12 de março de 2018
por Eugênio Aragão
Comentários desativados em Paraná é o Estado com menos delegados por habitante no Brasil

Paraná é o Estado com menos delegados por habitante no Brasil


O Paraná é o Estado que possui menos delegados de polícia por habitante para atender a população. Dos 780 cargos de delegado de Polícia Civil do Estado, somente cerca 410 estão preenchidos. Há defasagem de mais de 370 delegados. Por outro lado, há 150 aprovados em concurso público que aguardam nomeação desde 2014. ... 

Leia mais

16 de abril de 2016
por admin
3 Comentários

Coletes falsificados e assassinato de agricultores no governo Richa

coletesmstEnquanto todos estão atentos ao golpe em Brasília, o governo Beto Richa (PSDB) segue com os absurdos dos coletes vencidos, pondo em risco a vida dos policiais, e os assassinatos de trabalhadores rurais sem terra. Leia e ouça abaixo na coluna de Jorge Bernardi (REDE). Leia mais

3 de março de 2016
por admin
7 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: “Quem avisa, amigo é”

Reinaldo de Almeida César*

Não se sabe ao certo se a voz do povo é a voz de Deus. A velha expressão latina “vox populi, vox Dei” é muito contestada, desde sua origem, seja na referência ao deus Hermes, seja em relação à carta do monge Alcuíno para Carlos Magno.

Atenção aqui, prezados leitores, trata-se do deus Hermes da mitologia grega (depois o deus Mercúrio para os romanos) e não o deus Thierry Hermès, cultuado pelos novos e velhos ricos, que frequentam o eixo Centro Cívico-Faubourg Saint-Honoré, à procura de uma Birkin ou de uma gravata de seda em tom laranja, como se estivessem em busca do Santo Graal.

No entanto, a sabedoria popular, consagrou um outro adágio, conhecido por “quem avisa, amigo é”, este sim, verdadeiro e circulante há muitos anos na comunicação popular, leiga e profana.

Aqui, nesta terra de Araucárias, não se consegue entender como o governo não é sacudido um milímetro sequer por este sábio provérbio.

Um dos melhores amigos do governador, Tony Garcia, e o cunhado de Sua Excelência, Avelino Neto, preocupados com o que visualizavam, alertaram o chefe do Executivo sobre erronias na gestão. A propósito, para que não se perca a oportunidade, diga-se que tratam-se de dois boas praças, empresários de sucesso, que sempre me distinguiram com generosos gestos de amizade, pelos quais tenho profundo respeito e que claramente desejam, nas opiniões que emitem nas redes sociais, apenas o melhor para o governador e para o Paraná.

Na área da segurança pública, “quem avisa, também amigo é”.

No mome Leia mais

24 de dezembro de 2015
por admin
20 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: A restauração do delegado Michelotto e os ataques de Mauro Ricardo

Reinaldo Almeida César*

Registo aqui meu apoio e aplauso para a lúcida decisão do delegado geral e do Conselho da Polícia Civil, restaurando a dignidade pessoal e profissional do delegado Marcus Vinícius da Costa Michelotto, designando-o para a direção do Instituto de Identificação.

A decisão unânime do colegiado no Tribunal de Justiça é reta e clara. Todo procedimento instaurado em desfavor de Michelotto deve ser trancado por ausência de justa causa, nos termos do voto proferido pelo relator Marcel Rotoli de Macedo, cujos conhecimentos jurídicos e tradição familiar no Direito o iluminaram na correta decisão.

Logo, não há qualquer razão para impor a Michelotto (e sua família) uma espécie de tortura, pena ou castigo infamante, próprios do Código Filipino, que regia entre nós nos tempos do Brasil colônia.

Conheço o Delegado Michelotto há quase trinta anos.

Quando estava iniciando minha carreira no magistério, como assistente do Professor René Dotti, lecionei na turma onde ele era aluno, na Faculdade de Direito.

