31 de outubro de 2016
por Esmael Morais
18 Comentários

“Greca venceu a eleição em Curitiba, apesar de Richa”

richa_greca_2016Minutos após a proclamação oficial do resultado oficial no TRE-PR, surgiu das “tumbas do inferno” o governador Beto Richa (PSDB), local que ele ficou escondido durante os 1º e 2º turnos dessas eleições, para, enfim, abraçar o prefeito eleito de Curitiba Rafael Greca (PMN). Os dois não queriam — e não podiam — ser vistos juntos antes do fim das votações devido à rejeição estratosférica do tucano na capital e no Paraná. Leia mais

10 de setembro de 2015
por Esmael Morais
11 Comentários

“Tribunal Faz de Contas” demora 8 meses para alertar que Richa estava fora da Lei de Responsabilidade Fiscal

Grosso modo, é como se a polícia flagrasse o ladrão e contasse até mil para então dar-lhe voz de prisão! Por isso o TCE faz jus à fama de "Tribunal Faz de Contas".

Grosso modo, é como se a polícia flagrasse o ladrão e contasse até mil para então dar-lhe voz de prisão! Por isso o TCE faz jus à fama de “Tribunal Faz de Contas”.

O Blog do Esmael vem noticiando há tempos que o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE) usa dois pesos e duas medidas na hora de fiscalizar os exercícios financeiros dos governantes. Nos pequenos municípios o TCE “filtra mosquitos” nas contas das prefeituras e câmaras municipais; no governo do estado o órgão “deixa passar camelos” e faz vistas grossas para as irregularidades. ... 

Leia mais

26 de março de 2015
por Esmael Morais
30 Comentários

Coluna do Requião Filho: “Antes de criticar Dilma, o PSDB tem que expulsar Richa”

requiaofilho_dilma_richa.jpgO cenário nacional anda meio agitado. O PSDB na oposição neste segundo mandato de Dilma resolveu pegar no filão de comparar a campanha com a realidade… Ou seja, está tripudiando sobre as coisas que Dilma falou e não fez ou que falou e fez ao contrário. PSDB diz que Dilma mente e que isto é inaceitável. ... 

Leia mais

19 de março de 2015
por Esmael Morais
17 Comentários

Coluna do Requião Filho: “A perna curtíssima da mentira de Beto Richa”

requiao_richa_estelionato.jpgRequião Filho*

“O gigante acordou”, já gritava o povo nos protestos de 2013.

O estopim à época foi alguns centavos a mais na tarifa de ônibus. Mas não era só isso! As pessoas começavam a se mostrar cansadas com tanta mentira e tanta corrupção na política, mas a lição não foi assimilada por alguns administradores.

No Paraná, uma crise anunciada. Mesmo com as contas do Estado indo de mal a pior, nosso governador faz sua campanha inteira baseada na mentira. Dizia que o MELHOR ESTAVA POR VIR, que as finanças do Estado ESTAVAM EM DIA e que fechava seu primeiro mandato MELHOR DO QUE ANTES. “Só que não”, dizem hoje os jovens eleitores na gíria popular.

Tenho para mim que a mentira e a falta de palavra são os piores pecados que pode um político cometer.

Olhar no olho do eleitor e fazer uma afirmação que saiba ser falsa ou impossível de ser cumprida é o tipo de atitude que tem marcado e manchado a classe política.
Ora, mas como saber se um político está mentindo? Alguns são especialistas nisso e o eleitor precisa estar atento, principalmente passada a eleição. Afinal, contar uma mentira pode até ser fácil, mas mantê-la… Ah, isso são outros quinhentos… Leia mais

27 de fevereiro de 2015
por Esmael Morais
73 Comentários

Richa à  Folha de S. Paulo: “Não falei que não ia mexer na Previdência”

do Brasil 247
Com o segundo maior deficit de 2014 do País e uma dívida de R$ 1,5 bilhão com fornecedores, governador do Paraná, Beto Richa (PSDB) nega má gestão e diz que endividamento foi ato de coragem:

“O que interessa para a população são as obras. As dívidas, nós vamos administrando”, declarou em entrevista à  Folha de S. Paulo.

Questionado sobre possível estelionato eleitoral para se reeleger, ele diz: “Mas ninguém me perguntou se eu ia mexer na previdência”; pacote de ajustes financeiros do tucano prevê a retirada de R$ 8 bilhões do fundo previdenciário destinado ao pagamento dos aposentados e pensionistas e que passaria ao caixa único do governo.

Ele atribui a situação no Estado à  economia do País: “O Paraná não é uma ilha. No ano passado, nosso orçamento não se confirmou, porque foi baseado em projeções e expectativas anunciadas pela própria presidente. “A economia está aquecendo, vai crescer 5%…” Não houve isso’.

Abaixo, leia a íntegra da entrevista de Beto Richa:

ENTREVISTA BETO RICHA (PSDB)

O que interessa à  população são as obras
GOVERNADOR DIZ QUE INTERVENà‡à•ES NECESSàRIAS NO PR O LEVARAM A GASTAR MAIS DO QUE DEVERIA

ESTELITA HASS CARAZZAI
DE CURITIBA

à€ frente de uma grave crise financeira e alvo de greves e protestos, o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), assumiu, em entrevista à  Folha, que gastou mais do que deveria, mas diz que foi por “coragem” de fazer as obras de que o Estado precisava.

“O que interessa para a população são as obras. As dívidas, nós vamos administrando”, declarou.

O Paraná foi o Estado com o segundo maior deficit em 2014, atrás apenas do Rio.

Após a reeleição, Richa atrasou o pagamento de férias, cortou funcionários da educação e aumentou impostos, além de propor cortar benefícios dos servidores.

