5 de fevereiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Túmulo de Marx sofre ataque em Londres

Túmulo de Marx sofre ataque em Londres

O túmulo do pensador e revolucionário alemão Karl Marx sofreu uma ataque nesta terça-feira (5). Marx está sepultado no cemitério de Highgate, em Londres.  ... 

Leia mais

7 de janeiro de 2019
por Esmael Morais
Comentários desativados em Vestibular da Fuvest usa textos de Karl Marx e Chico Buarque

Vestibular da Fuvest usa textos de Karl Marx e Chico Buarque

Ignorando a orientação do governo do ultradireitista Jair Bolsonaro (PSL) de acabar com o “marxismo cultural” nas universidades, a segunda fase da prova do vestibular da Fuvest para a Universidade de São Paulo (USP), que aconteceu neste domingo (6), teve textos de Karl Marx, Chico Buarque e tirinha de Laerte.

LEIA TAMBÉM:

Faustão esculhamba Bolsonaro ao vivo na Globo; assista ... 

Leia mais

5 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Só Marx explica os privilégios no judiciário brasileiro

Só Marx explica os privilégios no judiciário brasileiro

Comemora-se neste sábado (5) duzentos anos do nascimento de Karl Marx, o filósofo alemão que decifrou a morte do feudalismo e o nascente capitalismo, bem como conjecturou sua superação com a revolução proletária. A formulação teórica, imortalizada no Manifesto Comunista de 1848, explica nos dias de hoje os privilégios do judiciário brasileiro que esta semana se manteve imune por meio do foro por prerrogativa de função — o famigerado foro privilegiado.

Tal qual a proclamação de 170 anos atrás, no Manifesto Comunista, que se levantava contra a outrora classe emergente, a burguesia, encontra eco no Brasil atual haja vista que as conquistas do Estado Social, a partir da Revolução de 1930, posteriormente positivadas como direitos na Constituição Cidadão de 1988, foram defenestradas recentemente para deixar intactos os privilégios dessas castas dignas da idade medieval.

Quando se fala em privilégio de castas não se trata de figura de linguagem, retórica lançada ao vento. Pelo contrário. A manutenção do status quo para cerca de 20 mil juízes e 27 mil integrantes do Ministério Público, que além de inalcançáveis pelas leis destinadas aos reles mortais, eles também autoconcedem uma rede de privilégios como auxílio-moradia, férias de 60 dias, verbas indenizatórias, etc., etc., etc., algo impossível para um trabalhador assalariado. “Um paraíso, com a diferença de que o magistrado continua vivinho da Silva”, ironiza um congressista ouvido pelo Blog do Esmael.

Ou seja, nos últimos dois anos houve um retrocesso inimaginável no país rumo ao pré-capitalismo, que retirou direitos dos trabalhadores e da massa de brasileiros pobres, visando garantir para poucos a manutenção de nababescas condições as quais foram materializadas esta semana no foro privilegiado para mais de 50 mil agentes públicos (menos os senadores e deputados, que somam apenas 594 almas).

Marx idealizou a ditadura do proletariado — a classe social majoritária sobrepondo-se a minoritária, a burguesia — mas o que vemos no Brasil, hoje, é a ditadura do judiciário, que cria as leis e direitos (para si própria); retira direitos (dos trabalhadores); manda soltar e prender (adversários); faz política; enfim, governa o país diante de um governo fraco parido pelo golpe de Estado.

Quem melhor sintetizou esse quadro de privilégios e de ditadura da toga, análogos à nobreza feudal, da qual Marx falava, não foi nenhum comunista. Foi o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ao prolatar seu voto que decidiu pela manutenção do foro privilegiado para mais de 50 mil servidores públicos. Assista ao vídeo:

Leia mais

30 de dezembro de 2017
por Esmael Morais
5 Comentários

A luta de classes foi “redescoberta” em 2017

A luta de classes aflorou neste ano de 2017 e tende a agudizar no alvorecer no Ano Novo, 2018, época de eleições presidenciais no Brasil.

