Beto Richa não paga salário de professores universitários no “Tucanistão” (Paraná)

Beto Richa põe à venda estatais de água (Sanepar) e de energia (Copel) sem consultar a população

richa_requiao_tadeuO governador do Paraná Beto Richa (PSDB) segue a linha que o interino Michel Temer (PMDB) adotará caso seja confirmado o impeachment de Dilma Rousseff: privatizar, doar, vender todo o patrimônio público a preço de bananas; no caso paranaense, correm risco as estratégicas empresas de água e energia.

Veja como será a marcha que já faz tremer o Palácio Iguaçu

marcha16

Nesta sexta-feira em que o massacre de 29 de abril completará um ano, uma grande marcha liderada pelos educadores da rede pública estadual vai sacudir Curitiba. As perspectivas de tamanho, força e repercussão desta mobilização já estão fazendo tremer o governador Beto Richa (PSDB) e sua equipe; a julgar pelos ataques desferidos pela internet e com uma carta falsa distribuída nas escolas. 

Beto Richa prepara novos calotes nos servidores públicos do Paraná

golpebetoO governador Beto Richa (PSDB) publicou uma resolução que abre brechas para alterar o pagamento dos servidores dos órgãos, autarquias e Poderes que utilizam o sistema de folha de pagamento Meta-4, base de dados onde estão a grande maioria dos servidores públicos do Estado.

No decreto, publicado em 30 de setembro no Diário Oficial, o governador resolve que a Secretaria de Administração e Previdência (Seap) fica diretamente subordinada à Secretaria da Fazenda (Sefa) quando o assunto é a emissão do pagamento dos servidores: a Seap encaminhará mensalmente à Sefa a previsão mensal da despesa com pessoal.

Leia abaixo o que está publicado no Artigo 2:

“A Secretaria de Estado da Fazenda, através da Coordenação de Orçamento e Programação – COP e da Coordenação da Administração Financeira do Estado – CAFE, realizará a comparação das despesas de pessoal com as respectivas cotas orçamentárias e cotas financeiras estabelecidas aos órgãos, comunicando os e, posteriormente, enviará para a Secretaria de Estado da Administração e da Previdência – SEAP a relação dos órgãos que ultrapassaram as cotas orçamentárias e financeiras, bem como os respectivos montantes;”

Ou seja, passará pela Sefa todo o detalhado de despesas com o funcionalismo, essa, por sua vez, fará a análise e deferirá o parecer do que o que o governo consegue arcar ou não.

Desde a semana passada, diversos sindicatos de servidores públicos estão se mobilizando e fazendo estudos para entender os reais impactos desse medida na vida dos servidores. Mas o texto deixa claro que a Secretaria da Fazenda comandada pelo interventor do PSDB nacional no Paraná, Mauro Ricardo Costa, tem plenos poderes para cortar benefícios dos servidores como convier, achatando a folha de pagamento e cortando gastos onde não deveria.

A redação da Resolução ainda indica:

Deu chabu na audiência pública sobre finanças do governo Beto Richa; secretário da Fazenda fala às moscas

Sobra de R$ 1,4 bilhão no caixa de Beto Richa (PSDB), nos últimos 8 meses, foi fruto do sangue derramando no massacre de 29 de abril, no Centro Cívico, quando 213 ficaram feridos defendendo R$ 8 bilhões da previdência; tucano já sacou R$ 2 bilhões desse dinheiro; resumo da ópera: couro dos paranaenses está pagando o arrocho fiscal do “Carniceiro do Centro Cívico”.
Sobra de R$ 1,4 bilhão no caixa de Beto Richa (PSDB), nos últimos 8 meses, foi fruto do sangue derramando no massacre de 29 de abril, no Centro Cívico, quando 213 ficaram feridos defendendo R$ 8 bilhões da previdência; tucano já sacou R$ 2 bilhões desse dinheiro; resumo da ópera: couro dos paranaenses está pagando o arrocho fiscal do “Carniceiro do Centro Cívico”.
As bancadas de oposição e independente abandonaram o plenário da Assembleia Legislativa, esta tarde, durante audiência pública, em protesto contra o atraso no envio da apresentação da prestação de contas pela Secretaria da Fazenda.

