japa_leprevostO agente da Polícia Federal Newton Ishii, o Japa da PF, esteve o último final de semana degustando um churras na casa do deputado estadual Ney Leprevost na praia de Guaratuba, Litoral do Paraná, quando recebeu convite para ingressar no PSD para disputar a Prefeitura de Curitiba.

A ideia consiste em fazer uma pesquisa qualitativa, a quali, para definir quem tem melhor condições de chegar ao Palácio 29 de Março – a sede do executivo municipal curitibano – se Ney ou o Japa da Federal.

Tanto o “Japa da PF” quanto Leprevost deixaram-se ser fotografados para comunicar o entendimento político.

O diabo é que o “Japa da Federal” tem uma ficha corrida capaz de corar o ex-ministro Zé Dirceu ou mesmo Marcelo Odebrecht. O moço do olho puxado é produto de marketing da criminosa “Tenda Digital” (by Sérgio Kobayashi, na foto). Entretanto, a nova aquisição do PSD não se faz de rogada de concorrer à sucessão do prefeito Gustavo Fruet (PDT). (mais…)

carnaval2016
O Carnaval é a festa nacional de maior expressão e liberdade popular. A folia que precede a quaresma se consolidou como o momento para extravasar sentimentos, entre eles a indignação.

Apesar de uma parcela mais conservadora dos curitibanos defender que Curitiba não é lugar de Carnaval, a festa de Momo vem crescendo e atrai cada vez mais gente nas suas mais diversas manifestações. Temos os Blocos de Pré-carnaval, o desfile dos Blocos e Escolas de Samba, o Psycho Carnival, a Zombie Walk… Enfim, Carnaval para todos os gostos.

E no meio de tanta folia, o que apareceu com força nos últimos dias foi a politização bem humorada da festa. Como não poderia deixar de ser, sobrou para o governador Beto Richa (PSDB) e para o prefeito Gustavo Fruet (PDT). O estranho é que a grande mídia escondeu essa faceta do Carnaval, mostrando somente as mulheres seminuas e os enredos menos politizados (abaixo, assista ao vídeo). (mais…)

corrup

Em sua coluna desta terça-feira, o deputado federal João Arruda (PMDB) mostra como a corrupção do governo Beto Richa (PSDB) atrasa os investimentos e o desenvolvimento do Paraná. Ele cita o exemplo do dinheiro desviado da construção e reforma de escolas, do qual boa parte tinha origem federal. Isso fará com que o caso seja investigado pela Controladoria Geral da União. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

João Arruda*

Até as paredes do Palácio Iguaçu sabem: fica difícil pedir dinheiro federal quando o que vem para o Paraná é roubado. Isso está acontecendo com o nosso estado, onde os escândalos que se sucedem ameaçam investimentos. Um novo ano começou, mas a suspeita de corrupção segue firme e forte no governo de Beto Richa (PSDB), agora acuado pela Operação Quadro Negro.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o ministério público federal investigam o desvio de recursos destinados à construção de escolas para a campanha de reeleição do governador Beto Richa, em 2014. A teia de corrupção, formada por políticos, autoridades e empresas, teria garfado quase R$ 20 milhões em dinheiro público. Em vez de salas de aulas, ganhamos obras inacabadas e a vergonha nacional.

O atual governador passou os últimos cinco anos reclamando que o estado não recebia verbas federais. Aí, quando elas vêm, os recursos são roubados. Isso desmoraliza o Paraná e repercute muito em Brasília, especialmente nos ministérios.

Quer outro exemplo? O governo do estado devolveu R$ 19 milhões para a União, dinheiro que deveria ser usado na construção de quatro escolas, hoje inacabadas. Você leu certo: Beto Richa devolveu recursos federais. Na verdade, foi uma manobra para tentar manter a investigação da Quadro Negro sob jurisdição estadual e evitar a Controladoria Geral da União (CGU). Isso não vai funcionar. (mais…)

sergio_pessuti_richaO deputado federal Sérgio Souza (PMDB), pupilo do ex-governador Orlando Pessuti, atual diretor do BRDE, em entrevista à Veja, deu um cruzado de direita no queixo do governador Beto Richa (PSDB) ao discorrer sobre os motivos de o tucano ter caído em desgraça.

Segundo o parlamentar peemedebista, aumento de IPVA e ICMS, massacre dos professores, além da criação da bancada do camburão, motivaram o título de pior governador do país — de acordo com levantamento da Paraná Pesquisas. (mais…)

Professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado podem não ter conseguido vitórias econômicas expressivas com a greve de 2015, mas, na opinião do Blog do Esmael, eles obtiveram êxito na batalha das batalhas, a da comunicação, ou seja, politicamente conseguiram um feito que nenhum movimento antes conseguiu.

