Charge do Mario para a Tribuna de Minas

Charge do Mario para a Tribuna de Minas

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

1432716Jornais do Paraná

Gazeta do Povo: Escândalo na Petrobras freia investimentos e ameaça economia

Folha de Londrina: Mata dos Godoy é incluída em estudo sobre mudanças climáticas

Diário dos Campos: Ponta Grossa tem 43 crimes contra patrimônio por dia

Jornal da Manhã: Comerciantes de PG apostam no 13° salário para recuperar vendas

Tribuna do Interior: Mobilização

O Paraná: Desonerações da União afetam investimentos em saúde e educação

Gazeta do Paraná: Câmara rejeita 12 pedidos de impeachment contra Dilma

Diário do Noroeste: APP diculga suspensão das aulas na quarta e Núcleo fala em dia normal

Umuarama Ilustrado: MP investiga se existe uma “farra das diárias” na Câmara de Umuarama

Tribuna do Norte: Mais de 18 mil dependem do Bolsa Família no Vale do Ivaí

Jornais de outros estados

Globo: Fundos de pensão também têm clube para negócios suspeitos

Folha: Rombo de R$ 100 bilhões desafiará novos ministros

Estadão: Líder do PT no Senado recebeu R$ 1 milhão, diz ex-diretor

Correio Braziliense: Something in the way He moves…

Estado de Minas: A lista de Gorgen

Zero Hora: A sangria da corrupção

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

vai Brasil 247

veja

Já ficou manjado, de tão repetitivo. A cada semana, a revista Veja, da Editora Abril, tentará um novo golpe contra a presidente Dilma Rousseff.

Depois de passar pela maior humilhação da história do jornalismo brasileiro, ao ser condenada a publicar um direito de resposta em pleno dia de votação, por tentar, segundo a Justiça, manipular a opinião pública, Veja atacou novamente, neste fim de semana.

A “bomba” é um email de Paulo Roberto Costa para a então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, em que o ex-diretor da Petrobras trata de restrições do Tribunal de Contas da União às obras da Refinaria Abreu e Lima. Na mensagem, Costa propõe que o tema passe pelo Congresso. Segundo Veja, naquele momento, Dilma poderia ter feito parar o chamado “petrolão”.

Em nota, o Palácio do Planalto reagiu. “Depois de tentar interferir no resultado das eleições presidenciais, numa operação condenada pela Justiça eleitoral, Veja tenta enganar seus leitores ao insinuar que, em 2009, já se sabia dos desvios praticados pelo senhor Paulo Roberto Costa, diretor da Petrobras demitido em março de 2012 pelo governo da presidenta Dilma”, diz o texto. “As práticas ilegais do senhor Paulo Roberto Costa só vieram a público em 2014, graças às investigações conduzidas pela Polícia Federal e pelo Ministério Público.” (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

requiao_comunicacao.jpgO senador Roberto Requião (PMDB-PR) cancelou viagem que faria a partir deste sábado (22) para Hanói, no Vietnã, para acompanhar de perto o anúncio do ministério de Dilma Rousseff (PT).

Para consumo externo, o peemedebista afirma que desistiu da viagem por causa do preço caro da passagem: R$ 32 mil. O valor seria custeado pelo Senado devido à natureza diplomática do evento no país asiático.

À revelia da velha mídia — leia-se, Globo, Veja, Estadão, Folha — Requião fora sondado na semana que passou para o ministério da Fazenda (clique aqui). Disse que aceitaria desde que fosse de “porteira fechada” para indicar a equipe econômica. Nada feito. Prevaleceu a tese e os nomes do ex-presidente Lula.

O senador paranaense desistiu da viagem ao Vietnã. Só por causa do preço da passagem? Há quem diga que o velho peemedebista de guerra esteja na espreita à espera de uma convocação de Dilma.