“Os atrasos têm a intenção de inviabilizar análises aprofundadas e impedir o debate sobre a fragilizada situação financeira e fiscal do Paraná”, anunciou o deputado Nereu Moura, líder do PMDB.

O titular da pasta importado de São Paulo pelo PSDB, Mauro Ricardo Costa, tentou disfarçar dizendo que transferiu o título de eleitor para o Paraná, mas ele acabou falando às moscas.

Além da retirada organizada de deputados oposicionistas e independentes, uma penca de governistas não compareceu à enfadonha exposição.

O Blog do Esmael antecipou na manhã de hoje o balanço que o secretário importado repete a poucos parlamentares governistas, ou seja, ele prega para convertidos na Assembleia.

“Nota Paraná” nasce com os mesmo vícios e problemas do “Nota Paulista”. Calote à vista?

Coluna do Requião Filho: Enrolação futebol clube; chega de Beto Richa

Requião Filho, em sua coluna desta quinta-feira, com base na apresentação do secretário importado Mauro Ricardo Costa, constata que o governador Beto Richa não paga os 8,17% devidos aos professores e servidores porque "não quer", por birra; segundo o colunista, tucanato estaria fazendo caixa para tentar recuperar a imagem do garoto propaganda do grupo: "O massacre dos professores, a quadrilha da Receita Estadual, o escândalo na FUNDEPAR, as licenças do IAP sob investigação, nada disso irá cair no esquecimento"; leia o texto e compartilhe.
Requião Filho, em sua coluna desta quinta-feira, com base na apresentação do secretário importado Mauro Ricardo Costa, constata que o governador Beto Richa não paga os 8,17% devidos aos professores e servidores porque “não quer”, por birra; segundo o colunista, tucanato estaria fazendo caixa para tentar recuperar a imagem do garoto propaganda do grupo: “O massacre dos professores, a quadrilha da Receita Estadual, o escândalo na FUNDEPAR, as licenças do IAP sob investigação, nada disso irá cair no esquecimento”; leia o texto e compartilhe.
Requião Filho*

Mais um dia de teatro!

Será possível mesmo que uma Casa de leis suporte tanta enrolação? Será possível que se acha palatável para a população o embuste que foi apresentado na prestação de contas do primeiro quadrimestre deste ano?

Só faltou uma gaita tocando um belo tango. Nós perguntamos, o secretário fingiu que respondeu, e na segunda-feira que vem o governo vai fingir que prestou contas.

O sr. secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, não foi capaz de responder se o pagamento da data-base em 8,17% colocaria o Estado no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal. Uma simples pergunta com duas possíveis resposta SIM ou NÃO. Gastou o seu latim e nada respondeu.

Fórum apresenta ‘Placar da Corrupção’ idealizado pelos primos Requião

João Arruda propõe ‘Fórum Popular Contra a Corrupção’ no Paraná

“A Receita é ferramenta de arrecadação para Beto Richa”, acusa deputado João Arruda; assista ao vídeo

Mauro Ricardo, o secretário importado por Richa, vai amanhã à Assembleia explicar “ajuste fiscal” nas contas do PR

Gaeco apresenta mais denúncias contra primo do governador Beto Richa

Vem aí o “Placar da Corrupção” na Assembleia Legislativa do Paraná

Família Richa tem ligações perigosas com “chefe de quadrilha” preso no Paraná, diz Jornal de Londrina

do Brasil 247
abi_primo_richaEmbora esteja tentando se distanciar do primo Luiz Abi Antoun, desde que ele foi preso na Operação Voldemort, o governador paranaense, Beto Richa, teve mais um vínculo com a família Antoun exposto pela imprensa paranaense.

A nova revelação, do Jornal de Londrina, é a sociedade entre Fernanda Richa, primeira-dama paranaense, e a esposa de Luiz Abi, Eloiza Antoun, numa faculdade privada, criada em 1999.

Numa delação premiada recente, o fotógrafo Marcelo Caramori, que atuava no Palácio Iguaçu, acusou Antoun de ser o caixa informal de Beto Richa na arrecadação de recursos ilícitos para suas campanhas (saiba mais aqui).