Nessa época, lembro-me que ele dividia os encargos do estudo universitário com a função de bancário, no Bamerindus, onde conheceu sua esposa e companheira de sempre, Cristine.

Depois acompanhei, à distância, sua trajetória de êxitos na Polícia Civil e na Secretaria de Defesa Social de Curitiba.

Faço justiça ao governador Beto Richa, ao rememorar que tive ampla autonomia e absoluta carta branca para compor minha equipe na SESP, no final de 2010.

Escolhi pessoalmente, sem qualquer sugestão, interferência ou pedido – e assumo a responsabilidade das escolhas – os comandantes da PM (coronéis Scheremetta e, depois, Bondaruk), os comandantes do Corpo de Bombeiros (coronéis Domaneschi, Donadello, Ferreira e Pombo), o diretor da Criminalística (Antonio Siqueira), do IML (Porcídio Vilanni), do Instituto de Identificação (Newton Rocha) e do GRAER (coronel Orlando Artur).

Não tive um insta Leia mais

3 de dezembro de 2015
por admin
17 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: A sanha arrecadatória estilo “biruta de aeroporto” de Beto Richa

Reinaldo Almeida César*

Depois de fazer de Curitiba a campeoníssima da inflação pela escorchante elevação de impostos, depois de raspar a ParanaPrevidência e de meter a mão grande no Fundo Especial de Segurança Pública do Estado do Paraná (FUNESP), o governo estadual agora anuncia um bingão de prêmios, a fim de manter o entusiasmo dos incautos consumidores que acreditaram no Programa Nota Paraná e que saíram, eufóricos, pedindo a inclusão do CPF ao tilintar das caixas registradoras.

O risco de frustração dos que aderiram é enorme. Os sedutores descontos antes acenados, agora são revelados com a frieza da realidade. Estão muito longe dos percentuais prometidos. O que se esperava ver se materializar em generosos reais de retorno, pode se tornar míseras moedas de  centavos.

Nesta sanha arrecadatória, o governo não teve freios inibitórios em colocar no balcão da feira, em oferta, dezenas de imóveis que pertencem ao patrimônio dos paranaenses.

Até mesmo a Granja do Canguiri — não fosse a boa intervenção do líder Romanelli (PMDB) — teria sido passada nos cobres.

Dizem alguns historiadores que foi o excesso de pudor e de caráter de Bento Munhoz da Rocha Netto que impediu a construção da ala residencial no Palácio Iguaçu, pelo constrangimento de ter sido governador já residente em imóvel próprio em Curitiba antes de assumir o cargo, ainda que parnanguara de nascimento.

O afoito gestor que pensou em se livrar do Canguiri, em troca de algum dinheiro, talvez não conheça nossa história.

Como neste desiderato de vender dezenas de imóveis o governo também manteve seu estilo “biruta de aeroporto”, modificando e reduzindo, em contramarcha, a relação inicial dos imóveis, permito-me fazer um apelo à reflexão.

Ao invés de se desfazer do terreno que abrigou a sede histórica da quase bicentenária Polícia Civil na Barão do Rio Branco, que tal o governo se debruçar na retomada dos estudos apresentados pelo Programa Paraná Seguro, para que as áreas centrais de Curitiba que pertencem à Polícia Civil — como o terreno que agora se pretende vender e a área do 1. DP — sejam permutadas por áreas construídas na Vila Izabe Leia mais

26 de agosto de 2015
por Esmael Morais
22 Comentários

Coluna do Reinaldo de Almeida César: “Quem mandou bater nos professores? Fala, Francischini!”

Reinaldo de Almeida César*

Download

Como se fosse uma boa decantação, uma filtragem a jorrar água límpida, as coisas começam a se normalizar, a ficar cristalinas, na área da segurança pública.

Alguns fatos são reveladores de novos e arejados tempos, depois da confirmação do Secretário Wagner Mesquita no cargo.

