Senado dos EUA aprova US$ 1 trilhão em investimentos públicos enquanto Brasil corta salários e desinveste

Enquanto o Brasil desinveste e ataca os salários dos trabalhadores, precariza a mão de obra, os Estados Unidos pegaram uma via contrária: o Senado americano aprovou nesta terça-feira (10/08) um projeto de infraestrutura de US$ 1 trilhão [R$ 5,2 trilhões] para reconstruir as estradas e pontes em deterioração do país e financiar novas iniciativas de … Read more

A mulher de cinco bilhões de reais

Mulher paranaense vai comandar pela segunda vez fundo de investimento de R$ 5,6 bilhões O Comitê Gestor do FI-FGTS terá a paranaense Suzana Leite pela segunda vez no comando. Em 2018, ela foi a primeira mulher a dirigir o bilionário Fundo. Suzana Leite vai gerir R$ 5,6 bilhões para financiar projetos na área de infraestrutura … Read more

Gleisi denuncia que estão quebrando o País

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), abriu fogo contra a política neoliberal de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. Pelo Twitter, a dirigente petista lembrou que na época de Dilma Rousseff, antes do golpe de 2015, a proporção entre a dívida pública e o PIB era de 65,5% enquanto hoje essa proporção é … Read more

Por que a Finlândia e o Canadá não militarizaram suas escolas? Por quê?

O educador Nélio Spréa, Doutor em Educação Pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em artigo especial, critica a militarização de 215 escolas da rede estadual de ensino do Paraná. Segundo ele, a disciplina que resulta em avanços pedagógicos nada tem a ver com controle alheio, vigilância externa, conduzida por terceiros, pouco identificados com o ato … Read more

Coluna da Gleisi Hoffmann: As boas notícias do início de 2016

boas
Em sua coluna semanal, a senadora Gleisi Hoffmann (PT) traz algumas boas notícias que podem animar a economia nacional neste início de ano. Para começar, o preço da energia elétrica vai cair,  a taxa de juros parou de subir, e o governo disponibilizou R$ 85 bilhões em crédito. Além disso, a atual cotação do dólar ajuda nas exportações, e as reservas nacionais da moeda continuam altas. As medidas de ajuste começam a surtir efeito com redução de despesas sem prejudicar os programas sociais. Gleisi encerra criticando a apologia ao pessimismo e a desconfiança. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

Gleisi Hoffmann*

O preço que pagamos pela energia vai reduzir! É isso mesmo, a partir de março teremos, em média, 3% a menos na conta da luz. Pode parecer pouco, mas a aposta de grande parte do mercado é de que iria subir!

A taxa de juros não subiu! É verdade que ainda está muito alta, mas a avaliação majoritária era de que aumentaria meio ponto percentual. Mesmo não tendo sido uma decisão unânime do Banco Central, o indicativo que temos é de que não subirá no futuro. Espera-se, sinceramente, que comece um processo de redução.

O governo anunciou R$ 85 bilhões em crédito, que vão ajudar a animar a economia. Esse é um dinheiro que já está no mercado, não causará mais inflação e o juro será menor mesmo sem subsídio. São os recursos das ditas pedaladas fiscais, que a presidenta devolveu aos bancos públicos de uma só vez. Com isso, terão mais crédito a agricultura, microempresas, pequenas e médias empresas exportadoras. E não venha o mercado afirmar que não há demanda por crédito. Os bancos privados deixam de emprestar e quando o fazem, é com juros estratosféricos.

O dólar está estabilizando na casa dos R$ 4,00. Isso melhora a competitividade brasileira e faz nossa balança comercial permanecer positiva. Exportamos mais do que importamos.

Nossas reservas internacionais continuam a ser a sexta maior do mundo. São U$ 370 bilhões que protegem o país da especulação. Isso é o diferencial que temos diante de outras crises já enfrentadas pelo Brasil.

Read more

Paranaense preside fundo nacional com R$ 12 bi para investimentos; governo Richa não apresenta projeto

Paulo Rossi, da UGT, vai presidir nesta quarta-feira (25), em Brasília, fundo com R$ 12 bilhões para investimentos; até agora, governo Richa não apresentou projetos; segunda a doutrina do conselho de investimento, o FI-FGTS não socorre quem dorme de toca.
Paulo Rossi, da UGT, vai presidir nesta quarta-feira (25), em Brasília, fundo com R$ 12 bilhões para investimentos; até agora, governo Richa não apresentou projetos; segunda a doutrina do conselho de investimento, o FI-FGTS não socorre quem dorme de toca.
Diz o ditado que um raio não cai no mesmo local. Pode ser que sim, pode ser que não, mas o fato é que o Conselho do Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FI-FGTS), cujo saldo atual para investimentos é de R$ 12 bilhões, será presidido nesta quarta-feira (25), em Brasília, pelo sindicalista Paulo Rossi, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), seção Paraná.