Professores e funcionários das 2,1 mil escolas do estado podem não ter conseguido vitórias econômicas expressivas com a greve de 2015, mas, na opinião do Blog do Esmael, eles obtiveram êxito na batalha das batalhas, a da comunicação, ou seja, politicamente conseguiram um feito que nenhum movimento antes conseguiu.

O Paraná não é mais o mesmo desde 9 de fevereiro de 2015, ou seja, há exato um ano, desde que fora deflagrada a greve dos educadores. Eles buscavam – e ainda buscam – dignidade, respeito, manutenção da ParanáPrevidência e dos quinquênios, auxílio-transporte, cumprimento de acordos de reajustes, enfim, propunham a justa bandeira “nenhum direito a menos”.

Pois bem, o Paraná não é mais o mesmo desde então porque o governador Beto Richa (PSDB) também já não é o mesmo. Antes, o tucano ostentava popularidade na casa dos 70%. Hoje, segundo o instituto Paraná Pesquisas, ele tem a pior avaliação do país com quase 80% de reprovação.

Além disso, o governador do PSDB corre o risco de ir para a cadeia ainda durante seu mandato, de acordo com reportagem da revista Veja – que é alinhada ao tucanato nacional – em virtude de corrupção na Receita Estadual e na educação (Operações Publicano e Quadro Negro, respectivamente). (mais…)

avestruz

Em sua coluna semanal, Marcelo Araújo comenta a sabatina promovida pelo jornal Gazeta do Povo com os pré-candidatos a prefeito de Curitiba. Marcelo questiona os critérios do jornal para definir quem participaria da sabatina e também a recusa do atual prefeito, pré-candidato à reeleição, Gustavo Fruet (PDT). Eles pergunta se a ausência de Fruet significa medo de se expor ou falta de propostas mesmo. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Marcelo Araújo*

Primeiramente quero cumprimentar o leitor e ouvinte da minha coluna no Blog do Esmael, os que concordam e discordam das minhas opiniões, em especial àqueles que dedicam seu tempo a comentar, protegidos ou não pelo anonimato e pelo pseudônimo, os quais sempre que possível procuro responder.

Apesar da crença que o ano só começa a partir de amanhã, à tarde, no cenário político municipal já tivemos um aperitivo interessante com a sabatina da Gazeta do Povo aos pré-candidatos à prefeitura de Curitiba que se deu a partir de 18 de janeiro.

Houve a participação de sete pré-candidatos escolhidos pelo aleatório critério de possuir mais de 4% de índice nas pesquisas. Me parece que este critério de corte nesse momento preliminar não ofereceu a todos a oportunidade de se expor e expor. Ter índice abaixo de 4% não significa necessária indiferença ao processo eleitoral, pois 5 candidatos com 3% representariam 15% dos votos, sem as margens de erro.

Uma análise do perfil dos pré-candidatos também expôs um lado preconceituoso do jornal, pois apenas citou e não entrevistou duas mulheres e ainda destacou a ausência de um negro, mesmo já tendo feito correções em matérias anteriores reconhecendo a presença de um negro, o que mostra que quem escreve na Gazeta não lê a Gazeta. (mais…)

Em sua coluna semanal, o deputado federal Enio Verri (PT) fala do sistema tributário nacional que ainda favorece os mais ricos, taxando mais o consumo que a renda. E no atual momento de crise, para proporcionar a retomada do crescimento, Enio e outros deputados federais do Partido dos Trabalhadores estão propondo uma série de medidas para corrigir essas distorções e garantir justiça tributária, com menos peso para quem trabalha e produz. Leia, ouça, comente e compartilhe. Audio Player

Em sua coluna semanal, o deputado federal Enio Verri (PT) fala da necessidade urgente de promover uma reforma tributária que tire o peso dos trabalhadores e da classe média, e cobre dos mais ricos. Ele e outros deputados federais do PT estão apresentando uma proposta de alteração do Imposto de Renda que possibilitará promover justiça tributária e social no Brasil. Leia, comente e compartilhe.

Enio Verri*

Constituído sob desigualdades sociais e mazelas que integram o Brasil desde sua colonização, o sistema tributário brasileiro não só apresenta disparidades que motivam constantes reclamações e reforçam as hierarquias sociais, como ainda, reproduz um modelo antiquado e desequilibrado que equaliza a taxação entre ricos e classe média.