Se sob o PT houve certa “conciliação” dos atores desta luta de classes — capital versus trabalho –, no período de Michel Temer, cujo golpe teve o propósito de facilitar o neoliberalismo, essa trégua caiu por terra e estas contradições foram aprofundadas.

Em curtíssimo espaço de tempo o trabalho sofreu ataques estruturais inimagináveis, a exemplo da reforma trabalhista que criou uma espécie de semiescravagismo em pleno século XXI; o fim da aposentadoria está em curso com a reforma da previdência; congelamento de investimentos públicos por 20 anos; redução de salários e desemprego aumentando; privatizações; etc.

O conceito de Karl Marx para luta de classes envolve a economia, a política, a opinião pública, enfim, a disputa pela sociedade é submetida a uma ideologia dominante. Por sua vez, ideologia nada mais é do que a falsa representação da verdade.

A liderança de Lula em todas as pesquisas para voltar a presidir o Brasil é um dos indícios desta redescoberta da luta de classes, mas a burguesia com seu capital ainda tem o poder da repressão estatal (polícia e judiciário) aliado à mídia. E é com isso que ela vai jogar em 2018. Vide a proibição de manifestação no entorno do TRF-4, em Porto Alegre, durante o julgamento do ex-presidente.

A “redescoberta” da luta de classes — que estava tão esquecida nesta época de pós-modernismo — pode ser importante chave para derrotar o golpe de Estado no país. Somente a via institucional, eleitoral, sem compreender as reais dimensões e complexidade desta disputa, levar-nos-á ao cadafalso.

Mais do que nunca é fundamental a mobilização de toda a sociedade para o anunciado “levante popular” a partir de 24 de janeiro, em Porto Alegre, no ‘Fórum Social Mundial Extraordinário’ em defesa da democracia e por eleições livres.

Os golpistas não derrubaram a presidenta eleita Dilma Rousseff para entregar o poder, graciosamente, a Lula e ao PT. Pelo contrário. Eles irão resistir e tentarão um novo golpe para continuar escravizando os trabalhadores em nome da banca e do capital financeiro. Portanto, não é hora de “afrouxar o garrão”, como dizem os gaúchos.
Leia mais

24 de agosto de 2016
por Esmael Morais
23 Comentários

Há 62 anos suicidava-se Getúlio Vargas contra o golpe de Estado. A História se repete?

getulio_dilmaO velho Karl Marx, em O 18 Brumário de Luis Bonaparte, ensina que “a História se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa”. Nada mais atual.

No dia 24 de agosto de 1954, portanto há 62 anos, suicidava-se no Catete – antigo palácio presidencial no Rio — o presidente Getúlio Vargas contra os golpistas da época que eram liderados por Carlos Lacerda, UDN, uma espécie de Michel Temer (PMDB) de antanho. Leia mais

8 de maio de 2014
por Esmael Morais
69 Comentários

Coluna do Requião Filho: Professores e policiais do Paraná, uni-vos contra as mentiras de Richa!

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, exorta os policiais e professores, especificamente, e o funcionalismo público, em geral, a se levantarem contra a propaganda enganosa de Beto Richa; Professores e policiais do Paraná, uni-vos contra as mentiras de Richa!!, parafraseia o advogado especialista em políticas públicas o Manifesto Comunista, de Karl Marx, já no título do texto; sobre a greve da educação, no mês passada, o colunista contesta o tucano: Não foi uma

Requião Filho, em sua coluna desta quinta, exorta os policiais e professores, especificamente, e o funcionalismo público, em geral, a se levantarem contra a propaganda enganosa de Beto Richa; Professores e policiais do Paraná, uni-vos contra as mentiras de Richa!!, parafraseia o advogado especialista em políticas públicas o Manifesto Comunista, de Karl Marx, já no título do texto; sobre a greve da educação, no mês passada, o colunista contesta o tucano: Não foi uma “grevezinha” como disse Beto Richa em entrevista no programa Roda Viva, da TV Cultura, no início da semana!; Respeito, como preconiza o atual governo, é parar de falar abobrinha e colocar a culpa de seus problemas nos outros!, ensina Requião Filho; leia o texto e compartilhe.

Requião Filho ... 

Leia mais