Ontem, o senador e ex-governador Roberto Requião (PMDB-PR) usou o Twitter para antecipar uma possível denúncia bombástica: a existência de contas secretas de Richa em Dubai e na Suíça (leia mais aqui).

A proximidade com a família Antoun, revelada na sociedade entre a primeira-dama e a esposa do corrupto preso pelo Gaeco (que foi às ruas protestar contra a corrupção no dia 15 de março), é mais um complicador para Richa.

Leia, abaixo, o furo de reportagem do Jornal de Londrina:

Palácio Iguaçu dispara contra Gaeco em dia de novas prisões

Quadrilha fraudava licitação de dentro do palácio do governo Richa; assista

Requião Filho pede informações sobre o Conselho de Contribuintes do PR

Mais uma vez, Beto Richa faz vergonha em rede nacional de TV; assista

Oposição consegue mais uma assinatura para a CPI da Receita

Nelson Luersen, do PDT, é o nono deputado a assinar pela CPI da Receita; oposição espera mais dois apoios até quarta; Requião Filho sugere que ‘CPI da Violência contra as Mulheres’, de autoria da deputada Mara Lima (PSDB), investigue os casos de pedofilia em Londrina.
Nelson Luersen, do PDT, é o nono deputado a assinar pela CPI da Receita; oposição espera mais dois apoios até quarta; Requião Filho sugere que ‘CPI da Violência contra as Mulheres’, de autoria da deputada Mara Lima (PSDB), investigue os casos de pedofilia em Londrina.
“De grão em grão a galinha enche o papo”, disse nesta segunda-feira (30) o deputado Requião Filho, vice-líder do PMDB, ao comemorar mais uma assinatura em apoio à criação de uma comissão de investigação da corrupção na Receita Estadual de Londrina.

O deputado Nelson Luersen, líder do PDT, é o dono da nona assinatura favorável à investigação dos escândalos no órgão de gestão fiscal do estado. Estima-se que os prejuízos ao erário cheguem a R$ 1 bilhão, em virtude da ação da quadrilha na Receita.

Segundo o autor da proposta da CPI, Requião Filho, até quarta-feira mais dois parlamentares vão anunciar apoio às investigações de corrupção. Ele não quis antecipar os nomes, mas a proposta de comissão de inquérito começará a Páscoa com 11 assinaturas.

O deputado Luiz Cláudio Romanelli (PMDB), líder do governo na Assembleia, luta no outro polo contra a CPI da Receita Estadual. “Pela minha experiência parlamentar, eu confio mais no Gaeco do que numa CPI”, desconversou o governista.

Para o líder do PMDB, Nereu Moura, é uma vergonha a Assembleia seguir a reboque da imprensa que todos os dias veicula mais escândalos acerca de corrupção no governo estadual. O deputado se referiu às recentes notícias sobre as digitais do primo do governador, o lobista Luiz Abi Antoun, na arrecadação de dinheiro para a campanha de Richa (clique aqui).

Ao falar sobre a necessidade da CPI da Receita, Requião Filho ainda fustigou a fila com seis CPIs laranjas. Ele disse que só faz sentido a “CPI da Violência contra a Mulher” se houver investigação os crimes contra meninas vítimas de pedofilia em Londrina.

“Vamos trazer à Casa as vítimas do fotógrafo tatuado. Vamos perguntar quem abusou delas em Londrina”, sugeriu o vice-líder peemedebista.

Assista ao vídeo com o discurso de Requião Filho:

Fotógrafo delata esquema de corrupção no governo Richa

‘Beto Richa sabia da influência do primo Luiz Abi na Receita Estadual’

richa_sefa_abiO governador Beto Richa (PSDB) sabia do trânsito livre que seu primo Luiz Abi Antoun tinha dentro da Secretaria de Estado da Fazenda (SEFA). O tucano teria sido alertado várias vezes sobre a desenvoltura do parente no órgão de gestão fiscal e no governo como um todo. A informação exclusiva foi repassada ao Blog do Esmael por um representante de grandes empresas que atuam no estado.