Um sistema formulado por diferenças e normatizações que permitem a taxação de uma grande parcela que recebe pouco mais de dois salários mínimos — na essência, deveriam estar isentos — enquanto iguala rendas médias e altas, como se o impacto fosse o mesmo na vida desses contribuintes. Sem contar os outros benefícios, como o não pagamento de imposto sobre lanchas ou grandes fortunas, que os mais ricos recebem.

Um modelo arcaico que se encontra sob a necessidade e proposta de reforma, formulada pelos deputados federais do PT Sibá Machado, Afonso Florence, Vicente Cândido, José Mentor e Paulo Teixeira, além deste que assina essa coluna, que não só reconfigura a tabela do Imposto de Renda, como ainda, aumenta a arrecadação governamental, em tempos de reajuste fiscal, com justiça tributária.

Contrariando a lógica estabelecida pelo Leão, a reforma sugerida ao IR prevê um novo enquadramento que amplia o número de isentos e reduz consideravelmente a tributação a quase todas as faixas de renda. Sob essa nova perspectiva, todos aqueles que recebem até R$ 3.390,00 por mês estariam isentos – hoje, quem não contribui são os brasileiros com renda mensal de até R$ 1.903,98, beneficiando uma grande parcela de trabalhadores. (mais…)

Charge de Renato Aroeira.

Charge de Renato Aroeira.

img_edg_9362Jornais do Paraná

Gazeta do Povo: Desemprego chega a quem tem mais estudo

Folha de Londrina: Clima de ‘normalidade’ e novas regras motivam pré-candidatos

O Diário (Maringá): Observatório evita R$ 83 milhões em gastos irregulares

Diário dos Campos: Antecipação do IPVA duplica recursos para prefeituras da região

Gazeta do Paraná: Vereador recua no fim da gratuidade no transporte

Gazeta do Iguaçu: Projeto enviado à Câmara pede extinção do Fozhabita

Jornais de outros estados

Globo: A ginga do Salgueiro

Folha: Dívidas de 20 Estados chegam ao limite da lei

Estadão: Preocupação com crise mundial faz bolsas caírem

Correio Braziliense: Tá tranquilo, tá favorável

Zero Hora: Separação da BM expõe déficit de 50% nos Bombeiros

Na frente política, ninguém entendeu direito a movimentação de Silvio Barros alinhado com a tropa do senador Roberto Requião. Entretanto, há quem enxergue um racha na família Barros, ou seja, entre os irmãos Silvio e Ricardo. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

Na frente política, ninguém entendeu direito a movimentação de Silvio Barros alinhado com a tropa do senador Roberto Requião. Entretanto, há quem enxergue um racha na família Barros, ou seja, entre os irmãos Silvio e Ricardo. Aguardemos cenas dos próximos capítulos.

O ex-prefeito de Maringá e ex-secretário de Estado do Planejamento do Paraná, Silvio Barros II, que recentemente abandonou a balsa do governador Beto Richa (PSDB), está de mala e cuia rumo ao PMDB do senador Roberto Requião.

Fontes peemedebistas em Curitiba e Maringá confirmaram ao Blog do Esmael as conversas sobre a migração de Barros para o “MDB velho de guerra”.

O próprio Requião, consultado por essa página, não disse “sim” nem “não”. Ele apenas se limitou a dizer que Silvio Barros II “é sério, mas”, segundo o senador, “é irmão do deputado Ricardo Barros (PP)”. (mais…)

do Brasil 247

Reportagem da revista destaca que Beto Richa "é o governador mais mal-avaliado do Brasil, segundo levantamento do Instituto Paraná Pesquisas", e "agora entrou na mira do Ministério Público", "acossado por duas frentes de investigação"; para a publicação, auge da queda de popularidade do tucano foi o massacre da PM do Paraná contra professores em abril de 2015; "O episódio foi criticado até pela cúpula do PSDB", destaca o texto.

Reportagem da revista destaca que Beto Richa “é o governador mais mal-avaliado do Brasil, segundo levantamento do Instituto Paraná Pesquisas”, e “agora entrou na mira do Ministério Público”, “acossado por duas frentes de investigação”; para a publicação, auge da queda de popularidade do tucano foi o massacre da PM do Paraná contra professores em abril de 2015; “O episódio foi criticado até pela cúpula do PSDB”, destaca o texto.