O governo de Beto Richa (PSDB), até agora, não apresentou nenhum projeto para o FI-FGTS, mas outros estados, como Espírito Santo, por exemplo, pleiteará amanhã R$ 1 bi, sendo R$ 700 milhões para a Energisa, que atua no setor de energia, e mais R$ 409 milhões de reais para a CESAN (Companhia Espírito Santense de Saneamento).

O diabo é que os deputados quebram o pau na Assembleia Legislativa para “decidir” quem é o pai da subida do estado à posição de quarta maior economia do país, superando o Rio Grande do Sul. Mas, na vida real, Richa sequer tem projetos.

É vergonhoso dizer que o governador tucano não fez um investimento sequer com dinheiro do estado em infraestrutura, enquanto o sindicalista, numa só canetada, vai liberar R$ 1 bi de recursos dos trabalhadores. No entanto, o FI-FGTS não socorre quem dorme de toca.

Read more

Coluna da Gleisi Hoffmann: Graças ao governo federal, o Paraná tem investimentos

Senadora Gleisi Hoffmann, em sua coluna desta segunda-feira, anuncia R$ 11 bilhões em investimentos ao Paraná dentro do Programa de Investimento em Logística (PIL), do governo federal; colunista desmente o governador Beto Richa (PSDB) que, segundo ela, mente ao falar que o estado é discriminado pela União; “Isso é mentira. Fazer disputa política, reivindicar, reclamar, brigar por recursos é legítimo para qualquer Estado. Mentir não!”, protesta a senadora; leia o texto e compartilhe.
Senadora Gleisi Hoffmann, em sua coluna desta segunda-feira, anuncia R$ 11 bilhões em investimentos ao Paraná dentro do Programa de Investimento em Logística (PIL), do governo federal; colunista desmente o governador Beto Richa (PSDB) que, segundo ela, mente ao falar que o estado é discriminado pela União; “Isso é mentira. Fazer disputa política, reivindicar, reclamar, brigar por recursos é legítimo para qualquer Estado. Mentir não!”, protesta a senadora; leia o texto e compartilhe.
Gleisi Hoffmann*

Há algum tempo corre a discussão, diria a acusação, de que o governo federal discrimina o Paraná, não faz investimentos, não garante as obras importantes à infraestrutura do Estado.

Isso é mentira. Infelizmente essa conversa voltou com a divulgação da segunda fase do PIL – Programa de Investimento em Logística, na semana passada, em Brasília. Diga-se, por justiça, que ela concentra-se no governo do Estado e em algumas entidades, que conhecem a realidade dos investimentos, mas optam por um discurso político fácil.

É claro que queremos muitos e mais investimentos para o nosso Estado. O Paraná contribui muito com o PIB nacional, seja por sua produção, seja por sua arrecadação. Mas é de má fé dizer que o Paraná não recebe investimentos ou é discriminado pelo governo federal.

Neste último Plano federal, o Paraná vai contar com investimentos de aproximadamente R$ 11 bilhões. Se levarmos em conta critérios como população, PIB, extensão territorial, por exemplo, e que 20 dos 27 Estados receberão investimentos, veremos que esse montante não pode ser considerado discriminatório com nosso Estado.

Read more

Governo federal oferece verbas para aeroportos, mas Beto Richa refuta

aerob.jpg

O deputado federal João Arruda (PMDB) ocupou a tribuna da Câmara nesta quinta-feira (06) para falar sobre o Programa de Investimentos em Logística do governo federal que, segundo o parlamentar, vem possibilitando a realização de importantes obras de infraestrutura como rodovias, ferrovias, portos e aeroportos.

Mas, segundo o parlamentar, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), e seu irmão, o Secretário de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, preferem refutar a ajuda federal e depois se fazem de discriminados pela União. à‰ o que aconteceu no caso recente envolvendo a possibilidade de estruturação dos aeroportos de Bandeirantes e União da Vitória.

Read more