do Brasil 247

Deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) defendeu o presidenciável tucano, Aécio Neves, depois que a Agência Nacional de Aviação Civil anunciou que irá investigar pousos e decolagens do aeroporto do município de Claudio (MG), obra feita quando Aécio era governador de Minas em uma propriedade que pertenceu ao seu tio; em nota, Sampaio acusou o PT de usar a máquina pública para perseguir adversários; "Estamos representando contra a ANAC e contra a presidente Dilma para que este ato seja punido de forma rigorosa", garantiu; Sampaio disse também que o processo de homologação do aeroporto junto à ANAC vem ocorrendo de forma "legal e transparente"; agência afirma que pousos e decolagens são irregulares.

Deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) defendeu o presidenciável tucano, Aécio Neves, depois que a Agência Nacional de Aviação Civil anunciou que irá investigar pousos e decolagens do aeroporto do município de Claudio (MG), obra feita quando Aécio era governador de Minas em uma propriedade que pertenceu ao seu tio; em nota, Sampaio acusou o PT de usar a máquina pública para perseguir adversários; “Estamos representando contra a ANAC e contra a presidente Dilma para que este ato seja punido de forma rigorosa”, garantiu; Sampaio disse também que o processo de homologação do aeroporto junto à ANAC vem ocorrendo de forma “legal e transparente”; agência afirma que pousos e decolagens são irregulares.

Em nota enviada à imprensa na noite desta segunda-feira, 21, o coordenador jurídico do PSDB Nacional, Carlos Sampaio, classificou como perseguição política contra o candidato tucano a presidente, Aécio Neves, o fato da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) investigar o aeroporto construído em uma propriedade que pertencia ao tio de Aécio, no município de Cláudio. A obra foi feita durante o segundo governo de Aécio Neves em Minas e consumiu R$ 14 milhões em recursos públicos (leia mais).

“Não é de hoje que o PSDB tem denunciado o uso da máquina pública federal em favor da candidatura da Presidente Dilma Rousseff, inclusive com decisão do TSE já reconhecendo essa prática e aplicando multa a entidade pública. Desta vez, o abuso em favor do PT é da ANAC, praticando conduta vedada pela legislação eleitoral”, diz a nota. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Nesta semana, segundo o milionário mercado das pesquisas eleitorais e o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), saem mais duas sondagens: uma restrita a Curitiba e outra de âmbito estadual – a primeira depois dos registros das candidaturas ao governo do Paraná; institutos Visão e Veritá gastarão de seus próprios bolsos as quantias de R$ 20 mil e R$ 93 mil, respectivamente, para matar a curiosidade sobre a intenção de votos ao Palácio Iguaçu; PSDB também colocará em campo o Ibope, para consumo interno, visando medir o humor do eleitorado paranaense; Requião repete bordão de 2002: “Se eu quero comprar peixe, eu vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao Ibope”.

Nesta semana, segundo o milionário mercado das pesquisas eleitorais e o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), saem mais duas sondagens: uma restrita a Curitiba e outra de âmbito estadual – a primeira depois dos registros das candidaturas ao governo do Paraná; institutos Visão e Veritá gastarão de seus próprios bolsos as quantias de R$ 20 mil e R$ 93 mil, respectivamente, para matar a curiosidade sobre a intenção de votos ao Palácio Iguaçu; PSDB também colocará em campo o Ibope, para consumo interno, visando medir o humor do eleitorado paranaense; Requião repete bordão de 2002: “Se eu quero comprar peixe, eu vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao Ibope”.

Se antes havia ausência de pesquisas eleitorais, deixando a disputa pelo governo do estado no escuro, de repente elas começaram a surgir e, concomitantemente, iniciando uma guerra de números entre as campanhas. Nesta segunda-feira (21), por exemplo, a desconhecida Vox Data divulgou números sobre a disputa restrita ao município de Cascavel. A contratante foi a CBN Cascavel.

Nesta semana, segundo o milionário mercado das pesquisas eleitorais e o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), saem mais duas sondagens: uma restrita a Curitiba e outra de âmbito estadual – a primeira depois dos registros das candidaturas.

O levantamento da intenção de votos na capital está sendo realizado pelo Instituto Visão, de hoje até dia quinta, quando o resultado dos 1.067 questionários deverá ser apresentado ao público. O curioso é que o contratante da pesquisa é próprio Instituto Visão ao custo de R$ 20 mil.

Outro instituto que está gastando os próprios recursos para entrevistar eleitores, agora em todo o Paraná, é o Veritá, de Uberlândia (MG). Pela bagatela de R$ 93 mil coletará 2.302 opiniões de eleitores acerca da corrida ao Palácio Iguaçu.