Sob a condição de anonimato, a fonte diz que alertou o governador Beto Richa várias vezes sobre a atuação de seu primo na SEFA e na Coordenação da Receita do Estado (CRE).

Na época, o inspetor geral de fiscalização da Receita Estadual era o auditor Márcio Albuquerque Lima, colega do governador em corridas de automobilismo, que está foragido da polícia. O primo Luiz Abi não teve a mesma sorte, pois, por uma semana, ficou preso em Londrina sob a acusação de “chefiar a quadrilha”. Acabou solto graças a um habeas corpus do Tribunal de Justiça.

O Grupo de Atuação Especial de Combate do Crime Organizado (Gaeco), braço policial do Ministério Público, deverá desencadear nova operação nos próximos dias voltada à cúpula da Receita. Os promotores já teriam um organograma do esquema que supostamente envolveria integrantes do conselho de contribuintes, Paraná Competitivo, diretoria e delegacias regionais da SEFA, bem como escritórios especializados em direito tributário.

Os promotores londrinenses também estariam de olho em um tal “mágico” que teria capacidade de fazer “desaparecer” débitos de empresas com a Receita Estadual.

Em 7 agosto de 2014, durante a campanha pela reeleição, Beto Richa foi homenageado em jantar promovido pelos agentes fazendários da SEFA e do CRE no restaurante Dom Antônio, bairro Santa Felicidade, em Curitiba.

Segundo um tributarista ouvido pelo Blog do Esmael, a Operação Publicano, que investiga prejuízo que pode ultrapassar R$ 1 bilhão ao governo do estado, o modus operandi da quadrilha que atua na Receita Estadual pode ser muito parecido com aquele desbaratado na Receita Federal, semana passada, pela Operação Zelotes da Polícia Federal.

Na Operação Zelotes, da PF, estima-se em prejuízo de R$ 19 bilhões provocados por bancos e grandes empresas que tiveram suas dívidas apagadas no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

Na última sexta-feira (27), o Ministério Público bateu à porta do primeiro escalão do governo do estado ao pedir que o Tribunal de Justiça investigue a secretária Dinorah Nogara. Ela é suspeita e integrar o esquema que fraudava licitações em favor de Luiz Abi.

Leia também:

Decreto de Richa anuncia novos cortes para garantir 13!º do funcionalismo

Decreto 11.192, assinado pelo governador Beto Richa, determina novos cortes para garantir pagamento do ameaçado 13!º salário do funcionalismo público estadual; crise financeira e de gestão, além suspender contratações e reajustes salariais, produziu imagens de policiais e bombeiros empurrando viaturas sem combustível pelas ruas de várias cidades paranaenses, revoltou fornecedores que levaram calote e deixou faltar o leite das crianças e merenda nas escolas.
Decreto 11.192, assinado pelo governador Beto Richa, determina novos cortes para garantir pagamento do ameaçado 13!º salário do funcionalismo público estadual; crise financeira e de gestão, além suspender contratações e reajustes salariais, produziu imagens de policiais e bombeiros empurrando viaturas sem combustível pelas ruas de várias cidades paranaenses, revoltou fornecedores que levaram calote e deixou faltar o leite das crianças e merenda nas escolas.
Em crise financeira e de gestão sem precedentes na história do Paraná, o governador Beto Richa (PSDB) decretou novos cortes nas despesas da administração direta e indireta até 31 de dezembro de 2014. O esforço do tucano é para fazer caixa visando o pagamento do ameaçado 13!º salário do funcionalismo público estadual.

O decreto de Richa determina que qualquer despesa “excepcional”, que não esteja empenhada, necessita de autorização prévia da Secretaria da Fazenda sob pena de descumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Ou seja, atos que gerem gastos com pessoal — como aumentos nos salários e contratações — estão expressamente proibidos pela atual gestão.

O governo do PSDB se esmerou nos últimos meses em produzir imagens de policiais e bombeiros empurrando viaturas sem combustível pelas ruas de várias cidades paranaenses. Também aplicou calote em fornecedores e deixou faltar o leite das crianças, ao não pagar os produtores do alimento, e merenda nas escolas, dentre outras barbaridades.

Veja a íntegra do decreto de Beto Richa: