15 de outubro de 2015
por admin
11 Comentários

Deputado Aliel, da Rede, assina pedido de cassação contra Cunha

alielDiferente do que muitos podem pensar, a Rede Sustentabilidade, partido criado por Marina Silva, é contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) e a favor da cassação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O deputado federal Aliel Machado, recém-filiado à Rede aqui do Paraná, assinou ontem (14) o pedido de abertura de processo por quebra de decoro contra Cunha. A representação, que foi protocolada na Comissão de Ética da Câmara, já conta com dezenas de assinaturas de parlamentares de vários partidos.

O pedido de cassação de Cunha foi iniciativa dos partidos PSOL e REDE, por avaliarem que Cunha mentiu durante depoimento na CPI da Petrobras, quando disse que não possuía contas além das que havia declarado, o que é considerado quebra de decoro.

28 de agosto de 2014
por esmael
20 Comentários

O que é mais grave: o voo de Vargas ou o jato do PSB?

via Brasil 247

Dois pesos e duas medidas. à‰ assim que o deputado federal André Vargas (sem partido-PR) enxerga seu processo, quando o compara a outras atividades irregulares na política. Desta vez, o parlamentar, que teve sua cassação pedida pelo colega Júlio Delgado (PSB-MG) no Conselho de à‰tica da Câmara por ter tomado emprestado o avião do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, vê diferença de tratamento entre o episódio vivenciado por ele e o do jato do PSB.

O partido de Delgado, relator de seu processo de cassação na Câmara, usava desde maio um avião adquirido por recursos de caixa dois, pago por empresas fantasmas. Uma delas era uma peixaria falsa. Outra, que assumiu a compra da aeronave, a Bandeirantes Pneus, importava pneus chineses, causava danos ambientais e chegou a ser favorecida por benefícios fiscais pelo ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB).

O Cessna Citation levava Campos ao litoral paulista no último dia 13, quando caiu e causou a morte do então candidato e mais seis pessoas, trazendo também o escândalo à  tona. O uso do avião pelo partido, que fala em empréstimo de empresários amigos de Campos, não era declarado à  Justiça Eleitoral. A nova candidata do PSB, Marina Silva, defensora da “nova política”, também usou a aeronave irregular durante a campanha.

Diante da hipocrisia, Vargas protestou: “Júlio Delgado pediu minha cassação por um voo. Agora podia explicar por que seu partido usava um avião de empresas fantasmas”. Em entrevista concedida ao jornal O Estado de S. Paulo no início de agosto, ele lembrou de outro caso: a construção de um aeroporto pelo presidenciável Aécio Neves em terras que pertenciam a sua família quando era governador de Minas Gerais. E constatou: “se Aécio fosse do PT, já teriam pedido cassação”.

20 de agosto de 2014
por esmael
8 Comentários

Conselho de à‰tica aprova pedido de cassação de André Vargas

via Agência Brasil

Por unanimidade o Conselho de à‰tica e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados aprovou hoje (20) o pedido de cassação do mandato de André Vargas (sem partido-PR). O relatório do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) foi apresentado no ultimo dia 5. recomendando a punição do parlamentar, investigado por manter relações com o doleiro Alberto Youssef e por intermediar, com o Ministério da Saúde, contratos em favor do laboratório Labogen, de Youssef.

O doleiro foi preso em março pela Polícia Federal, na Operação Lava Jato, por participação em esquema de lavagem de dinheiro.

Delgado esperava ter aprovado o parecer no início do mês, mas o pedido de vista por quatro parlamentares adiou a análise do caso por duas sessões do plenário. A expectativa era que o parecer fosse votado somente em setembro. Com a decisão de hoje, Vargas pode recorrer em cinco dias úteis à  Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), com efeitos suspensivos.

Em nota, Vargas confirmou que vai recorrer à  CCJ. O ex-deputado garantiu, no colegiado, que não houve quebra de decoro e disse que o processo foi conduzido com açodamento e politização excessiva. Ele havia antecipado, no início deste mês, que recorreria à  CCJ e ao Supremo Tribunal Federal (STF)!  por considerar que houve cerceamento de seu direito de defesa.