Para onde iria Requião? Fala-se agora que pode assumir o Ministério das Comunicações, o mesmo ocupado hoje pelo arquirrival Paulo Bernardo, para executar uma missão espinhosa: regular a mídia no país.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

Da Agência Lusa, via Agência Brasil
socratesO ex-primeiro ministro português José Sócrates foi detido nesta sexta-feira (22) no âmbito de um processo no qual foram investigados crimes de fraude fiscal, informou, em nota, a Procuradoria-Geral da República (PGR) de Portugal. É a primeira vez na história da democracia portuguesa que um ex-primeiro ministro é detido para interrogatório judicial.

Segundo fontes policiais, a detenção foi feita quando Sócrates chegava ao aeroporto de Lisboa. Além dele, outras três pessoas já tinham sido detidas em diligências feitas nos últimos dias, relatou a PGR.

O inquérito, que está sendo feito no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), incide sobre suspeitas de crimes de fraude fiscal, lavagem de dinheiro e corrupção. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

almirante_gomyde.jpgRicardo Gomyde*

No dia 22 de novembro de 1910 iniciou-se o levante conhecido como “Revolta da Chibata”. Diversos marinheiros brasileiros assumiram o comando das mais importantes embarcações do país: o cruzador Bahia e os encouraçados Minas Gerais, São Paulo e Deodoro e posicionaram-se na Bahia da Guanabara, Rio de Janeiro, apontando seus canhões para a cidade. Pouco tempo antes, em 1888 a escravidão foi abolida, mas ainda persistiam seus reflexos. Na marinha, persistam as punições por açoite de chibatas, o que não era mais aceito pelos marinheiros que cobravam da recente república e do presidente Hermes da Fonseca o seu fim.

No dia anterior a revolta, Marcelino Rodrigues foi castigado com 250 chibatadas por ter-se envolvido em briga e ferido um colega a bordo do “Minas Gerais”. A punição ocorreu na frente dos outros marinheiros o que acendeu o estopim para a revolta. O motim foi agravado com a morte do comandante e mais três oficiais. Chegando a Bahia de Guanabara os marinheiros do “São Paulo” declararam apoio ao levante. Estava iniciada a “Revolta da Chibata”.

O fim dos açoites e melhores condições de trabalho na marinha constavam da carta que foi redigida sobre a liderança do marinheiro João Cândido. Quase todos negros, mulatos e migrantes nordestinos. Entre os dias 22 e 26 de novembro houve pânico na população brasileira, particularmente na cidade do Rio (então capital do Brasil) onde a população fugiu das regiões litorâneas ameaçada pelos canhões. Interessante destacar que parte da população e da imprensa demonstrou simpatia pelas reivindicações dos revoltosos.

O governo de Hermes da Fonseca que meses antes havia assumido após derrotar Rui Barbosa aceitou o que pediam os revoltosos que entregaram armas e embarcações e concedeu anistia a todos. Porém, poucos dias após determinou a exclusão de quase mil marinheiros dos quadros da marinha. A insatisfação retornou e em dezembro eclodiu novo movimento, desta vez na Ilha das Cobras. O governo decretou estado de sítio e massacrou os levantosos. Inúmeras prisões foram feitas.

Mais de 500 marinheiros foram enviados a Amazônia na companhia de mendigos, prostitutas e desocupados para trabalharem na extração da borracha. Boa parte deles morreu na viagem, em virtude de maus tratos ou de fuzilamento. Outro grupo foi trancado em celas solitárias na Ilha das Cobras. A maioria morreu rapidamente, sem água e após respirar cal que os carcereiros jogavam para torturar e asfixiar os prisioneiros. Houve apenas dois sobreviventes: João Lira e João Cândido, líder da “Revolta das Chibatas”.

Preso, excluído da marinha e depois enviado a uma instituição psiquiátrica, saiu de lá quase cego e segundo alguns com problemas mentais. Faleceu em 1969 aos 89 anos.

Hoje esquecido por muitos, vale aqui lembrar deste brasileiro humilde que lutou contra a injustiça em uma revolta que contou com exemplar violência contra rebeldes de classes populares. Aquelas injustiças foram emergindo a figura de um herói popular, o marinheiro João Cândido, o ALMIRANTE NEGRO.

Aldir Blanc e João Bosco imortalizaram esta luta em “Mestre Sala dos Mares”, bela canção, abaixo interpretada por Chico Buarque e Bosco:

*Ricardo Gomyde, ex-candidato ao Senado pelo PCdoB, especialista em políticas de inclusão social. Foi membro da Comissão Organizadora da Copa do Mundo no Brasil em 2014. Escreve nos sábados no Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247
barusco_fhcDepois de ter causado espanto ao declarar que devolveria uma fortuna de US$ 100 milhões (aproximadamente R$ 252 milhões), obtidos irregularmente, aos cofres públicos, o ex-gerente da diretoria de Serviços da Petrobras Pedro Barusco admitiu que recebe propina há 18 anos, desde o início da era FHC, por meio de contratos da estatal. Esse é o motivo, segundo ele, para ter conseguido acumular tamanha fortuna.

Na semana passada, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse sentir “vergonha” do que está acontecendo na Petrobras. “Tenho vergonha como brasileiro, tenho vergonha de dizer o que está acontecendo na Petrobrás”, afirmou.

Barusco admitiu, em delação premiada, que desvia verbas por meio de contratos na estatal do petróleo desde 1996, segundo ano do governo do ex-presidente tucano. Ele também confirmou ter recebido US$ 22 milhões em propina apenas da holandesa SBM Offshore, que trabalha com afretamento de navios-plataforma. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
fausto

Charge do Fausto para o Jornal Olho Vivo

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

cartaJornais do Paraná

Gazeta do Povo: Dilma convida Levy para a Fazenda e adia o anúncio de ministros

Folha de Londrina: Indicações de ministros são bem recebidas pelo mercado

O Diário (Maringá): Chácara de Paolicchi vai a leilão

Diário dos Campos: Expansão depende de acordo entre PG e Embrapa

Jornal da Manhã: MP aciona Município por contratação desnecessária

Tribuna do Interior: Em ordem

O Paraná: Veículos de estrangeiros vão a leilão para liberar pátios no PR

Gazeta do Paraná:  Dilma ‘escolhe’ ministros, mas adia anúncio oficial

Jornal Hoje: Consulta com cardiologista demora quase um ano no SUS

Gazeta do Iguaçu: Ministros se reúnem em Foz para discutir os Jogos Olímpicos

Diário do Noroeste: Ficha Limpa: Nomeados entregam documentação exigida pela administração

Tribuna de Cianorte: Mortes no trânsito reduziram mais de 30% em Cianorte

Tribuna do Norte: Contorno de Arapongas depende de desapropriações

Jornais de outros estados

Globo: Planalto vaza nomes, Bolsa sobe, mas Dilma não confirma

Folha: Dilma convida Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda

Estadão: Dilma escolhe Levy para a Fazenda, mas adia anúncio

Correio Braziliense: Bancada do DF condena blindagem de distritais

Estado de Minas: Com o Brasil no vermelho, Dilma quer Levy na Fazenda

Zero Hora: Anúncio adiado, mas nomes de equipe vazam

Capas de revistas:

CartaCapital: Mãos sujas, Lava Jato

Veja: De: Paulo Roberto – Para: Dilma Rousseff

IstoÉ: PF conclui que dinheiro desviado foi para o caixa das campanhas

Época: O Próximo alvo

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

baiano_fhc.jpgO empresário Fernando Antonio Falcão Soares, o Fernando Baiano, apontado pela Operação Lava Jato como lobista do PMDB na Petrobras, em esquemas de propinas e corrupção, afirmou nesta sexta-feira (21), em depoimento na Polícia Federal, que começou faz negócios com a estatal ainda no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), no ano de 2001.

“Por volta do ano de 2000, ainda durante a gestão Fernando Henrique celebrou um contrato com uma empresa espanhola, de nome Union Fenosa”.

