento para aqueles que recebem mais de R$ 4.665 (US$ 1.222) por mês. Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
12 Comentários

Governo Richa tira R$ 17 milhões da merenda das crianças para garantir farra com propaganda

Que o governador Beto Richa (PSDB) é desalmado e não tem coração isto todos nós já sabemos, mas ele extrapolou outra vez o limite da irresponsabilidade ao mandar cortar recursos para a compra direta de alimentos produzidos pela agricultura familiar no estado, prejudicando os pequenos agricultores e as crianças que consomem a merenda diariamente.

O Blog do Esmael já noticiou diversas vezes a falta de merenda nas escolas públicas e agora, com o malvado corte, o problema tende se agravar ainda mais.

A própria Secretaria de Estado da Educação (SEED) confirmou a redução dos recursos e de itens alimentícios a serem adquiridos durante 2016. Neste ano, estão sendo adquiridos cerca de R$ 47 milhões em produtos da agricultura familiar, para o ano que vem, a previsão é de R$ 30 milhões. Foram retirados da lista de aquisições os grupos de carnes, bebidas láctea, ovos, macarrão, molho de tomate, leite, dentre outros.

Segundo um assessor direto do governador, que não quis se identificar por motivos óbvios, a maior parte desses recursos economizados serão destinados para a propaganda oficial. O objetivo de Beto Richa seria limpar a barra com os caciques do PSDB, por isso, segundo a fonte, a farra publicitária em sites, rádios, jornais, TVs locais e nacionais.

O problema do corte de recursos para a merenda escolar foi discutido na última quarta-feira (2), em Audiência Pública, com o tema “Agricultura familiar na alimentação escolar” na Assembleia Legislativa do Paraná. A audiência foi iniciativa do deputado Chico Brasileiro (PSD) e nela foi debatida a situação das vendas diretas por pequenos produtores para a merenda.

Como resultado da audiência, foi redigido e aprovado um manifesto assinado por dezenas de cooperativas de pequenos produtores para evitar um colapso na produção da agricultura familiar paranaense em 2016 em função da previsão de redução das vendas diretas para a alimentação escolar.

O “Manifesto pela continuidade da agricultura familiar” pede que o governo do estado contemple em seu orçamento para 2016 a contrapartida e a complementação dos recursos que, nos últimos anos, vêm sendo assegurados integralmente pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). De acordo com os participantes da audiência, se isso não ocorrer, além do prejuízo aos agricultores, faltará alimentos para os estudantes paranaenses.

Ou seja, se depender do governador Beto Richa  e sua equipe, tanto a agricultura familiar como os estudantes que se alimentam da merenda, que se danem. O que importa é cortar gastos e pendurar a parte “social” em programas bancados pela União. O dinheiro do tesouro estadual seria destinado integralmente para a publicidade oficial.

Na prática, o governador Beto Richa e o tucanato nativo acreditam que as crianças se alimentam de propaganda!

O que a Assembleia tem a dizer sobre mais esse crime hediondo contra a infância e a juventude?

Participaram da audiência na semana passada, além de Chico Brasileiro, os deputados Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), líder do governo, Anybelli Neto (PMDB), Márcio Pacheco (PPL), Professor Lemos (PT), Nelson Luersen (PDT), Rasca Rodrigues (PV) e Claudio Palozi (PSC). Participaram como convidados o diretor da Itaipu Nelton Friederich e o presidente do Conselho Estadual de Alimentação Escolar, George Barbosa. Foram palestrantes o procurador de Justiça do Paraná, Olympio de Sá Sotto Maior Neto, a diretora da Secretaria de Educação, Marcia Stolarski, o delegado substituto no Paraná do Ministério do Desenvolvimento Agrário, José Leitão, o presidente da União das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes), Ivori Fernandes.

Com informações do deputado Chico Brasileiro

Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
18 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: Beto Richa causa até separação de casais ao não convocar novos PMs

Download

Reinaldo de Almeida César*

Na semana que passou, o governo mandou rufar tambores e acionou as trombetas para anunciar que novos tempos chegaram, as finanças estão no azul e a terra prometida chegou.

Deve ser mesmo verdade, a se considerar o afofado colchão que o baronato da mídia começa a oferecer ao governo.

Outro indicador seguro de que novos tempos chegaram, com as burras cheias no tesouro estadual, é que acólitos do governo, antes tímidos e acanhados, agora abandonaram as sandálias da humildade e voltaram a circular pela corte com narizes elevados e ares de soberba.

Como paranaense, torço que isso tudo seja verdade, que o Paraná tenha mesmo recuperado sua capacidade de gestão fiscal e que os investimentos que há tantos esperamos, estejam presentes em cada alvorecer.

***

Agora que as finanças encontraram – segundo o governo – o pleno equilíbrio, havendo adequação entre gráfico e físico nos recursos financeiros, o governo pode e deve implementar, a todo vapor, na área da segurança pública, as linhas fundamentais de investimentos do Programa Paraná Seguro.

Um bom começo, seria convocar os quase 3.000 candidatos aprovados no concurso da PM, que desde 2012 vivem a angústia da expectativa de serem, enfim, chamados para a nomeação.

A jornalista Giselle Ulbrich, mostrou, em reportagem lúcida e muito informativa, no Paraná On Line, que esta injustificável demora no chamamento já acarretou separação de casais e perda de emprego. De um lado, dramas pessoais e familiares. De outro, a PM tenta fazer milagre com o baixo efetivo que dispõe e a população aflita, sente a falta de policiamento.

Com fôlego de investimentos renovado, é preciso urgência nos concursos e contratações de 400 delegados para a Polícia Civil e a plena modernização institucional e material das áreas de perícia criminal e medicina legal. Tudo isso, sob a chancela do programa de governo na área de segurança pública, o Paraná Seguro.

Anunciando o governo que agora está tudo bem, que há recursos disponíveis, quem sabe alguém pode, então, resgatar o projeto das Delegacias Cidadãs, ação importante do programa Paraná Seguro e que, até hoje, ninguém sabe, ninguém viu.

Uma vez recomposta a área contábil do Estado, como se propaga na notícia oficial, nada impede que sejam agora retomadas as negociações sobre subsídios e salários da área da segurança pública, assim como restou acordado, em 2011, quando se estabeleceram as novas tabelas remuneratórias para o setor. Naquela ocasião, posso testemunhar, houve compromisso de que melhoradas as finanças, as tabelas de subsídios seriam rediscutidas. Parece ser o caso, hoje, com novo quadro de céu de brigadeiro nos cofres do Estado, tal como anunciado pelo governo.

Neste quinto ano de gestão, o governo comprou menos de 1/3 das viaturas previstas no programa Paraná Seguro e, deixando-as sem manutenção, não preciso nem dizer como estas viaturas hoje se encontram. Nenhuma providência, nem a oficina, nem a divina, dão mais conta destas viaturas.

Assim, tendo recursos agora, o deve governo impr Leia mais

9 de setembro de 2015
por Esmael Morais
25 Comentários

Coluna do Alvaro Dias: A realidade fantasiosa do governo em relação ao desemprego

Download

Alvaro Dias*

O desemprego é o drama maior dos trabalhadores brasileiros nesta hora de crise econômica, política e ética por que passa o País, mas os números oficiais apresentados pelo IBGE revelam que o problema das demissões é ainda pior do que o alardeado. Isto porque os critérios usados pelo governo federal para calcular o índice de desemprego no Brasil são tendenciosos e mascaram a realidade vivida no mercado de trabalho.

Uma análise minuciosa sobre os números do desemprego apresentados pelo IBGE mostra grande distorção em relação à realidade do emprego no Brasil. A metodologia aplicada classifica como pessoas ocupadas ou empregadas aquelas que, na semana de referência, trabalharam pelo menos uma hora. Desta forma, um cidadão que vende balas na rua durante uma hora é considerado empregado, assim como alguém que ajudou a descarregar um caminhão, em um determinado dia da semana, ou que fez um bico como motorista.

Já como pessoas desocupadas ou desempregadas, o IBGE considera aquelas que não têm trabalho, mas que tomaram alguma providência efetiva para consegui-lo no período referência de 30 dias e que estavam disponíveis para assumi-lo na semana de avaliação.

Com seus critérios, o IBGE deposita em uma categoria absolutamente estranha e cinzenta, denominada “pessoas fora da força de trabalho”, um exército de 63 milhões de pessoas aptas ao trabalho, de acordo com os últimos dados. Nessa categoria residual estão as pessoas que não estavam ocupadas nem desocupadas na semana de avaliação.

Efetivamente, o número de desempregados oficialmente reconhecido pelo governo federal não inspira confiança. Os critérios estabelecidos para considerar uma pessoa como ocupada, desocupada e fora da força de trabalho são escorregadios e não oferecem a consistência necessária à definição de índice tão relevante para a sociedade.

Portanto, esses índices não espelham a nossa realidade. É geração de falsa expectativa, é mistificação para escamotear a realidade dramática vivida por milhões de brasileiros desempregados em nosso País. A população brasileira não pode mais conviver com fantasias e mentiras do PT.

*Alvaro Dias é senador pelo PSDB e líder da Oposição no Senado Federal. Ele escreve nas quartas-feiras para o Blog do Esmael sobre “Ética na Política”.

Leia mais