Para conseguir que o parecer fosse votado com quórum de 11 parlamentares, o deputado Rubens Bueno (PPS-SP) foi indicado pelo PSB como membro do conselho, em manobra que Vargas considerou antirregimental. “à‰ revoltante, Qual seria o prejuízo de marcar a votação no esforço concentrado? A pressa é inimiga da legalidade”, afirmou Vargas.

No início da tarde, para tentar ganhar tempo e formar o quórum mínimo de 11 parlamentares presentes, o colegiado inverteu a ordem da pauta e antecipou o depoimento do gerente da agência da Caixa Econômica Federal no Anexo 4 da Câmara dos Deputados, Douglas Alberto Bento.

Bento não pôde dar detalhes solicitados pelos parlamentares sobre as contas do do deputado Luiz Argôlo (SDD-BA), que está sendo investigado pelo conselho, e de seu chefe de gabinete, Vanilton Bezerra. O gerente, que foi indicado como testemunha pela defesa de Argôlo, alegou sigilo bancário e negou manter relações pessoais com o parlamentar.

A falta de esclarecimentos gerou críticas e acusações de que a defesa do parlamentar investigado estaria protelando o caso. O relator do processo contra Argôlo, deputado Marcos Rogério (PDT-RO), decidiu convidar, pela última vez as

22 de Abril de 2014
por esmael
7 Comentários

Conselho de à‰tica da Câmara votará hoje parecer contra Vargas

Agência Câmara O Conselho de à‰tica e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados reúne-se hoje, para a apresentação, discussão e votação do parecer preliminar do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) na representação por quebra de decoro contra o deputado licenciado André Vargas (PT-PR).

Júlio Delgado já adiantou que seu parecer será pela admissibilidade do processo. A representação do PSDB, DEM e PPS pede a investigação das denúncias de envolvimento de André Vargas com o doleiro Alberto Youssef, preso durante a operação Lava Jato, da Polícia Federal, contra a lavagem de dinheiro.

Se for aprovado o parecer preliminar, Vargas será notificado e, só aí, começa a contar o prazo de 10 dias para a entrega da sua defesa escrita. Neste documento, ele vai sustentar seus argumentos, apresentar provas e indicar testemunhas de defesa, no número máximo de oito.

Na quarta-feira, Vargas oficializou, por meio de carta à  Mesa Diretora, sua renúncia ao cargo de 1!º vice-presidente da Câmara. O documento, no entanto, tem a data do dia 9 de abril, quando o deputado anunciou que renunciaria ao cargo, mas não oficializou o pedido.

A reunião do Conselho de à‰tica ocorrerá no plenário 9, a partir das 16 horas.

16 de Abril de 2014
por esmael
14 Comentários

Vargas vai pedir a ‘suspeição’ de relator no Conselho de à‰tica na Câmara

O deputado federal André Vargas (PT-PR), vice-presidente da Câmara, ao desistir da renúncia ao mandato, ontem, concomitantemente, decidiu partir para o contra-ataque. Depois do feriado de Páscoa, uma das primeiras ações da defesa do petista será pedir a suspeição do relator da cassação no Conselho de à‰tica na Câmara, deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que, em entrevistas à  imprensa, reiteradas vezes já emitiu sentença condenatória contra o colega de parlamento.

Delgado é homem de confiança do ex-governador Eduardo Campos, de quem é correligionário no PSB, que vai disputar a Presidência da República com o PT em outubro. Em entrevista à  rádio CBN, do sistema Globo, o relator admitiu vantagem política ao seu candidato com a cassação do deputado do PT.

O processo foi aberto na semana passada e deve ser concluído pelo colegiado em 90 dias. Vargas é acusado de relações suspeitas com o doleiro Alberto Youssef. Delgado sinalizou diversas vezes que pedirá a cassação do mandato de Vargas.

André Vargas tem algo a ver com corrupção na Petrobrás? Nada. Com lavagem de dinheiro? Nada. Tem a ver com o que mesmo? Com um passeio !“ condenável !“ de jatinho até João Pessoa com a família!, disse no fim de semana o jornalista Paulo Moreira Leite, colunista da revista Istoà‰.