Baiano disse que fez doações para campanhas políticas a pedido de Alberto Youssef, mas negou que tenha “operado” para partidos ou repassado valores ao doleiro.

Fernando Baiano revelou que conheceu Nestor Cerveró, da Área Internacional da Petrobras, “ainda no governo Fernando Henrique”.

A Polícia Federal tenta encontra elo entre compra da refinaria Pasadena, nos Estados Unidos, Cerveró e Baiano.

Com informações do Estadão.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

befunky_artwork.jpg

A presidenta Dilma Rousseff deu um novo drible na imprensa e no mercado, e não irá anunciar a equipe econômica para seu segundo mandato nesta sexta-feira. A informação é da assessoria do Palácio do Planalto.

Desde a vitória no segundo turno no final de outubro, Dilma vem sendo pressionada a anunciar a nova equipe econômica para “acalmar o mercado”, mas ela não acusou a pressão.

O anúncio dado como certo pela imprensa para o fim de tarde desta sexta-feira foi desmentido pelo Palácio do Planalto e não estava previsto na agenda oficial.

A nova equipe deverá contar com o ex-secretário do Tesouro no governo Lula, Joaquim Levy, no Ministério da Fazenda; Nelson Barbosa, ex-secretário executivo da Fazenda, é tido como certo no Planejamento; e Alexandre Tombini poderá continuar no Banco Central.

Também são cotados a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para o Ministério da Agricultura e o senador Armando Monteiro (PTB-PE), para o Desenvolvimento e Indústria.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

fruet_camara_diorio.jpgO prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), pisou o freio e só vai mexer no secretariado em janeiro de 2015. Ele vai esperar o desfecho da disputa pela presidência da Câmara de Vereadores.

Até agora, três pré-candidatos se apresentam para a eleição de 16 de dezembro: Pedro Paulo (PT), Pastor Valdemir Soares (PRB) e Ailton Araújo (PSC).

A Prefeitura teme uma nova crise política no legislativo municipal (clique aqui).

Salvo modificações pontuais, como a que alçou o arquiteto João Carlos Diório para a Superintendência da Secretaria Municipal de Governo, os integrantes do primeiro e segundo escalões não morrerão como perus na véspera de Natal.

Fruet tem em mente uma “reforma agrária” no secretariado. Pretende buscar partidos que estão fora do governo, como PMDB e PCdoB, para o primeiro escalão. Também ampliará a participação do PT na gestão, pelos motivos já anotados aqui no Blog do Esmael (clique aqui).

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

dilma_levy.jpgA presidenta Dilma Rousseff deverá anunciar ainda nesta sexta-feira (21) os primeiros nomes para o ministério.

A expectativa é que o ex-secretário do Tesouro no governo Lula, Joaquim Levy, assuma a Fazenda.

Nelson Barbosa, ex-secretário executivo da Fazenda, é tido como certo no Planejamento.

Alexandre Tombini poderá continuar no Banco Central.

A presidenta também pode anunciar hoje a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) para o Ministério da Agricultura.

O senador Armando Monteiro (PTB-PE), derrotado na disputa pelo governo do Pernambuco, é cotado para o Desenvolvimento e Indústria.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

RicardoSemler.jpgO empresário Ricardo Semler, que se diz tucano e eleitor de Aécio Neves, em artigo publicado na Folha de S. Paulo, edição desta sexta-feira (21), afirma “nunca se roubou tão pouco” no país. Ele conta casos de propinas na Petrobras desde os anos 70.

“Agora tem gente fazendo passeata pela volta dos militares ao poder e uma elite escandalizada com os desvios na Petrobras. Santa hipocrisia. Onde estavam os envergonhados do país nas décadas em que houve evasão de R$ 1 trilhão –cem vezes mais do que o caso Petrobras– pelos empresários?”, diz um trecho do artigo.

