2 de outubro de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Burguesia paulistana abandonou Alckmin; agora é Bolsonaro contra o PT

Burguesia paulistana abandonou Alckmin; agora é Bolsonaro contra o PT

A blitzkrieg do consórcio jurídico-midiático já era esperada na reta final desta campanha presidencial, mas o que chama a atenção é o pragmatismo da burguesia que lançou ao mar Geraldo Alckmin (PSDB) em nome do antipetismo. ... 

Leia mais

21 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Alckmin continua com 6% nas pesquisas, até prova em contrário

Alckmin continua com 6% nas pesquisas, até prova em contrário

Apesar da celebração da mídia pelo apoio do Centrão, Geraldo Alckmin (PSDB) continua com 6% nas intenções de voto — até prova em contrário, qual seja, uma nova pesquisa. ... 

Leia mais

28 de maio de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Resumo da ópera: greve dos caminhoneiros continua nesta segunda-feira

Resumo da ópera: greve dos caminhoneiros continua nesta segunda-feira

Apesar da blitzkrieg da TV Globo, pela desmobilização, a greve dos caminhoneiros continua nesta segunda-feira (28) em todo o Brasil. Portanto, a redução de R$ 0,46 no litro do óleo diesel por 60 dias foi insuficiente. ... 

Leia mais

14 de fevereiro de 2017
por Esmael Morais
9 Comentários

A blitzkrieg da Globo contra a PM

Desde a semana passada, a TV Globo faz incansável blitzkrieg contra a greve da PM no Espírito Santo e baixa o pau nos milicianos do Rio. Leia mais

20 de outubro de 2016
por Esmael Morais
67 Comentários

Governador ‘Beto Baixaria’ e velha mídia surtam com 800 escolas ocupada no Paraná; assista

richa_ocupacao_cepO governador do Paraná Beto Baixaria, do PSDB, partiu para criminalizar o movimento de estudantes que nesta quarta (19) ocupou a 800ª escola da rede pública estadual. Leia mais

10 de outubro de 2014
por Esmael Morais
53 Comentários

PT sofre bombardeio da velha mídia pró-Aécio a 15 dias das eleições

do Brasil 247
Atribui-se ao general alemão Erich van Mastein a criação da “blitzkrieg”, uma tática militar de guerra-relâmpago que consistia em agredir o inimigo em várias frentes, e de surpresa, até que ele fosse completamente desmoralizado e perdesse a capacidade de reação.

Algo semelhante está ocorrendo contra o Partido dos Trabalhadores, a 15 dias do segundo turno das eleições presidenciais. A partir do Jornal Hoje, da Rede Globo, exibido ontem, imagens e áudios do depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras, começaram a ser vazados para a imprensa. Dali, espalharam-se para blogs, sites de notícias, portais e outros noticiários televisivos. Hoje chegaram à s manchetes dos principais jornais do País e, em breve, deverão estar nos programas eleitorais da oposição.

Nos processos de delação premiada, como o que envolve Paulo Roberto Costa e também o doleiro Alberto Youssef, os réus devem apresentar provas cabais do que dizem. Na realidade, deveriam dizer, apenas, o que são capazes de provar !“ caso contrário, a Justiça estaria estimulando eventuais ataques levianos e injustos à  reputações de terceiros.

Entretanto, o que se viu ontem foi um espetáculo midiático !“ quase um Big Brother. Outros diretores da Petrobras foram citados, além de 13 empresas, assim como o tesoureiro do PT, João Vaccari. A acusação principal é a de que o PT recolhia 3% do valor dos contratos da Petrobras em propinas !“ numa esquema já apelidado pela oposição de “petrolão”, para fazer um paralelo imediato com o chamado “mensalão”.

As provas… bom, elas ainda não foram apresentadas. Se isso acontecerá ou não, e quando, ninguém sabe. Mas o fato é que as consequências políticas das delações premiadas já foram alcançadas. O PT se vê novamente atingido por um escândalo de corrupção e, pela primeira vez, atrás do opositor Aécio Neves (PSDB-MG) nas pesquisas eleitorais, ainda que na margem de erro, dificilmente terá tempo para reagir.

De um lado, o presidente da legenda, Rui Falcão, fala em “acusações caluniosas”. O tesoureiro João Vaccari, assim como outros ex-diretores da Petrobras, anunciam processos judiciais contra seus delatores. O PT também alega que todas as doações eleitorais recebidas ocorreram dentro da lei.

A discussão jurídica, no entanto, pouco interessa. O que importa é o que acontecerá no dia 26 de outubro. E é possível que Paulo Roberto Costa e Alberto Yossef tenham decidido a disputa.

Leia mais