7 de junho de 2015
por Esmael Morais
21 Comentários

“Taradão do Palácio Iguaçu” virou delator de esquemas de corrupção e pedofilia no governo Richa

richa_caramoriO fotógrafo, amigo e ex-assessor do governador Beto Richa (PSDB), Marcelo Tchello Caramori, assinou delação premiada com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público do Paraná. A informação é do repórter Lucas Reis, na edição deste domingo (7) no jornal Folha de S. Paulo.

Segundo a reportagem, o ex-assessor do governador teria ficado decepcionado e por isso mudou até a tatuagem que tinha no antebraço. Ele trocou “100% Beto Richa” por “100% família” após ser renegado publicamente por Beto Richa. Leia mais

6 de abril de 2015
por Esmael Morais
18 Comentários

Gaeco apresenta mais denúncias contra primo do governador Beto Richa

tadeu_richa_abiO lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB), era o verdadeiro dono da oficina Providence. A afirmação é do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), após depoimento do contador José Wilson de Souza. ... 

Leia mais

22 de março de 2015
por Esmael Morais
17 Comentários

Colunista da Gazeta: Richa adotou o “Abismo” como forma de poder no PR

O jornalista Celso Nascimento, colunista da Gazeta do Povo, na edição deste domingo (22), observa que o governador Beto Richa (PSDB) adotou como forma de poder o “Abismo” — corruptela relacionada ao nome do primo Luiz Abi, preso pelo Gaeco desde segunda-feira (16) sob a acusação de liderar uma quadrilha dentro do governo do estado.

A seguir leia a íntegra da coluna:

O Paraná no abismo
por Celso Nascimento

Socialismo, marxismo, capitalismo, nazismo, maoismo, imperialismo, islamismo, comunismo, moralismo… são tantos “ismos” aos quais qualquer um pode optar, mas o Paraná parece ter adotado outro, o abismo. Alguns aplicam o termo para se referir ao precipício em que caíram as finanças estaduais. Outros preferem correlacionar a palavra ao nome de Luiz Abi, o primo de quem se diz ter atuado com grande desenvoltura nos subterrâneos do governo.

Combustível para essa interpretação não falta. O Gaeco levou Luiz Abi preso por suspeita de que, sob sua orientação, uma licitação para contratar oficinas mecânicas para reparo de viaturas policiais teria sido fraudada. Mas os promotores de Londrina que cuidam do caso começam a enxergar ligações dele com outros presos acusados de operar um enorme esquema de sonegação tributária que teria dado prejuízo, estima-se, de R$ 500 milhões aos cofres públicos.

Na última sexta-feira (20), mais 17 personagens dessa história foram presos. Dentre eles, servidores da receita, policiais civis e empresários da área de distribuição de combustíveis. Eles se somam a outros investigados metidos em casos de pedofilia, exploração de prostituição e corrupção ativa e passiva na área da Receita Estadual. Não significa que os crimes – sexo ilegal e sonegação – fossem comuns aos dois grupos, mas os promotores estão intrigados com o fato de que vários nomes cruzavam-se nas duas esferas. E o mais impressionante é que alguns dos investigados faziam parte, oficial ou extraoficialmente, da corte palaciana.

O caminho a ser ainda percorrido pelo Gaeco é longo, mas os promotores começam a puxar liames que datam de 2011 – mesmo ano em que se iniciou o primeiro mandato do governador Beto Richa. Foi em 2011 que aportou no Paraná uma certa Refinaria de Manguinhos, na verdade apenas uma distribuidora de combustíveis.

Impedida de manter suas atividades no Rio de Janeiro por ter sonegado a quantia de R$ 800 milhões em impostos e recusada sua inscrição pelo Fisco paulista, Manguinhos misteriosamente conseguiu se inscrever como contribuinte na Fazenda do Paraná e se instalar em Araucária. Pouco tempo depois, acumulava uma dívida tributária da ordem de R$ 225 milhões, passando a figurar nos primeiros lugares da lista dos cem maiores devedores de impostos para a Fazenda estadual.

No Rio, segundo consta de investigação procedida pelo MP de lá, o dono da refinaria, Ricardo Magro, contaria com a proteção de ninguém menos do que do deputado fluminense Eduardo Cunha, figura hoje nacionalmente conhecida como presidente da Câmara Federal. A bem da verdade: nada se provou contra Cunha, apesar de indícios Leia mais

20 de março de 2015
por Esmael Morais
10 Comentários

Beto Richa sinaliza liberar base na Assembleia para assinar ‘CPI da Corrupção’

richa_cpi_requiao.jpgO governador Beto Richa (PSDB) tomou algumas iniciativas políticas, nesta sexta-feira (20), visando deixar as “cordas” depois da prisão de seu primo, Luiz Abi Antoun, acusado de liderar uma quadrilha no governo do Paraná. ... 

Leia mais

20 de março de 2015
por Esmael Morais
10 Comentários

Ao vivo: Gaeco faz balanço de prisões por corrupção no governo do PR

O Blog do Esmael e a TV 15 atualizam ao vivo, direto de Londrina, as informações sobre as várias prisões efetuadas pelo Gaeco ao longo desta semana.

Dentre os vários detidos está o lobista Luiz Abi Antoun, primo do governador Beto Richa (PSDB) — apontado pelo Gaeco como chefe da quadrilha que fraudava licitações de oficinas mecânicas.

O promotor Cláudio Esteves detalha os casos de corrupção nas licitações de oficinas mecânicas, de fraude na Receita Estadual e de pedofilia, que, pelo jeito, se entrelaçam porque seriam as mesmas pessoas envolvidas em crimes diferentes.

Abaixo, assista ao vídeo:

Leia mais

20 de março de 2015
por Esmael Morais
42 Comentários

É de perder as contas: Gaeco prende mais 16 por corrupção na Receita Estadual do Paraná

gaeco_richa.jpgO Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prendeu na manhã desta sexta-feira (20), na região de Londrina, mais 16 pessoas investigadas por corrupção na Receita Estadual do Paraná.

Dentre os detidos hoje estão o delegado da Receita Estadual, Dalton Lázaro Soares, e o policial civil André Santelli.

Os promotores que cuidam do caso estimam que as fraudes possam ultrapassar os R$ 500 milhões.

Na Assembleia Legislativa, deputados governistas avaliam que a instalação de uma CPI para investigar a corrupção no governo Beto Richa (PSDB) fica cada vez mais “inevitável”.

Os casos de corrupção nas licitações de oficinas mecânicas, de fraude na Receita Estadual e de pedofilia, ao que parece, se entrelaçam porque seriam as mesmas pessoas envolvidas em crimes diferentes.

Daqui a pouco, a partir das 10 horas, ao vivo de Londrina, o Blog do Esmael e a TV 15 atualizam as informações dessas e de outras prisões efetuadas pelo Gaeco com entrevista exclusiva com o promotor Cláudio Esteves.

Abaixo, assista às primeiras explicações do promotor sobre as novas prisões: Leia mais