(mais…)

fascamburao

O blogueiro e militante social Milton Alves opina sobre polêmica em torno da população em situação de rua em Curitiba. O assunto causou um forte debate nos últimos dias, ocupando espaços na velha mídia convencional e nas redes sociais. A demanda foi provocada por entidades empresariais que pressionam o poder público para adoção de medidas imediatas e de força contra a população sem teto. Qual seria o caminho mais adequado para enfrentar o gravíssimo problema social? Leia, comente e compartilhe.

Milton Alves*

Nos últimos dias um polarizado debate sobre como lidar com o grave problema social dos moradores de rua, ou população em situação de rua, mobilizou segmentos empresariais, o poder público, entidades de assistência social e defensores dos direitos humanos.

Curitiba, como toda grande metrópole do país e do mundo, tem um contingente expressivo de pessoas em situação de rua. Segundo projeção do Movimento Nacional da População em Situação de Rua (MNPR), há de quatro a cinco mil pessoas que vivem nas ruas da capital paranaense. A Fundação de Assistência Social (FAS) não tem uma estimativa sobre o número de pessoas nessa condição. (mais…)

Ratinho Junior prepara-se para pular fora da balsa do governador Beto Richa (PSDB), que vai a pique em breve segundo todos os analistas políticos. O parlamentar do PSC estuda deixar a secretaria para voltar à Assembleia, assim, tentaria desvincular-se do tucano para ganhar a eleição para o governo do estado.

Ratinho Junior prepara-se para pular fora da balsa do governador Beto Richa (PSDB), que vai a pique em breve segundo todos os analistas políticos. O parlamentar do PSC estuda deixar a secretaria para voltar à Assembleia, assim, tentaria desvincular-se do tucano para ganhar a eleição para o governo do estado.

O deputado licenciado Ratinho Junior (PSC), secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU), procurou semana passada o megaempresário aposentado Joel Malucelli (PSD) para oferecer-lhe o partido na corrida pela Prefeitura de Curitiba.

Em contrapartida, Ratinho pediu desde já apoio de Malucelli para a disputa pelo Palácio Iguaçu em 2018. O megaempresário, além de pedágio e empreiteira, é dono da TV Bandeirantes no Paraná e da rádio Bandnews FM.

A troca de apoio, se consumada, criaria um consórcio midiático haja vista Ratinho ser herdeiro da Rede Massa (SBT) no estado. (mais…)

Senador Roberto Requião (PMDB) foi festejado neste domingo (7), na orla de Matinhos, com inúmeros e espontâneos "Volta, Requião”; já o governador Beto Richa (PSDB), em seu antigo reduto, a Praia Mansa, recebeu na semana passada sonora vaia de coxinhas que apoiavam até debaixo d’água; abandono de obras e o perigo de dengue/zika é um problema a parte, que tira a paciência de veranistas e turistas.

Senador Roberto Requião (PMDB) foi festejado neste domingo (7), na orla de Matinhos, com inúmeros e espontâneos “Volta, Requião”; já o governador Beto Richa (PSDB), em seu antigo reduto, a Praia Mansa, recebeu na semana passada sonora vaia de coxinhas que apoiavam até debaixo d’água; abandono de obras e o perigo de dengue/zika é um problema a parte, que tira a paciência de veranistas e turistas.

O governador Beto Richa (PSDB) foi impiedosamente vaiado em seu antigo reduto, a Praia Mansa, em Caoibá, município de Matinhos. Nem os coxinhas daquele pedaço de orla aturam mais o tucano e sua entourage.

Richa caminhava pelo calçadão da Mansa na semana passada quando os veranistas, formados basicamente pelos endinheirados de Curitiba, começaram a vaiá-lo. O governador voltou correndo para sua casa da Rua Céu Azul.

Por outro lado, o senador Roberto Requião (PMDB) foi recebido ontem (7) na mesma Praia Mansa, outrora ambiente hostil, sob aplausos dos mesmos coxinhas que não o aturavam. Até lhe serviram uma saborosa moqueca de peixes e frutos do mar. (mais…)

Para o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), o colega de parlamento Roberto Requião (PMDB-PR) é o "nosso" Bernie Sanders brasileiro, o democrata estadunidense que ameaça a candidatura de Hillary Clinton, no partido, com 10 pontos que combatem o sistema especulativo de Wall Street; “Requião, você é o nosso Bernie Sanders do Brasil”, comparou ontem (7) em mensagem o senador fluminense; congressista paranaense submeterá proposta para retomar economia brasileira a encontro do PMDB Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – no próximo dia 5 de março, vésperas da convenção nacional no dia 12; abaixo, leia a íntegra do documento do senador Requião.

Para o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), o colega de parlamento Roberto Requião (PMDB-PR) é o “nosso” Bernie Sanders brasileiro, o democrata estadunidense que ameaça a candidatura de Hillary Clinton, no partido, com 10 pontos que combatem o sistema especulativo de Wall Street; “Requião, você é o nosso Bernie Sanders do Brasil”, comparou ontem (7) em mensagem o senador fluminense; congressista paranaense submeterá proposta para retomar economia brasileira a encontro do PMDB Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – no próximo dia 5 de março, vésperas da convenção nacional no dia 12; abaixo, leia a íntegra do documento do senador Requião.

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) começou sair a campo para viabilizar sua candidatura à presidente da República, em 2018, dentro do partido. Uma das primeiras tarefas dele foi elaborar, em conjunto com economistas e intelectuais, 5 pontos essenciais à retomada do desenvolvimento do país. São eles: 1- o compromisso com a democracia; 2- o compromisso com a soberania; 3- o compromisso com a solidariedade; 4- o compromisso com o desenvolvimento; e 5- o compromisso com a sustentabilidade.

Inspirado no nova-iorquino Bernie Sanders, o pré-candidato democrata que ameaça derrotar no partido a ex-primeira-dama Hillary Clinton com 10 pontos os quais contestam a supremacia de Wall Street.

“Requião, você é o nosso Bernie Sanders do Brasil”, comparou em mensagem o senador Lindbergh Farias (PT-RJ). O petista é um entusiasta da candidatura do colega paranaense à sucessão da presidente Dilma Rousseff (PT).

Os cinco pontos de Requião são o ponto de partida da discussão de uma proposta para economia brasileira. O documento será levado à apreciação de uma pré-convenção do PMDB dos três estados do Sul – Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – no próximo dia 5 de março, em Porto Alegre, data em que o senador completará 75 anos. Já a convenção nacional do partido ocorrerá no dia 12 de março próximo, em Brasília.

Tal qual o democrata Bernie, Requião é o pesadelo dos banqueiros. O senador peemedebista propõe, dentre outras medidas para retomar a economia brasileira, limitar os juros dos cartões de crédito em 15% ao ano ante os 431% atuais.

A seguir, leia a íntegra da proposta de Requião: (mais…)

boas

Em sua coluna semanal, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) traz algumas boas notícias que podem animar a economia nacional neste início de ano. Para começar, o preço da energia elétrica vai cair,  a taxa de juros parou de subir, e o governo disponibilizou R$ 85 bilhões em crédito. Além disso, a atual cotação do dólar ajuda nas exportações, e as reservas nacionais da moeda continuam altas. As medidas de ajuste começam a surtir efeito com redução de despesas sem prejudicar os programas sociais. Gleisi encerra criticando a apologia ao pessimismo e a desconfiança. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Gleisi Hoffmann*

O preço que pagamos pela energia vai reduzir! É isso mesmo, a partir de março teremos, em média, 3% a menos na conta da luz. Pode parecer pouco, mas a aposta de grande parte do mercado é de que iria subir!

A taxa de juros não subiu! É verdade que ainda está muito alta, mas a avaliação majoritária era de que aumentaria meio ponto percentual. Mesmo não tendo sido uma decisão unânime do Banco Central, o indicativo que temos é de que não subirá no futuro. Espera-se, sinceramente, que comece um processo de redução.

O governo anunciou R$ 85 bilhões em crédito, que vão ajudar a animar a economia. Esse é um dinheiro que já está no mercado, não causará mais inflação e o juro será menor mesmo sem subsídio. São os recursos das ditas pedaladas fiscais, que a presidenta devolveu aos bancos públicos de uma só vez. Com isso, terão mais crédito a agricultura, microempresas, pequenas e médias empresas exportadoras. E não venha o mercado afirmar que não há demanda por crédito. Os bancos privados deixam de emprestar e quando o fazem, é com juros estratosféricos.

O dólar está estabilizando na casa dos R$ 4,00. Isso melhora a competitividade brasileira e faz nossa balança comercial permanecer positiva. Exportamos mais do que importamos.

