Ratinho Junior pode enfrentar greves na saúde e educação enquanto crise nas polícias aumenta

O governador Ratinho Junior (PSD) e seus arqueiros na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) têm motivos de sobra para estarem em pânico. Após os feriados de Páscoa e Tiradentes, os serviços públicos planejam entrar em greve no estado. As áreas da Saúde e da Educação já entraram em estado de greve enquanto aumenta a crise … Read more

Delegados de polícia se sublevam contra Ratinho Junior

Não convidem para a mesma ceia de Páscoa os delegados da Polícia Civil do Paraná e o governador Ratinho Junior (PSD), que pode dar muito ruim. A Adepol (Associação dos Delegados de Polícia do Paraná) e o Sidepol (Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná), em assembleia conjunta, aprovaram uma agenda de luta acerca do … Read more

Delegados da Polícia Civil “frustrados” cogitam greve geral no Paraná [vídeo]

Delegados da Polícia Civil do Paraná, representados pelo Sindicato dos Delegados de Polícia e Associação de Delegados da Polícia, Sidepol e Adepol, saíram frustrados de uma reunião com o governo Ratinho Junior (PSD). Na segunda-feira, 14 de março, eles relataram que esperavam uma contraproposta do Palácio Iguaçu, no entanto, lamentaram, a decisão foi empurrada para … Read more

Vem aí a CPI da Segurança Pública para investigar omissões do governo Ratinho Junior [vídeo]

O presidente do SIDEPOL (Sindicato dos Delegados de Polícia do Paraná), Antônio Simião, peticionou à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) a abertura de uma CPI para investigar a omissão do governo Ratinho Junior (PSD) na segurança pública no estado. O delegado participou no sábado (10/7) de uma superlive na “TV Esmael” juntamente com o ex-governador … Read more

Delegados da lava jato serão interrogados por divulgar grampos ilegais de Marisa Letícia

A União pediu que delegados da lava jato sejam interrogados em ação de indenização por danos morais, movida pela família do ex-presidente Lula, pela divulgação de conversas privadas da ex-primeira-dama Marisa Letícia, morta em fevereiro de 2017. O juiz Sérgio Moro é acusado de divulgar grampos ilegais de Marisa Letícia, de cunho particular, que não … Read more

STF quebra monopólio da lava jato nas delações premiada

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) quebrou o monopólio da lava jato, nesta quarta (20), na celebração de delações premiadas. Por 10 votos a 1, o STF validou a autorização legal para que delegados das polícias Civil e Federal possam negociar delações premiadas, conforme previsto na Lei de Organizações Criminosas (12.850/2013). De acordo com … Read more

Delegados da Polícia Civil divulgam nota contra Beto Richa

O Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Paraná (sindepol) e a Associação dos Delegados de Polícia (Adepol) divulgaram nota conjunta, nesta quinta (29), contra o governador Beto Richa (PSDB) pelo afastamento do delegado Wilkinson Fabiano Oliveira de Arruda da investigação que apura o atentado contra a vida do ex-presidente Lula. As entidades policiais dizem … Read more

Coluna do Reinaldo de Almeida César: Richa manda ‘beijinhos no ombro’ ao invés de cumprir palavra com policiais

Delegado Reinaldo de Almeida César, em sua coluna nesta quinta-feira (18), afirma que o governador Beto Richa (PSDB) prefere mandar 'beijinhos no ombro' ao invés de cumprir palavra com policiais civis, em especial com delgados da polícia judiciária; colunista revela que está escrevendo um livro sobre sua passagem pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP), entre 2011 e 2014, período em que foi concebido do programa "Paraná Seguro", que depois foi reeditado e requentado, como compromisso de campanha do governador tucano, na eleição de 2014; leia, comente e compartilhe.
Delegado Reinaldo de Almeida César, em sua coluna nesta quinta-feira (18), afirma que o governador Beto Richa (PSDB) prefere mandar ‘beijinhos no ombro’ ao invés de cumprir palavra com policiais civis, em especial com delgados da polícia judiciária; colunista revela que está escrevendo um livro sobre sua passagem pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SESP), entre 2011 e 2014, período em que foi concebido do programa “Paraná Seguro”, que depois foi reeditado e requentado, como compromisso de campanha do governador tucano, na eleição de 2014; leia, comente e compartilhe.
Reinaldo de Almeida César*

