10 de Março de 2015
por esmael
33 Comentários

Coluna do Enio Verri: “Cadê o dinheiro do Paraná, Beto Richa?”

richa_greve_enio.jpg*Enio Verri

O Paraná fechou 2014 com déficit com fornecedores e servidores de R$ 4,65 bilhões, um aumento de 120% em relação ao valor da dívida em 2010, segundo dados do Portal da Transparência do governo estadual.

O estarrecedor é que o resultado negativo aconteceu num contexto de amplo crescimento das receitas do Estado, partindo de R$ 25 bilhões em 2011 para R$ 34 bilhões em 2014.

A greve dos professores, que terminou nesta segunda-feira, durou 29 dias e afetou mais de 1 milhão de estudantes. Porém, demais servidores estaduais continuam em greve geral, como trabalhadores da saúde, agentes penitenciários, bombeiros e servidores das universidades estaduais.

Na semana passada, o secretário da Fazenda do Paraná, Mauro Ricardo Costa, admitiu em Audiência Pública na Assembleia Legislativa que o rombo no caixa e a situação caótica do Paraná é resultado de erros primários da administração tucana entre 2011 e 2014.

10 de dezembro de 2014
por esmael
38 Comentários

Do presidente da Fiep para Beto Richa: “Antes da eleição era tudo bonito e colorido…”

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, nesta quarta-feira (10), abriu fogo contra a aprovação do pacotaço que aumenta impostos como o ICMS e o IPVA, dentre outras maldades. O empresário considerou as medidas do governador reeleito Beto Richa (PSDB) um verdadeiro “estelionato eleitoral”.

Ficamos chateados por este momento. Passado o período eleitoral, em que tudo era colorido e bonito, agora tudo começa a ficar preto e branco. Sabemos que o dia de amanhã não será bom, porque o consumidor está sendo convidado a pagar esta conta!, fuzilou o industrial.

O dirigente da Fiep criticou ainda o tratoraço que transformou a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná em comissão geral, o que acelerou a tramitação de projetos polêmicos sem debate. Campagnolo, que esteve na Alep acompanhando parte da votação, manifestou-se contra o procedimento, já que pelo impacto que será causado pelas propostas, elas deveriam ter sido amplamente debatidas com a sociedade antes da apreciação pelos deputados.

Insisto que é uma irresponsabilidade (a rápida tramitação das propostas) no aspecto de as medidas não terem sido amplamente discutidas. Não se pode instalar uma Comissão Geral e simplesmente passar desta forma. Todos os deputados e o setor produtivo deveriam ter meios de se pronunciar!, disse Campagnolo.

Segundo o presidente da Fiep, o aumento de impostos !“ que no caso do ICMS passará a valer a partir de 1!º de abril de 2015 e, no do IPVA, já em janeiro !“ certamente resultará em aumento de preços, conta que será paga por toda a população.

Edson Campagnolo também afirmou que o setor produtivo entende a necessidade de o Estado readequar suas contas, mas em sua

8 de dezembro de 2014
por esmael
30 Comentários

Presidente da Fiep vê “irresponsabilidade” de Richa em aumento de impostos

campagnolo_richa.jpgO presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, classificou nesta segunda-feira (8) como uma irresponsabilidade o pacote de reajustes tributários proposto pelo governador Beto Richa (PSDB). O mais nefasto é aumento de 28% para 29% da alíquota do Imposto sobre a Circulação e Mercadorias e Serviços (ICMS). Leia mais