Abaixo, leia a íntegra: (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

fruet_dilma_richa.jpgMuito se fala na reaproximação do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), com o governador Beto Richa (PSDB), ambos separados no ninho pelas circunstâncias conjunturais das eleições de 2012. Nesta sexta-feira (21), o Blog do Esmael foi à luta por informações que confirmassem ou desmentissem esse “namoro”.

A matemática é mais cruel para aqueles que advogam pela reaproximação do pedetista com o tucano.

No último ano e dez meses de gestão Fruet, a Prefeitura de Curitiba investiu em obras R$ 1,2 bilhão. Desses recursos, R$ 850 milhões vieram do governo federal comandado por Dilma Rousseff (PT), R$ 350 milhões são de dinheiro próprio e apenas R$ 50 milhões de origem no governo do estado, ou seja, uma mixaria liberada por Richa.

De acordo com o balanço parcial, a parceira entre o PT e o prefeito Gustavo Fruet está fazendo bem para a capital de todos os paranaenses. A avaliação é consenso no Palácio 29 de Março, sede do executivo municipal. Portanto, a tendência é que a aliança entre pedetistas e petistas continue em 2016.

A briga de foice, no PT, será pela vice de Fruet. Correntes internas, a exemplo de 2012, deverão colocar a faca entre os dentes para tomar o lugar da atual Mirian Gonçalves, que, por óbvio, tentará defender a posição.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

do Brasil 247
gilmar_petrobras_fhcHá oito anos, quando pôde alterar as regras de concorrência na Petrobras e, assim, tornar mais forte o controle de contratações na maior estatal brasileira, o ministro do STF Gilmar Mendes “assinou decisão liminar que autorizava a empresa a usufruir das imensas liberalidades do regime especial de licitações”, resgata Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília. Ontem, reportagem do 247 apontou que a lei do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afrouxou controles na Petrobras (leia aqui).

O regime especial, ressalta o jornalista, é conhecido pela frouxidão, “vista como uma porta aberta para o impressionante conjunto de práticas escandalosas que têm sido denunciadas pela Operação Lava Jato”. “Vista em retrospecto, pode-se dizer que com a decisão Gilmar perdeu uma excelente oportunidade para dificultar o trabalho dos empreiteiros e executivos acusados de manipular cofres da Petrobras”, avalia PML. (mais…)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

richa_uel_cortes.jpgEnquanto o governador Beto Richa (PSDB) curte férias prolongadas no Caribe, a tradicional Universidade Estadual de Londrina (UEL) corre o risco de ser fechada por falta de repasses de recursos orçamentários. De R$ 26,6 milhões previstos para o ano de 2014, até agora, somente 11,8 milhões foram liberados à instituição. Isto representa apenas 45% do valor autorizado na lei orçamentária.

A UEL tem mais de 40 anos de existência e a comunidade universitária é formada por cerca de 30 mil pessoas (professores, estudantes e funcionários). A universidade oferece 70 cursos de graduação.

O Blog do Esmael teve acesso a uma carta da administração da UEL em que relata à comunidade universitária a impossibilidade de honrar compromissos básicos, tais como pagamento das contas de água, luz e telefone. Sem esses serviços essenciais, a universidade poderá ter um fim melancólico e fechar as portas.

No documento assinado pelo Conselho de Administração da UEL, é apontada uma resolução do governo Beto Richa, de 17 de outubro deste ano, que obriga a instituição a cortar 30% das despesas do orçamento. Mas o diabo é que o tesouro estadual tem liberado bem menos do que foi combinado.

A UEL vem sofrendo com o descaso do governo tucano desde a sua reeleição em outubro. No começo deste mês, por exemplo, o Blog do Esmael registrou novo calote na universidade de Londrina que a obrigou a suspender o PDE (Programa de Desenvolvimento Educacional), destinado à formação de professores (clique aqui). A sacanagem (cortes no orçamento) também atinge outras universidades como Unioeste e Unicentro.

Você acha que está uma desgraça geral, caro leitor? O próprio governador Beto Richa responde: “O melhor está por vir…”.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

barao_pasadena_mac.jpgRicardo Mac Donald*

Parece estranho no episódio da Petrobras que a questão da compra da refinaria de Pasadena esteja passando ao largo de questionamentos legais.

Se Estados Unidos, Holanda e Suíça estão dando atenção e tomando providências quanto às irregularidades, por que não acionar também a Bélgica?

Já temos material suficiente no Judiciário e na Polícia Federal demonstrando que a venda foi feita mediante pagamento de suborno, hiperfaturamento e fraude documental.

Ora! É comezinho no Direito Administrativo que o ato praticado com vício pelo administrador público é nulo. Cabe, portanto, ação de anulação da compra de Pasadena, com ressarcimento de danos e responsabilização civil e criminal dos envolvidos, aqui e na Bélgica.

Não me parece que a Bélgica, país de larga tradição democrática, deixaria de agir nesse caso, apenas por respeito ao seu maior bilionário, o Barão Albert Frére, que possui uma fortuna de 5 bilhões de dólares, é amante de vinhos (dono do francês Chateau Cheval Blanc), e que comprou Pasadena, em 2005, por módicos 42,5 milhões de dólares.

Esse Barão já operou o milagre de vender uma cadeia dos sanduíches belgas Quick, criada por ele em 1971, para o governo francês, durante o mandato do Presidente Nicolas Sarkozi, e responde processo por isso.

Hoje o prejuízo para nós brasileiros é de 820 milhões de dólares, pagos a mais pela velha refinaria. Mas esse prejuízo, como disse, pode e deve ser recuperado.

Repito: como acontece com os EUA, Holanda e Suíça, a Bélgica não se furtará a agir. O que preocupa é o silêncio e a inércia das autoridades brasileiras.

*Ricardo Mac Donald Ghisi é advogado, secretário Municipal de Governo de Curitiba. Escreve às sextas no Blog do Esmael.

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
thomate

Charge do Thomate para A Cidade (Rio Preto)

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS

A1-21-11-2014Jornais do Paraná

Gazeta do Povo: Governo terá de aumentar impostos para fechar contas

Bem Paraná: Que droga!

Jornal Metro: Redução acaba e IPI de carro aumenta em 2015

Jornal de Londrina: Apagão na UEL

Folha de Londrina: Jovens contrariam queda da mortalidade no trânsito

Diário dos Campos: Inadimplência cresce 7% no comércio de Ponta Grossa

Jornal da Manhã: PG terá mais R$ 15 mi em investimento da Compagas

Tribuna do Interior: Limpeza no rio

O Paraná: Empresas paranaenses esperam crise e aumento do desemprego

Gazeta do Paraná: Presos no “Lava Jato” querem Moro fora

Jornal Hoje: Apagões constantes põem em risco a pecuária leiteira

Gazeta do Iguaçu: Gleisi debate em Foz free shop e plano de manejo do parque

Diário do Noroeste: Chuva volta a provocar transtornos em Paranavaí

Tribuna de Cianorte: Ações trabalhistas em Cianorte cresceram mais de 15% neste ano

Umuarama Ilustrado: Ações trabalhistas em Cianorte cresceram mais de 15% neste ano

Tribuna do Norte: Dois assassinatos em menos de 3 horas

Jornais de outros estados

Globo: Bloqueio em contas equivale a 7% do estimado pela PF

Folha: Banqueiro recusa convite de Dilma para ministério

Estadão: Investigados na Lava Jaro têm R$ 47 milhões bloqueados

Correio Braziliense: As canções que Brasília quer ouvir

Valor: Economia fraca e dólar forte derrubam lucros

Estado de Minas: BC bloqueia R$ 45 mi de 16 investigados

Zero Hora: R$ 47 mi bloqueados em contas de suspeitos

Compartilhe esta informação
  • Print
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • email
  • Live
  • PDF
  • RSS
Copyright © 2009 Blog do Esmael. Todos os direitos reservados.
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});