Alertado por um bom amigo, do risco de ver o resultado de minha dedicação e esforços ser esfumaçado por uma descarada usurpação, perdi os freios inibitórios e resolvi assumir os feitos (e também os fracassos) de minha passagem pela Secretaria de Segurança Pública, entre os anos de 2011 e 2012, período em que se elaborou e se apresentou o programa “Paraná Seguro”, que depois foi reeditado e requentado, como compromisso de campanha, na eleição de 2014.

Decidido, pois, a refletir e a registrar tudo o que aconteceu, comecei a escrever e não parei mais.

Resultado, reuni pouco mais de duas centenas de páginas de memórias e documentos sobre os acontecimentos daquele período, divagando de maneira especial sobre a elaboração, o conteúdo e sobre o que já foi realizado no contexto do programa “Paraná Seguro”, tal como concebido.

Contudo, a cada vez que meus indômitos botões me perguntam se algum dia haverei de publicar estas reminiscências na íntegra, acabo me recordando da fina ironia e do humor cortante de Nelson Rodrigues, para quem “todo memorialista é um mentiroso”.

Read more

Um terço das comarcas do Paraná não têm delegados de polícia

via Folha de Londrina

Apesar das promessas do governador Beto Richa, 53 das 161 comarcas do Paraná continuam se delegado. Os dados são da própria Polícia Civil. O resultado é que delegados acumulam a função em diversos municípios encontrando dificuldades para realizar o trabalho de investigação de crimes. Dessa forma, os inquéritos se arrastam e índice de resolubilidade dos delitos fica baixo. A sensação de impunidade e a violência só tendem a aumentar.
Apesar das promessas do governador Beto Richa, 53 das 161 comarcas do Paraná continuam sem delegado. Os dados são da própria Polícia Civil. O resultado é que delegados acumulam a função em diversos municípios encontrando dificuldades para realizar o trabalho de investigação de crimes. Dessa forma, os inquéritos se arrastam e índice de resolubilidade dos delitos fica baixo. A sensação de impunidade e a violência só tendem a aumentar.! 

Das 161 comarcas do Paraná, 53, ou 33%, não têm delegado de polícia. Atualmente trabalham no Estado 356 delegados. Os dados são da Polícia Civil do Paraná. O governo do Estado anunciou nos últimos dias a contratação de 75 novos delegados em uma tentativa de amenizar o problema. A promessa é que todas as comarcas desfalcadas terão os cargos preenchidos.

Diante dessa realidade o que se vê são delegados acumulando a função em diversos municípios e com dificuldades para realizar o trabalho de investigação de crimes. “Toda a investigação é dirigida pelo delegado e com a ausência dele o trabalho fica prejudicado. Existem profissionais que trabalham direto, sem fim de semana para poder atender várias cidades”, apontou Roberto Nascimento, presidente da Associação dos Delegados da Polícia Civil do Paraná (Adepol).

Para Ademilson Batista, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Londrina e Região (Sindipol), a presença do delegado o dia todo em uma mesma delegacia é fundamental. Para ele, também faltam investigadores e escrivães nas delegacias do Estado. “Todos sabem que uma das formas de diminuir a violência é aumentar o efetivo, é ter polícia na rua. Enquanto houver sensação de impunidade, os índices não vão cair”, frisou. “Não adianta só nomear delegados, é preciso [que sejam nomeados] mais investigadores e escrivães”, cobrou Nascimento.

Read more