5 de Abril de 2013
por esmael
18 Comentários

Disputa pela prefeitura Joaquim Távora se transforma em prévia para o governo do Paraná

Requião e Arruda fizeram carreata nesta sexta em Joaquim Távora, Norte Pioneiro, terra natal do pai do governador.

Requião e Arruda fizeram carreata nesta sexta em Joaquim Távora, Norte Pioneiro, terra natal do pai do governador.

Cerca de 8 mil eleitores de Joaquim Távora voltarão vão à s urnas neste domingo, dia 7 de abril. A nova eleição vai ocorrer porque o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou o prefeito eleito em outubro de 2012, Wiliam Walter Ovçar (PSC), mais conhecido como Vatão, e o vice, Valdir Azarias (DEM). Leia mais

5 de Abril de 2013
por esmael
19 Comentários

Ouça Lula: “Não pode haver monopólio nas comunicações”

do Brasil 247

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva destacou na noite desta quinta-feira, durante debate no prédio do Mercosul, em Montedivéu, o monopólio dos meios de comunicação como um dos principais desafios dos governos latino-americanos. Durante o seminário Transformações em risco? Perspectivas e tensões do progressismo na América Latina!, de que também participaram presidente do Uruguai, José Pepe Mujica e o secretário-geral da Confederação Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras das Américas (CSA), Victor Báez, Lula destacou que “não pode haver um monopólio dos meios de comunicação”.

Segundo o ex-presidente brasileiro, “esse é um tema extremamente delicado e que tem que ser debatido em vários países”. “Outro dia eu vi o [presidente Barack] Obama se queixando dos meios de comunição nos Estados Unidos. Se você vai na Alemanha, você ouve a Angela Merkel se queixar de alguns setores da imprensa”, comentou. “No Brasil, nós temos nove famílias que determinam praticamente todo o poderio dos meios de comunicação”, destacou Lula, acrescentando que “não é fácil mudar” esse cenário.

“Fizemos uma grande conferência, no Brasil, de que participaram milhares de pessoas e aprovamos um programa que agora está sendo discutido no Ministério das Comunicações para ver como se encaminha o debate para a sociedade avançar”, lembrou Lula. “Porque nós queremos avançar, não queremos polemizar. O que nós queremos é provar que uma legislação que tem uma regulação feita em 1962 não vale para 2013. Não vale porque a gente não tinha um terço das coisas que nós temos hoje”, explicou.

Ouça trecho do discurso do ex-presidente:

Leia o registro do Instituto Lula sobre o debate, que tratou sobre as ameaças de retrocesso no continente:

Instituto Lula – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do Uruguai, José Pepe Mujica e o secretário-geral da Confederação Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras das Américas (CSA), Victor Báez, participaram na noite desta quinta-feira (4), no prédio do Mercosul em Montevidéu, de um debate sobre os avanços e novos desafios dos governos progressistas e do movimento sindical latino americano.

No evento, promovido pela Fundação Friedrich Ebert durante o Congresso da CSA, Lula declarou que os governos progressistas apenas começaram, na última década, a corrigir os erros feitos durante 500 anos na região “e não há hipótese de retrocesso” afirmou o ex-presidente confiando que a população que conquistou ascensões sociais irá demandar novos avanços. Lula defendeu a importância de se seguir elegendo governantes progressistas, comprometidos com os trabalhadores e os setores mais pobres da população para o continente seguir avançando.

Na plateia do evento, sindicalistas de 17 países, a secretaria-executiva da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), Alicia Barcena, especialistas e políticos da região.

No debate, Lula mencionou as atividades do Instituto Lula para o desenvolvimento de uma doutrina que estimule avanços no processo de integração latino-americana, com reuniões em São Paulo com movimentos sociais e intelectuais da região. Mujica reforçou a necessidade do Mercosul e América Latina avançarem na integração além das trocas comerciais. “A integração é mercado e muito mais. E tem que ser construída. O mercado não vai integrar nada.”

Um tema levantado foi a importância da democratização da comunicação para um amadurecimento do debate político na região. “Se a liberdade de imprensa tem que passar pelo estreito o

5 de Abril de 2013
por esmael
87 Comentários

Richa manda o software livre das escolas públicas para as cucuias

Tucanos Beto Richa e seu vice Flávio Arns, secretário da Deseducação, aos poucos, vão destruindo a educação e o conceito de Estado para a maioria dos paranaenses. Haverá reação ou não?

Tucanos Beto Richa e seu vice Flávio Arns, secretário da Deseducação, aos poucos, vão destruindo a educação e o conceito de Estado para a maioria dos paranaenses. Haverá reação ou não?

O colunista Felipe Patury, da revista à‰poca, informa que o governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, dá mais um importante passo rumo ao desmonte da estrutura do Estado. Agora é na área da TI (Tecnologia da Informação). Leia mais

5 de Abril de 2013
por esmael
6 Comentários

Deputado propõe instalação de “pedagiômetro” no Paraná; ouça a proposta

via BandNews FM Curitiba

Deputado Tercílio Turini (PPS) quer contar, em tempo real, a quantidade de carros que passam pelas praças de pedágio no Paraná.

Deputado Tercílio Turini (PPS) quer contar, em tempo real, a quantidade de carros que passam pelas praças de pedágio no Paraná.

As praças de pedágio do Paraná poderão ter um pedagiômetro!. Um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa do Paraná prevê que o governo do estado instale painéis eletrônicos nas praças, com a contagem em tempo real de quanto a concessionária já arrecadou e com o número atualizado de quantos carros passaram pelo local. Pela proposta, o equipamento deve ser colocado em um espaço visível e de fácil acesso aos usuários. Leia mais

5 de Abril de 2013
por esmael
4 Comentários

Indústria do Paraná tem segundo pior desempenho do País em 2013

por Antonio Senkovski, com agências, via Gazeta do Povo

A produção industrial do Paraná recuou 2,2% em fevereiro deste ano, em relação a janeiro, e tem, no acumulado do ano, o segundo pior desempenho do País entre os 14 locais que integram a Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os resultados de fevereiro foram divulgados nesta sexta-feira (5).

No acumulado do primeiro bimestre de 2013, a indústria do Paraná tem decréscimo de 4,7%. O estado fica à  frente apenas do Espírito Santos, que tem queda acumulada de 10,7%.

Nos últimos 12 meses, a indústria paranaense recuou 6% e ficou com o terceiro pior desempenho entre os locais pesquisados. Espírito Santo (-7,6%) e Amazonas (-6,9%) foram os locais com o pior desempenho nessa comparação.

Em fevereiro, houve queda em 11 dos 14 locais pesquisados. A média nacional indica queda de de 2,5% na produção fabril.

Resultado de fevereiro

Na comparação com fevereiro de 2012, o Paraná teve, em fevereiro deste ano, recuo de 5,5%, o quinto pior índice. No total, sete dos 14 setores pesquisados registraram queda em fevereiro, com destaque para o desempenho do setor de edição, impressão e reprodução de gravações (-54,1%).

A queda brusca da divisão pode ser explicada não apenas pela menor produção de livros, brochuras e impressos didáticos, mas também pela alta base de comparação, já que, em fevereiro de 2012, a atividade havia registrado crescimento de 126,2%.

Outros setores com quedas acentuadas foram o de veículos automotores (-10,3%) e refino de petróleo e produção de álcool (-9,4%). A produção de celulose, papel e produtos de papel (-7,7%) também foi afetada com força.

Na outra ponta, entre os produtos com maior alta no Paraná, ficaram máquinas e equipamentos (16,1%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (52,4%) e alimentos (5,4%). O IBGE relata que esses ramos foram impulsionados, principalmente, pela maior produção de máquinas para fabricar pasta de celulose e eletroportáteis domésticos, cabos de fibras ópticas e café solúvel, além de óleo de soja r

5 de Abril de 2013
por esmael
11 Comentários

Assista ao vídeo e opine: Boris Casoy teria alguma chance com a “velha” Cristina Kirchner?

O âncora da TV Bandeirantes, Boris Casoy, conhecido pelo seu utraconvervadorismo de direita, ao comentar o vazamento de áudio numa entrevista do presidente do Uruguai, José Mujica, segundo qual “a velha (Cristina Kirchner) é pior que o vesgo (Néstor Kircher)”, soltou essa: “Convenhamos, é uma velhinha bem enxuta ainda…”. Leia mais

5 de Abril de 2013
por esmael
11 Comentários

Assembleia rejeita Obama das Araucárias no comando dos cemitérios de Curitiba

Os mortos (e os vivos também) decidiram em assembleia rejeitar o Obama das Araucárias para administrar os cemitérios da capital.

Os mortos (e os vivos também) decidiram em assembleia rejeitar o Obama das Araucárias para administrar os cemitérios da capital.

Em 16 de janeiro último, este blog registrou que o sindicalista Messias da Silva, conhecido como Obama das Araucárias, estava praticamente certo para assumir o cargo de Serviços Especiais! !“ que administra os 22 cemitérios da capital paranaense. Leia mais

5 de Abril de 2013
por esmael
Comentários desativados em Líder do grupo Avós da Praça de Maio morre afogada em enchente em Buenos Aires

Líder do grupo Avós da Praça de Maio morre afogada em enchente em Buenos Aires

da Agência Brasil

Lucila Ahumada de Inama, uma das líderes do movimento Avós da Praça de Maio – um dos mais ativos da Argentina em defesa dos direitos das vítimas da ditadura -, foi encontrada morta ontem (4) em Buenos Aires. Lucila morreu afogada durante as enchentes que atingem o país desde o último dia 1!º.

Lucila morreu afogada depois que a área onde estava foi alagada. A água atingiu 1,7 metro. Em nota, o movimento lamentou a morte e prestou solidariedade á família da líder, ás demais vítimas e seus parentes. Expressamos o nosso pesar pelo desastre e a nossa solidariedade com as vítimas e suas famílias!, diz o comunicado.

As Avós da Plaza de Mayo querem transmitir a profunda tristeza que sentem pelas terríveis conseqà¼ências da tempestade, que atingiu as cidades de La Plata, Buenos Aires e a maioria dos subúrbios!.

A líder do movimento morreu sem encontrar o filho, a nora e o neto desaparecidos durante a ditadura militar da Argentina. O filho de Lucila, Daniel, e a mulher dele, Naomi, foram seqà¼estrados em 2 de novembro de 1977 e levados para um centro clandestino de reclusão usado no período da ditadura. A jovem estava grávida e deu á luz. Lucila passou os últimos anos em busca dos três.

Pelos últimos dados do governo argentino, aumentou para 49 o número de mortes em decorrência do temporal que atingiu, na noite do dia 2, a região de La Plata. A Defesa Civil continua as buscas a 20 desaparecidos. Em todo o país, foram registradas 57 mortes.

5 de Abril de 2013
por esmael
48 Comentários

Tucanos querem retirar novos direitos de domésticas; pode isso?

da Rede Brasil Atual
A bancada do PSDB no Câmara, alegando ameaça de demissões em massa para empregados domésticos por conta da regulamentação da profissão, apresentou nesta quinta-feira (4) projeto que retira direitos estabelecidos pela chamada PEC das Domésticas. A Proposta de Emenda à  Constituição foi aprovada em março no Senado e promulgada esta semana no Congresso.

Os deputados tucanos propõem que os patrões sejam isentos de pagar a multa de 40% sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) em caso de demissão sem justa causa. A multa é um direito conquistado por trabalhadores da iniciativa privada com registro em carteira.

A bancada também quer diminuir o percentual de recolhimento da alíquota do INSS, de 20% !“ 12% recolhidos pelos patrões e 8% pelos trabalhadores !“ para 8% !“ sendo 5% dos patrões e 3% dos trabalhadores.

Segundo publicou hoje a Folha de S.Paulo, o líder da bancada do PSDB, Carlos Sampaio (SP), afirmou que a proposta tem por objetivo simplificar e reduzir a cobrança de encargos. A PEC veio para garantir direitos, não para promover demissões em massa!, disse.

De acordo com o jornal, a justificativa do deputado para retirar dos trabalhadores domésticos a multa em caso de demissão sem justa causa é que os empregadores de trabalho doméstico não são empresas, não visam lucros, e merecem um tratamento diferenciado em relação ao recolhimento de encargos.

A proposta do PSDB é que seja criada a figura do microempregador doméstico para pessoas ou empresas que contratem trabalhadores domésticos, sem fins lucrativos, para viabilizar o regime diferenciado no recolhimento dos direitos trabalhistas.

A bancada tucana também propõe a criação de um sistema simplificado para a cobrança destes encargos sobre o trabalho doméstico por meio da unificação do documento de arrecadação do INSS e do FGTS para os trabalhadores domésticos.

O partido sugere ainda a autorização para contratar trabalhador por regime temporário em caso de afastamento por acidente de trabalho ou licença-maternidade dos trabalhadores domésticos e que sejam considerados motivos para demissão sem justa causa a morte ou invalidez do empregador ou seu cônjuge e motivos econômicos que comprometam a renda familiar um período superior a três meses.

A PEC das domésticas foi promulgada nesta semana, mas o recolhimento do FGTS ainda precisa de regulamentação.