Na solenidade de comemoração dos 161 anos da PM, o governo anunciou a retomada dos investimentos no setor. Já era hora, depois da tungada nos recursos da SESP, com a extinção do Fundo Estadual de Segurança Pública, o FUNESP.

Além disso, em entrevista coletiva, o comandante geral da corporação, o competente Coronel Maurício Tortato, garantiu que os quase 3.000 aprovados no concurso da PM, que aguardam chamamento serão, finalmente convocados, a partir de janeiro de 2016.

Em comunicado público, o Presidente da Comissão de Segurança Pública na Alep, Deputado Mauro Moraes (PSDB) – que, justiça seja feita, é sempre dedicado e zeloso com as questões que envolvem policiais e a SESP – assegurou que obteve do governador e do secretário da Fazenda, o compromisso de que o governo vai zerar seu débito com promoções, progressões e remoções de policiais e bombeiros militares e que, até o final deste ano, o Estado quitará todas as dívidas na área da segurança.

Esta coluna estará vigilante em relação a todos estes anúncios. Como se diz lá em Ponta Grossa, mutuca tira o boi do mato.

***

Ainda pelas bandas da PM, outra boa nova trazida na solenidade de outorga de comendas e medalhas foi saber que a lista de agraciados com a mais alta honraria concedida pela PM, a Medalha Coronel Sarmento, pelo menos neste ano, parece ter sido mais criteriosa. Desta feita, corri os olhos e não vi na lista nenhum suposto primo.

***

Por falar nos 161 anos da PM, vale lembrar que historiadores apontam a Polícia Civil e a Polícia Militar como os mais antigos órgãos públicos do Paraná, criados logo na sequência da emancipação política do Estado.

O triste é constatar que, passados quase dois séculos, a Polícia Civil do Paraná não possui sede administrativa própria, obrigando sua cúpula diretiva e servidores da alta direção à se sujeitarem a um prédio alugado, sem qualquer condição de trabalho e que, se observado algum rigor fiscalizatório, talvez nem alvará de funcionamento pudesse ter. Só falta agora me dizerem que a locação do imóvel teria sido renovada, a um custo altíssimo.

Para corroborar que as coisas começam a caminhar melhor, é só observar que boas figuras nas duas instituições começam a ser melhor aproveitadas, tendo havido o reconhecimento de suas formações, habilidades e currículos. Veja-se o exemplo do Coronel Pericles Mattos, que assumiu o Primeiro Comando Regional da PM e dos Delegados Rafael Vianna e Rogerio Lopes, o primeiro assumindo a chefia da especializada de Furtos e Roubos, e o segundo, emprestando sua vocação acadêmica na direção da Escola Superior de Policia Civil.

***

Muito grave a Leia mais

4 de agosto de 2014
por Esmael Morais
21 Comentários

Polícia Civil do Paraná pode ser despejada devido a calote em aluguéis

Humilhante pedido de despejo da Polícia Civil, devido calote em aluguéis, se soma à s cenas humilhantes de policiais militares empurrando viaturas sem combustível em várias cidades do Paraná; governo Beto Richa deixou de pagar proprietários de imóveis em Curitiba (Departamento da Polícia e o Instituto de Identificação), em Ponta Grossa, Cianorte e Campo Mourão; há crise que dure para sempre?

Humilhante pedido de despejo da Polícia Civil, devido calote em aluguéis, se soma à s cenas humilhantes de policiais militares empurrando viaturas sem combustível em várias cidades do Paraná; governo Beto Richa deixou de pagar proprietários de imóveis em Curitiba (Departamento da Polícia e o Instituto de Identificação), em Ponta Grossa, Cianorte e Campo Mourão; há crise que dure para sempre?

O Blog do Esmael recebeu informação nesta segunda-feira (4) de que quatro unidades da Polícia Civil do Paraná poderão ser despejadas devido a calote dado pelo governo Beto Richa (PSDB) em aluguéis. ... 

Leia mais