Nossas reservas internacionais continuam a ser a sexta maior do mundo. São U$ 370 bilhões que protegem o país da especulação. Isso é o diferencial que temos diante de outras crises já enfrentadas pelo Brasil. (mais…)

moradoresderua

Em sua coluna desta segunda-feira (8), o deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli (PMDB) fala da situação dos moradores de rua de Curitiba e do “constrangimento” que essa realidade provoca. Romanelli cita as manifestações da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e da Associação Comercial do Paraná (ACP) sobre o problema, que pedem uma solução no sentido da “limpeza” da cidade. O deputado fala também da tímida atuação da Prefeitura através da Fundação de Ação Social (FAS). Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Luiz Cláudio Romanelli*

A liberal Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e a conservadora Associação Comercial do Paraná (ACP), quem diria, uniram forças para  “exigir providências” contra os moradores de rua de Curitiba.

A Abrabar, via Facebook, foi radical: pediu a remoção à força dos moradores de rua. Suspeito que o autor do texto estivesse alguns graus etílicos acima do tolerável. A ACP também  resolveu se manifestar. Mais comedida, a entidade reclamou que  o grande número de moradores de rua em Curitiba causa constrangimento social e  problemas de higiene e pediu providências ao poder público.

As duas entidades verbalizaram o que pensa parte da elite curitibana: a saída para os moradores de rua é se livrar deles, ainda que à força, ou escondê-los para evitar o tal “constrangimento social”.

Mais do que depressa, a presidente da Fundação de Ação Social marcou uma reunião com as entidades para falar sobre as políticas públicas para o atendimento da população em situação de rua. Revelou que a Prefeitura de Curitiba  aumentou  de 615 para 1115 as vagas de acolhimento e pagou 8.670 passagens para que moradores de rua voltassem a suas cidades de origem e garantiu que a Prefeitura vai instalar um guarda-volumes próximo ao terminal Guadalupe, para armazenagem de utensílios de uso pessoal dos moradores de rua. Outra medida:  o cadastro de moradores de rua para uso de banheiros da Urbs em vários locais do Centro.

Como diz a sabedoria popular: seria cômico, não fosse trágico. (mais…)

Charge de Luscar para A Charge Online.

Charge de Luscar para A Charge Online.

Jornais do Pcapaaraná

Gazeta do Povo: Uso do 4G cresce 273% em apenas um ano e ganha espaço do 3G

Folha de Londrina: Fechamento de bancos prejudica população de municípios menores

Jornais de outros estados

Globo: Os deuses do samba

Folha: País caminha para a pior recessão de sua história

Estadão: Oito em nove programas sociais perdem verba

Correio Braziliense: Os que comandam a folia de Brasília

Estado de Minas: Paz e amor na folia

Zero Hora: Com espírito olímpico

corvo_richaO país para no Carnaval, mas o Blog do Esmael segue em frente depois de um breve recesso.

Como o caro leitor pôde perceber durante esse período, a parada técnica foi fundamental para que incrédulos vissem com os próprios olhos que a terra há de comer que esta página não pinta o diabo – no caso o governador Beto Richa (PSDB) – mais feio do que ele realmente é. Pelo contrário. Cada um teve a absoluta certeza de que o “coisa ruim” é feio mesmo!

Nesse hiato veio à tona que o governador tucano está a ser investigado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) devido o rolex nas operações Quadro Negro (corrupção na educação) e Publicano (corrupção na Receita Estadual).

O prejuízo aos cofres públicos pode ultrapassar R$ 1 bilhão nesses dois esquemas, segundo o Ministério Público do Paraná.

Para usar uma expressão da ultradireitista revista Veja, Richa é hoje “o tucano problema” para o sonho do PSDB chegar à Presidência da República.

A publicação da Editora Abril classifica os dois eventos como “propinoduto” do governador tucano, lembra que ele é o pior avaliado do país, de acordo com o instituto Paraná Pesquisas, e avalia que dificilmente o eleitor paranaense o perdoará pelo massacre de professores no ano passado. Além disso, Veja anota que o clima de pressão na Assembleia Legislativa favorece a instalação da “CPI da Operação Quadro Negro” para investigar desvios de R$ 18 milhões que eram destinados à construção de escolas.

Do outro lado da Praça Nossa Senhora da Salete, no Centro Cívico, desembargadores do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), outrora complacentes com Richa, agora avaliam entre si que o governador poderá ir para a cadeia ainda no exercício do mandato. A tese é que, em tempos de Lava Jato, pau que bate em Chico também bate em Francisco em termos de corrupção, ou seja, vale tanto para PT e quanto para PSDB. (mais…)

Em discussão

Agenda

fevereiro 2016
S T Q Q S S D
« jan.    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
29  

Lista de Links

Publicidade

Publicidade

Copyright © 2009-2015 Esmael Morais. Todos os direitos reservados.