Por falar em Palácio Iguaçu, quem também deverá sair a campo nos próximos dias é o Ibope — ou iBeto, como ficou conhecida empresa no Paraná — que sondará para consumo interno o humor do eleitorado paranaense a soldo do PSDB. O polêmico instituto é o mesmo que foi contratado pelo governo do estado, via Celepar, ao custo de R$ 2,3 milhões em março de 2013 (clique aqui).

No meio dessa verdadeiro tiroteio de números, o senador Roberto Requião (PMDB) foi o primeiro a disparar contra “fraude” na pesquisa de Cascavel. Aliás, é dele a célebre frase produzida em 2002, quando sondagens o deixavam fora do segundo turno: “Se eu quero comprar peixe, eu vou à peixaria; se eu quero comprar pesquisa, eu vou ao Ibope”, sentenciou na época.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

O senador Roberto Requião (PMDB), candidato ao governo do Paraná, pelo Twitter, denunciou nesta segunda-feira (21) o que seria “fraude” nas pesquisas eleitorais. Ele se referia aos números elásticos da Vox Data, divulgada pela CBN Cascavel, sobre intenção de votos naquele município do Oeste.

Agora uma perguntinha ao nobre leitor: será mesmo que existe fraude em pesquisa eleitoral ou o candidato peemedebista está vendo chifre em cabeça de cavalo? Dê a sua opinião.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Levantamento feito no estado mostra que a presidente Dilma Rousseff seria reeleita no primeiro turno; 53% dos entrevistados aprovam o atual governo e 36% dizem que ele é ótimo ou bom; entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções.

Levantamento feito no estado mostra que a presidente Dilma Rousseff seria reeleita no primeiro turno; 53% dos entrevistados aprovam o atual governo e 36% dizem que ele é ótimo ou bom; entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções.

Pesquisa Ibope divulgada na manhã desta segunda-feira (21) mostrou o cenário para as eleições presidenciais no Rio Grande do Sul. No estado, Dilma Rousseff (PT) apresenta uma boa vantagem sobre seus adversários, com 41% das intenções de voto, contra 23% de Aécio Neves (PSDB) e 6% de Eduardo Campos (PSB). Neste cenário, Dilma seria reeleita no primeiro turno.

Entre outros candidatos, a soma atinge 36%, sendo que a candidata do PSOL, Luciana Genro, tem 4% das intenções. Enquanto isso, 9% dos eleitores disseram que vão votar nulo ou em branco e 13% declararam não saber em quem votar. Na pesquisa, a margem de erro é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
A judicialização já é uma das marcas da disputa pelo governo do Paraná, mas não há saída quando candidatos desconhecem limites. Beto Richa que concorre a mais um mandato de governador, e sua vice Cida Borghetti, foram condenado novamente, desta vez por usar o Twitter do Governo do Estado para autopromoção. A multa é de 15 mil UFIRs. A página já foi retirada do ar.

A judicialização já é uma das marcas da disputa pelo governo do Paraná, mas não há saída quando candidatos desconhecem limites. Beto Richa que concorre a mais um mandato de governador, e sua vice Cida Borghetti, foram condenado novamente, desta vez por usar o Twitter do Governo do Estado para autopromoção. A multa é de 15 mil UFIRs. A página já foi retirada do ar.

O candidato à reeleição, governador Beto Richa (PSDB) e sua vice, Cida Borghetti (Pros), foram condenados ao pagamento de multa no valor de 15 mil UFIRs (pouco mais de R$ 15 mil) por terem utilizado o Twitter oficial do governo do Paraná para autopromoção. Semana passada, Richa já havia sofrido duas condenações, uma por publicação de fotos suas nos site da Copel e Sanepar, e outra por campanha antecipada.

Além da condenação, a Justiça Eleitoral determinou a imediata suspensão da prática, sob pena de aplicação de multa diária de R$ 100 mil. A decisão do Juiz Lourival Pedro Chemim atende a pedido da coligação Paraná Olhando Pra Frente, que tem Gleisi Hoffmann (PT) como candidata à governadora. A página do Twitter em questão já saiu do ar.  (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Margem de erro gigante em pesquisa da Vox Data, de 4,38%, mostra quadro eleitoral embolado em Cascavel; segundo o “elástico” instituto, Richa estaria no intervalo 46,38%, 42,5% e 38,12%; Requião estaria entre 29,38%, 25,2% e 20,82%; Gleisi teria entre 20,88%, 16,5% e 12,12%.

Margem de erro gigante em pesquisa da Vox Data, de 4,38%, mostra quadro eleitoral embolado em Cascavel; segundo o “elástico” instituto, Richa estaria no intervalo 46,38%, 42,5% e 38,12%; Requião estaria entre 29,38%, 25,2% e 20,82%; Gleisi teria entre 20,88%, 16,5% e 12,12%.

“Para um intervalo de confiança de 95% e um tamanho de amostra de 500 entrevistas, a margem de erro máxima estimada foi de 4,38 pontos percentuais, para mais ou para menos”. É o que explica o registro da desconhecida Vox Data, cuja sondagem foi divulgada nesta segunda-feira (21) pela Rádio CBN Cascavel. O levantamento foi realizado somente no município da região Oeste entre os dias 15 e 19 de julho.

Segundo o instituto, o governador Beto Richa (PSDB) teria 42,5%, mas, pela margem de erro poderia ter entre 38,12% e 46,38%; o senador Roberto Requião (PMDB) estaria com 25,2%, mas também poderia ter entre 29%,38% e 20,82%.

Ainda de acordo com Vox Data, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) teria 16,5% de intenções de voto ou, dentro da margem de erro, entre 20,88% e 12,12%.

Como se vê, a elasticidade é uma característica desta pesquisa Vox Data.

Veja como se sairiam os candidatos do “segundo pelotão” em Cascavel, caso as eleições fossem hoje: Bernardo Pilotto (PSOL) teria 2%, Geonísio Marinho (PRTB) 0,4%, Ogier Buchi (PRP) faria 0,7%, Rodrigo Tomazini (PSTU) atingiria 0,4%, Túlio Bandeira (PTC) alcançaria 0,2% e 12,1% não votariam em ninguém ou não saberiam em quem votar.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Lançamento das candidaturas do PSTU no Paraná, terá a presença de Zé Maria, candidato a presidente, de Rodrigo Tomazini, governador, e demais candidatos. Evento será nesta terça-feira (22) no salão nobre da APP Sindicato, no edifício Asa, Centro de Curitiba.

Lançamento das candidaturas do PSTU no Paraná, terá a presença de Zé Maria, candidato a presidente, de Rodrigo Tomazini, governador, e demais candidatos. Evento será nesta terça-feira (22) no salão nobre da APP Sindicato, no edifício Asa, Centro de Curitiba.

Na próxima terça-feira, dia 22/07, o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) fará o lançamento de seus candidatos às Eleições 2014, na cidade de Curitiba. Estarão presentes na atividade o candidato a presidente pelo partido, Zé Maria, o candidato ao governo do estado, Rodrigo Tomazini, além dos candidatos ao Senado, à Câmara Federal e Estadual. Os candidatos do PSTU apresentarão um programa para os trabalhadores, mostrando a necessidade de se governar sem patrões, empresários e banqueiros.

“Nossa candidatura é feita por trabalhadores e para os trabalhadores. A melhor forma de encontrar melhorias dos setores públicos como Saúde, Educação, Transporte e Moradia é ouvindo quem os utiliza e quem mais sofre com sua precarização, que são os trabalhadores e a juventude”, afirma Tomazini. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Tribunal Regional Eleitoral diz que jurídico do Beto Richa chegou atrasado e nega liminar contra Blog do Esmael; tucano pediu censura porque houve transmissão ao vivo de evento do PMDB, autorizado pela Justiça; Blog do Esmael também divulgou ao vivo encontros do PSDB, PV e PSOL.

Tribunal Regional Eleitoral diz que jurídico do Beto Richa chegou atrasado e nega liminar contra Blog do Esmael; tucano pediu censura porque houve transmissão ao vivo de evento do PMDB, autorizado pela Justiça; Blog do Esmael também divulgou ao vivo encontros do PSDB, PV e PSOL.

O Juiz Lourival Chemim, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), indeferiu pedido de liminar ao governador Beto Richa (PSDB), candidato à reeleição, pedindo multa e censura ao Blog do Esmael.

No dia 05 de julho, o Blog do Esmael divulgou ao vivo evento do PMDB, da mesma forma que também divulgou do PSDB, PV, PSC e PSOL. Tratava-se de evento fechado, para filiados e simpatizantes peemedebistas.

Autorizado pela legislação eleitoral para acontecer antes da campanha, o Blog apenas divulgou ambos os eventos partidários.

Mais de duas semanas depois, Beto Richa (PSDB) entra com representação para sustentar que teria havido propaganda antecipada. O Juiz Lourival Chemim reconheceu que a esta altura não havia mais perigo e indeferiu a liminar.

O Blog do Esmael vai apresentar defesa, mas refuta desde já qualquer tentativa de censura e de judicialização da opinião.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Simbolizando o desejo de paz e solidariedade à Gaza-Palestina, o ex-prefeito de Piraquara, Gabão, beija em praça pública um judeu durante protesto em Curitiba; conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas no Oriente Médio; Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

Simbolizando o desejo de paz e solidariedade à Gaza-Palestina, o ex-prefeito de Piraquara, Gabão, beija em praça pública um judeu durante protesto em Curitiba; conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas no Oriente Médio; Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

O ex-prefeito de Piraquara, Gabriel Samaha, o Gabão, ex-presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), foi flagrado no fim de semana dando um beijo em um israelense em protesto que pedia paz no Oriente Médio.

Conflito entre israelenses e palestinos, detonado há duas semanas, já matou quase 500 pessoas na Faixa de Gaza.

Gabão é um dos coordenadores da campanha do senador Roberto Requião (PMDB), ao governo do Paraná, na região metropolitana de Curitiba.

O protesto foi realizado neste domingo (20) no Largo da Ordem, parte histórica da capital paranaense.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

PT e PMDB vão jogar em linha, como se diz no futebol. Farão jogadas ensaiadas em nome do palanque suprapartidário para a presidenta Dilma Rousseff no Paraná. Os dois partidos vislumbram levar Gleisi e Requião para o segundo turno, sem Richa.

PT e PMDB vão jogar em linha, como se diz no futebol. Farão jogadas ensaiadas em nome do palanque suprapartidário para a presidenta Dilma Rousseff no Paraná. Os dois partidos vislumbram levar Gleisi e Requião para o segundo turno, sem Richa.

A sucessão de erros estratégicos na campanha reeleitoral do governador Beto Richa (PSDB) pode deixá-lo pela estrada da vida, sem condições de avançar para o segundo turno. O tucano segue as mesmas pegadas de seu pupilo, o ex-prefeito de Curitiba, Luciano Ducci (PSB), que em 2012 não logrou êxito no projeto continuísta dele.

Tal qual Ducci, Richa meteu-se no imbróglio do PMDB e se deu mal. Chamou para si a condição de alvo peemedebista. Tende a apanhar pela manhã, tarde e à noite do candidato Roberto Requião durante o programa eleitoral. A senadora Gleisi Hoffmann (PT) também não deverá dar refresco ao adversário tucano.

Foi mais ou menos isso que discuti ontem à noite, junto com o jornalista Edson Fonseca, do Jornale, em entrevista no programa Jogo do Poder PR, comandado pelo advogado Luiz Carlos da Rocha, na Rede CNT.

Lembrei aos telespectadores que os personagens da lambança na campanha de Ducci são praticamente os mesmos que agora operam para o governador do PSDB, com a repetição dos mesmos erros estratégicos. O roteiro também é o mesmo.

PT e PMDB vão jogar em linha, como se diz no futebol. Farão jogadas ensaiadas em nome do palanque suprapartidário para a presidenta Dilma Rousseff no Paraná. Os dois partidos vislumbram levar Gleisi e Requião para o segundo turno, sem Richa.

O Palácio Iguaçu aposta em uma carnificina pelo segundo lugar entre a petista e o peemedebista. Além disso, orienta para “segurar” pesquisas de intenção de votos em momento que ainda a fotografia lhe favorece — ou não, como diria Caetano Veloso.

Se me pedisse uma dica eu recomendaria ao governador: troque sua coordenação inteira, pois é muito incompetente. Lembra muito a fragilizada seleção brasileira que não teve forças psicológicas para impor-se diante da arrasadora Alemanha. No campo, o esquete canarinho foi goleado em 7 x 1. E nas urnas, o tucano vai repetir o fiasco do time de Felipão, levando goleada?

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Possível ação judicial por improbidade administrativa contra o presidenciável tucano é baseada em reportagem da “Folha de S. Paulo” do último domingo que atribui a Aécio Neves gasto de quase R$ 14 milhões, então como governador de Minas, em aeroporto construído em propriedade de um tio; o presidente do PT, Rui Falcão, diz que Aécio usou o governo como extensão de suas propriedades, já para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, caso mostra hipocrisia do PSDB; Aécio nega irregularidade e diz que terreno foi desapropriado; denúncia virou alvo do Ministério Público de Minas Gerais e oposição no Estado já fala em CPI.

Possível ação judicial por improbidade administrativa contra o presidenciável tucano é baseada em reportagem da “Folha de S. Paulo” do último domingo que atribui a Aécio Neves gasto de quase R$ 14 milhões, então como governador de Minas, em aeroporto construído em propriedade de um tio; o presidente do PT, Rui Falcão, diz que Aécio usou o governo como extensão de suas propriedades, já para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, caso mostra hipocrisia do PSDB; Aécio nega irregularidade e diz que terreno foi desapropriado; denúncia virou alvo do Ministério Público de Minas Gerais e oposição no Estado já fala em CPI.

O PT não tardou a reagir à reportagem da ‘Folha de S. Paulo’ que atribui a Aécio Neves o gasto de quase R$ 14 milhões, então como governador de Minas, em aeroporto construído em propriedade de um tio, o fazendeiro Múcio Tolentino. O comitê da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) à reeleição estuda mover uma ação judicial por improbidade administrativa contra o presidenciável tucano.

O presidenciável tucano negou irregularidades: “Já foi tudo explicado. Tudo foi feito com a mais absoluta transparência e correção; aliás como sempre faço”, disse em visita à região do Cariri cearense na tarde de ontem. Pelo Facebook, ele também apresentou carta resposta: “O aeroporto foi construído em área pertencente ao Estado, não havendo investimento público em área privada. Não houve nenhum tipo de favorecimento. Tanto que o antigo proprietário da área não concordou com a desapropriação e contesta suas bases na Justiça.”

A questão virou alvo do Ministério Público de Minas Gerais. O promotor Eduardo Nepomuceno anunciou que irá analisar os fundamentos da desapropriação citada e por que parentes de Aécio controlam na prática o aeroporto, que deveria ser público. Ele teria as chaves do espaço.

Do lado do PT, o presidente nacional do partido, Rui Falcão, diz que o senador tucano não distingue o ”público do privado”. “Ele usou o governo de Minas Gerais como extensão de suas propriedades”, afirmou.

Já o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, classificou a construção do aeroporto como um “escândalo” e um “absurdo”. “Mostra a hipocrisia do PSDB e do Aécio que a qualquer evento gritam CPI e apontam dedo. Agora, fazem um negócio desses.”

O deputado estadual Rogério Corrêa (PT) também disse que começará a colher assinaturas nesta semana para abertura de uma CPI no Estado sobre o governo Aécio.

Na Folha, o colunista Ricardo Melo argumenta ainda que a obra representa um “choque de indigestão”.

Veja abaixo documento do governo de Minas, apresentado por Aécio no Facebook, que comprovaria que aeroporto foi feito em terreno do Estado: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, se compara à seleção da Alemanha, que aplicou goleada histórica de 7 a 1 no Brasil, ao propor um “pacto pela não humilhação” do prefeito de Curitiba Gustavo Fruet (PDT); "O prefeito Gustavo Fruet não mereceria da minha parte um ‘pacto de não humilhação’?", questiona o colunista especialista em trânsito e multa, ao garantir que acertou nos últimos meses ao apontar falhas na administração municipal; “Para não perder de zero sempre resta o argumento sólido e que muda a vida das pessoas: ‘Ah, mas ele tinha pontos na carteira...’”; leia o texto e compartilhe.

Marcelo Araújo, em sua coluna desta segunda, se compara à seleção da Alemanha, que aplicou goleada histórica de 7 a 1 no Brasil, ao propor um “pacto pela não humilhação” do prefeito de Curitiba Gustavo Fruet (PDT); “O prefeito Gustavo Fruet não mereceria da minha parte um ‘pacto de não humilhação’?”, questiona o colunista especialista em trânsito e multa, ao garantir que acertou nos últimos meses ao apontar falhas na administração municipal; “Para não perder de zero sempre resta o argumento sólido e que muda a vida das pessoas: ‘Ah, mas ele tinha pontos na carteira…’”; leia o texto e compartilhe.

Marcelo Araújo*

O jogo do Brasil e Alemanha na Copa serviu para muitas lições e devo confessar que ela me fez refletir sobre tudo o que já foi apontado e denunciado nesse espaço semanal. O prefeito Gustavo Fruet não mereceria da minha parte um “‘pacto de não humilhação”?

Foram as milhares de multas que precisaram ser canceladas por não obedecerem uma regra básica sobre notificação; outras milhares aplicadas contra os guincheiros na Linha Verde mesmo com previsão expressa que gozavam da prerrogativa de nela transitar; os micos da campanha da Vó Gertrudes; dentre outras várias.

Isso tudo acima evidenciou a incompetência e ignorância, além da absoluta falta de condições de debater os assuntos, ou sequer se defender. Para não perder de zero sempre resta o argumento “sólido” e que muda a vida das pessoas: “Ah, mas ele tinha pontos na carteira…”. Esse argumento hoje me conforta, pois não saberia como fazer um gol contra falando alguma bobagem à altura das que são ditas e feitas…

No dia 30/09/13 eu escrevi que a decisão da criação do cargo de agente de trânsito naquela oportunidade não seria a melhor decisão para a cidade. Na minha opinião, o momento não seria oportuno e isso criaria e criará uma dicotomia entre os atuais agentes e os novos que fatalmente criará conflitos.

Minha sugestão foi de que alguns Guardas Municipais poderiam ser credenciados como agentes, pois permitiria descentralizar a atividade para várias regiões da cidade para situações que hoje os guardas precisam chamar os agentes, e a cidade contaria com um quadro já existente e que mantém uma boa relação de convívio com os atuais agentes.

Um dos argumentos contrários é a existência de uma ação de inconstitucionalidade em andamento que questiona essa competência para as GMs, cuja decisão terá repercussão geral.

Eu sustento que o STF sabe as consequências desastrosas para as diversas cidades do país que se utilizam desse expediente, e também escrevi neste espaço que o PL 1332/03 que andava a passos largos no Congresso e contemplava essa atividade para as GMs.

Na semana passada a CCJ do Senado aprovou de forma unânime o PL 34/2014 que substituiu o citado PL e prevê a atividade no trânsito feita pela GM. Não, eu não tenho bola de cristal. Nem creio que seja necessária inteligência para essas conclusões, mas sua ausência atrapalha boas decisões e previsões.

Mas, ao que parece a relação do prefeito com a Guarda Municipal não está das melhores, que além de fugir da conversa com eles na reinauguração da rodoferroviária deu de presente a eles pelo aniversário o “BOLO”, no sentido figurado, conforme nota do próprio sindicato. Prometo pegar leve, a Alemanha me comoveu pela compaixão…

*Marcelo Araújo é advogado, presidente da Comissão de Trânsito, Transporte e Mobilidade da OAB/PR. Escreve nas segundas-feiras para o Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
charge_jbosco

Charge de J. Bosco – O Liberal.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

capa_estadãoJornais do Paraná

- Gazeta do Povo: Candidatos declaram ter R$ 5,6 milhões guardados em casa

- Bem Paraná: Seleção volta para as mãos de Dunga

- Jornal Metro: Comércio quer polícia nas ruas como na Copa

- Folha de Londrina: Apenas 12,3% dos presos trabalham no Paraná

- Tribuna do Interior: Donas do trânsito

- Gazeta do Iguaçu: Gleisi quer abrir caixa preta do pedágio no Paraná

Jornais de outros estados

- Globo: Indústria reduz produção e vende energia

- Folha: Conflito na faixa de Gaza cresce e tem o dia mais violento

- Estadão: PT e PMDB são adversários em Estados com 75% dos eleitores

- Correio: Lei Seca pegou 1.222 apenas durante a Copa

- Valor: Copa e inflação castigam balanços das empresas

- Estado de Minas: Álcool e drogas estão matando mais em BH

- Zero Hora: Muitos planos, pouco dinheiro

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Daqui a pouco, às 23h20, este blogueiro será entrevistado ao vivo pelo advogado Luiz Carlos da Rocha, o Rochinha, direto dos estúdios da Rede CNT (Canal 06), em Curitiba; assista.

Daqui a pouco, às 23h20, este blogueiro será entrevistado ao vivo pelo advogado Luiz Carlos da Rocha, o Rochinha, direto dos estúdios da Rede CNT (Canal 06), em Curitiba; assista.

O titular deste Blog do Esmael participa neste domingo (20) do programa Jogo do Poder PR. Sob o comando do advogado Luiz Carlos da Rocha, a entrevista vai ao ar, ao vivo, a partir das 23h20, direto dos estúdios da Rede CNT (Canal 06), em Curitiba. Participações pelo twitter: @jogodopoderpr.

O jornalista Edson Fonseca, do site Jornale, também participará do programa
de hoje.

O tema não poderia ser outro: eleições 2014.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Senador Aécio Neves (PSDB-MG) divulgou nota nesta manhã para contestar a manchete deste domingo da Folha de S. Paulo; jornal acusa o presidenciável tucano de ter construído um aeroporto na fazenda de um tio, usando R$ 14 milhões em recursos públicos, quando era governador de Minas Gerais; "O aeroporto foi construído em área pertencente ao Estado, não havendo portanto o investimento publico em área privada afirmado no título da reportagem", diz a nota do tucano; "Não houve nenhum tipo de favorecimento"; polêmica é o primeiro abalo na campanha do tucano, que também anexou na explicação correspondência trocada pelo governo de Minas com a Agência Nacional de Aviação Civil.

Senador Aécio Neves (PSDB-MG) divulgou nota nesta manhã para contestar a manchete deste domingo da Folha de S. Paulo; jornal acusa o presidenciável tucano de ter construído um aeroporto na fazenda de um tio, usando R$ 14 milhões em recursos públicos, quando era governador de Minas Gerais; “O aeroporto foi construído em área pertencente ao Estado, não havendo portanto o investimento publico em área privada afirmado no título da reportagem”, diz a nota do tucano; “Não houve nenhum tipo de favorecimento”; polêmica é o primeiro abalo na campanha do tucano, que também anexou na explicação correspondência trocada pelo governo de Minas com a Agência Nacional de Aviação Civil.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), que passou os últimos dias comemorando duas pesquisas eleitorais, do Datafolha e da parceria Istoé/Sensus, que mostravam seu fortalecimento num eventual segundo turno contra a presidente Dilma Rousseff, enfrentou, neste domingo, a primeira crise de sua campanha. O motivo foi a denúncia feita pela Folha de S. Paulo de que ele, quando governador de Minais Gerais, teria construído um aeroporto na fazenda de um tio, na cidade de Claudio (MG), usando R$ 14 milhões em recursos públicos (leia aqui).

Nesta manhã, ele publicou uma longa de nota de esclarecimento sobre o caso, na qual alega que o aeroporto foi construído em área pertencente ao estado, “não havendo portanto o investimento publico em área privada afirmado no título da reportagem”. Seu tio seria o ex-proprietário do terreno, que, segundo a nota, até hoje, não teria sido indenizado pelo estado. “De forma incompreensível, o ex-proprietário da área é tratado na reportagem como dono do terreno”.

Na sua explicação, Aécio também anexou uma correspondência trocada entre a Secretaria de Transportes do governo de Minas e a Agência Nacional de Aviação Civil, tratando da jurisdição da pista de pouso.

Leia, abaixo, a nota divulgada nesta manhã pelo tucano: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Ausência de pesquisas registradas sobre intenção de votos só ajuda os nomes mais consolidados na política do Paraná; institutos alegam descapitalização da velha mídia, que não têm dinheiro para contratar sondagens; bastidores da política têm vários números que não podem ser declinados aqui, por falta de anotação no TSE, mas se fala que Richa e Requião estariam embolados no primeiro lugar – isso explica a troca de insultos nas redes sociais – e Gleisi estaria em terceiro.

Ausência de pesquisas registradas sobre intenção de votos só ajuda os nomes mais consolidados na política do Paraná; institutos alegam descapitalização da velha mídia, que não têm dinheiro para contratar sondagens; bastidores da política têm vários números que não podem ser declinados aqui, por falta de anotação no TSE, mas se fala que Richa e Requião estariam embolados no primeiro lugar – isso explica a troca de insultos nas redes sociais – e Gleisi estaria em terceiro.

Há dias o Blog do Esmael vem anotando que nenhuma pesquisa estadual foi registrada até agora no Paraná. Os institutos de pesquisas — todos eles — se encolheram de forma magnífica em 2014, comportamento diferente que adotaram nas eleições municipais de 2012 quando eram fartas as sondagens neste período do ano.

A quem interessa segurar as pesquisas no Paraná? Por quê? Quem ganha, quem perde com a corrida eleitoral no escuro?

As empresas juram que sofrem uma “censura econômica” porque os jornais que sempre as contratavam vivem crise financeira jamais vista. Elas argumentam ainda que não têm dinheiro para bancar, sozinhas, os levantamentos sobre a disputa pelo governo do estado, como fazem os grandes institutos nacionais.

Entretanto, aqui e acolá, timidamente, pipocam registros de pesquisas localizadas. Semana passada surgiu uma em Cascavel (Vox Data) e ontem outra na praça de Curitiba (Visão), mas sem aferir o estado inteiro. Somente em agosto, depois do início da propaganda eleitoral, haveremos de ter sondagens estadualizadas.

Nos bastidores da política têm várias pesquisas não registradas, por isso os números não podem ser declinados aqui. Mas se fala que o governador Beto Richa (PSDB) e o senador Roberto Requião (PMDB) estariam embolados no primeiro lugar – isso explica a troca de insultos nas redes sociais – e a senadora Gleisi Hoffmann (PT) estaria em terceiro.

Por fim, a falta de pesquisas ajuda os nomes mais consolidados. Os mais conhecidos continuam com vantagem competitiva em relação aos novatos. Não é à toa que os deputados estaduais, em nome da modicidade e da economia, fizeram acordo de cavalheiros para iniciar a campanha somente para início de agosto. Ou seja, desprezaram 30 dias de corpo a corpo. Isso é bom para quem está no exercício do mandato, mas péssimo negócio para quem deseja entrar na política.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247

Na reta final da campanha pela reeleição, foco do PT é renovar a imagem de que a presidente Dilma Rousseff é herdeira de Lula, maior cabo eleitoral do partido; ele tem concentrado esforços em São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, para transferir votos para Dilma; na próxima semana, o comitê eleitoral também vai lançar nova ofensiva na rede social contra o adversário Aécio Neves com o placar: “20 x 5: 20 milhões de empregos criados na gestão petista x 5 milhões na gestão tucana”, em resposta às provocações do Instituto Teotônio Vilela; órgão por trás da doutrina no PSDB usou o placar da derrota do Brasil para a Alemanha como referência da inflação x crescimento; Lula também é a esperança da nação petista em vários outros estados, como o Paraná, onde a ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann disputa o Palácio Iguaçu.

Na reta final da campanha pela reeleição, foco do PT é renovar a imagem de que a presidente Dilma Rousseff é herdeira de Lula, maior cabo eleitoral do partido; ele tem concentrado esforços em São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, para transferir votos para Dilma; na próxima semana, o comitê eleitoral também vai lançar nova ofensiva na rede social contra o adversário Aécio Neves com o placar: “20 x 5: 20 milhões de empregos criados na gestão petista x 5 milhões na gestão tucana”, em resposta às provocações do Instituto Teotônio Vilela; órgão por trás da doutrina no PSDB usou o placar da derrota do Brasil para a Alemanha como referência da inflação x crescimento; Lula também é a esperança da nação petista em vários outros estados, como o Paraná, onde a ex-ministra e senadora Gleisi Hoffmann disputa o Palácio Iguaçu.

O ex-presidente Lula vai assumir um papel ainda mais central na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff. Na reta final até as eleições e diante do crescimento da rejeição ao governo Dilma, apesar de ainda ter chances de vencer no primeiro turno segundo recente pesquisa Datafolha, intenção do PT é renovar a imagem de que Dilma é herdeira de Lula, seu maior cabo eleitoral.

Dilma também vinculado sua imagem à história do PT e de Lula em agendas públicas com sindicalistas.

Lula tem concentrado esforços em São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, e já adotou a campanha pelo governo do Estado, de Alexandre Padilha, como prioridade para transferir votos para a presidente Dilma. Escalou time de prefeitos do PT na Grande São Paulo e no interior para blindar os dois candidatos. “Não vamos admitir ofensas pessoais nem baixarias”, disse o presidente do PT, Rui Falcão.

Leia ainda a nota de Ilimar Franco, do Globo: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

“90% da população brasileira vive em cidades, logo o desenvolvimento do Brasil nada mais é que a soma do desenvolvimento de suas cidades”, filosofa neste domingo, em sua coluna, Rocha Loures, ao falar sobre inovação dos municípios e de suas características peculiares; para as cidades serem consideradas inovadoras, explica o colunista, é imperativo a adoção de políticas públicas fomentadoras de boas soluções de governabilidade, de infraestrutura, educação, mobilidade, saúde, lazer e empreendedorismo; “Além de valorizar, atrair e reter talentos, as cidades devem constituir alicerces sólidos baseados em quatro eixos - Educação, Tecnologia, Sustentabilidade e Cidadania Plena”; leia o texto e compartilhe.

“90% da população brasileira vive em cidades, logo o desenvolvimento do Brasil nada mais é que a soma do desenvolvimento de suas cidades”, filosofa neste domingo, em sua coluna, Rocha Loures, ao falar sobre inovação dos municípios e de suas características peculiares; para as cidades serem consideradas inovadoras, explica o colunista, é imperativo a adoção de políticas públicas fomentadoras de boas soluções de governabilidade, de infraestrutura, educação, mobilidade, saúde, lazer e empreendedorismo; “Além de valorizar, atrair e reter talentos, as cidades devem constituir alicerces sólidos baseados em quatro eixos – Educação, Tecnologia, Sustentabilidade e Cidadania Plena”; leia o texto e compartilhe.

Rodrigo da Rocha Loures*

O futuro de uma cidade está relacionado pelo menos a três importantes aspectos: qualidade do seu planejamento, definição de estratégias claras de implementação e o engajamento dos seus cidadãos.

Assim como as pessoas, as cidades também formam suas próprias personalidades, de acordo com sua história, qualidade da gestão pública e a índole de seus habitantes. São traços que irão marcar o município na sua trajetória de desenvolvimento. Curitiba já foi chamada de “cidade modelo”, “cidade sorriso” e de “capital ecológica”, assim como Maringá, de “cidade canção”, e Apucarana de “a capital do boné”.

O desafio está em como preservar as importantes tradições de cada cidade, ampliar o bem estar, atender as demandas existentes e especialmente antecipar-se às demandas futuras. É aqui que entra o fomento à cultura de inovação enquanto estratégia central de desenvolvimento sustentável.

Para as cidades serem inovadoras, é imperativo a adoção de políticas públicas fomentadoras de boas soluções de governabilidade, de infraestrutura, educação, mobilidade, saúde, lazer e empreendedorismo. Os modelos de planejamento e gestão municipal devem levar em conta que as cidades vão permanentemente sofrer mudanças e que a promoção do bem estar é um processo assertivo, concebido para o futuro, muito além das necessidades do momento atual.

Cidades inovadoras são as que entendem que a sua essência reside nas pessoas, as verdadeiras responsáveis pela constituição de um cenário desenvolvido, criativo, democrático e humanizado. 90% da população brasileira vive em cidades, logo o desenvolvimento do Brasil nada mais é que a soma do desenvolvimento de suas cidades.

Além de valorizar, atrair e reter talentos, as cidades devem constituir alicerces sólidos baseados em quatro eixos – Educação, Tecnologia, Sustentabilidade e Cidadania Plena. Essa é a base para um futuro próspero. Vou discorrer mais sobre cada um desses eixos estruturantes em minhas próximas contribuições, aqui neste espaço.

*Rodrigo da Rocha Loures é presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade – IBQP e ex-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná – Fiep (2003/2011). Escreve nos domingos.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Charge de Paixão - Gazeta do Povo (PR).

Charge de Paixão – Gazeta do Povo (PR).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.