O governo deve R$ 1,5 bilhão a fornecedores. Acusado por fornecedores de má gestão, Richa nega e culpa o desempenho econômico do país.

Folha – O Paraná enfrenta uma crise. Gastou mais que arrecadou e teve um deficit bilionário. Faltou planejamento?

Beto Richa – Houve planejamento, sim. O Paraná hoje é muito melhor que antes. E as dívidas, estamos administrando. O que interessa para a população são as obras.

Quando eu assumi, herdei R$ 4,5 bilhões de dívidas. Contratei 10 mil policiais, 23 mil professores, recuperei perdas salariais, fiz obras em todos os municípios.

Sim, atrasamos o terço de férias, a rescisão dos professores. Mesmo assim, é preferível isso do que faltar professor em sala de aula ou não ter policial na rua. Tirei o problema dos paranaenses e trouxe para mim. Vou fazer essa obra, vou contratar policiais. Depois resolvemos a situação. Os problemas foram pontuais. Para a população, foi vantajoso.

Foi imprudência ter gasto mais do que havia em caixa?

Não, não foi. Foi coragem. Pergunte lá em Londrina: a maior reivin Leia mais

10 de dezembro de 2014
por Esmael Morais
38 Comentários

Do presidente da Fiep para Beto Richa: “Antes da eleição era tudo bonito e colorido…”

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, nesta quarta-feira (10), abriu fogo contra a aprovação do pacotaço que aumenta impostos como o ICMS e o IPVA, dentre outras maldades. O empresário considerou as medidas do governador reeleito Beto Richa (PSDB) um verdadeiro “estelionato eleitoral”.

Ficamos chateados por este momento. Passado o período eleitoral, em que tudo era colorido e bonito, agora tudo começa a ficar preto e branco. Sabemos que o dia de amanhã não será bom, porque o consumidor está sendo convidado a pagar esta conta!, fuzilou o industrial.

O dirigente da Fiep criticou ainda o tratoraço que transformou a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná em comissão geral, o que acelerou a tramitação de projetos polêmicos sem debate. Campagnolo, que esteve na Alep acompanhando parte da votação, manifestou-se contra o procedimento, já que pelo impacto que será causado pelas propostas, elas deveriam ter sido amplamente debatidas com a sociedade antes da apreciação pelos deputados.

Insisto que é uma irresponsabilidade (a rápida tramitação das propostas) no aspecto de as medidas não terem sido amplamente discutidas. Não se pode instalar uma Comissão Geral e simplesmente passar desta forma. Todos os deputados e o setor produtivo deveriam ter meios de se pronunciar!, disse Campagnolo.

Segundo o presidente da Fiep, o aumento de impostos !“ que no caso do ICMS passará a valer a partir de 1!º de abril de 2015 e, no do IPVA, já em janeiro !“ certamente resultará em aumento de preços, conta que será paga por toda a população.

Edson Campagnolo também afirmou que o setor produtivo entende a necessidade de o Estado readequar suas contas, mas em sua opinião, isso não deve ser feito com aumento da carga tributária.

Nenhum empresário apoia esse aumento de imposto. Todos compreendem que o Estado está em uma situação difícil. Não podemos desconsiderar isso, mas talvez não fosse este o momento, logo após a Leia mais

4 de dezembro de 2014
por Esmael Morais
27 Comentários

Coluna do Requião Filho: Estelionato eleitoral de Richa é caso de PROCON

richa_procon_requiao.jpgRequião Filho*

A realidade tem uma mania irritante de sempre vir à  tona. Mentiras, já diz o dito popular tem perna curta. Durante o ano eleitoral o investimento em publicidade do governo do estado do Paraná foi massivo. Os acordos com jornalões e jornalecos ocultavam a verdadeira situação do estado. Acabaram as eleições e a oposição falhou, falhamos, em expor a realidade. A mentira e a propaganda abafaram a verdade… mas a verdade sempre vem à  tona.

O boneco do ventríloquo é agora governador por mais 4 anos. E as notícias que temos no Estado indicam que cabe uma reclamação ao PROCON por propaganda enganosa, ou uma queixa na delegacia por estelionato eleitoral.

Veja o que diz uma dessas matérias do famoso folhetim gazeta do Povo:

Publicamente, desde que se lançou à  reeleição, Richa tem afirmado que “O MELHOR ESTà POR VIR” no segundo mandato. Em sabatina à  Gazeta do Povo antes do 1.!º turno, por exemplo, afirmou: “ACHO QUE AS COISAS ESTàƒO DE CERTA FORMA INDO BEM. AGORA COM A CASA EM ORDEM E A MàQUINA AZEITADA, VAMOS AVANà‡AR MAIS”. Segundo aliados próximos, porém, a realidade é completamente diferente. Alguns chegam a classificar a situação financeira do estado como “desesperadora”.!

Mentiu o candidato? Nada sabia? Eu acho que o titereiro deste teatro não contou para ele a real situação, e ele nunca se preocupou em perguntar. Como bom ventríloquo, os marqueteiros fizeram o povo acreditar que o boneco falava e sabia do que estava falando. Mas…

Voltando a citar o nosso folhetim predileto, somos informados que o líder do governo da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), afirmou que as medidas são impopulares, porém necessárias para colocar em ordem as contas do estado.

A realidade chegou e, para cobrir os rombos e conseguir pagar a folha começou o desespero. Veio um pacote de maldades ou, como eu prefiro chamar, um raspa tacho.

O governo aprovou uma emenda no orçamento que permite que ele utilize livremente 15% de sua receita sem consultar o Legislativo. Assim, puxa o cobertor sobre a cabeça para descobrir os pés e nesse passo irá sempre deixando algo descoberto. Leia mais