Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

12 de maio de 2018
por esmael
Comentários desativados em Dois anos de desgraças sob Michel Temer

Dois anos de desgraças sob Michel Temer

O PT fez um balanço dos dois anos de desgraças sob Michel Temer. Para a legenda, o golpe chegou ao seu terceiro ato com a prisão política de Lula enquanto o Vampirão Neoliberalista pratica ataques a direitos e programas sociais. Leia mais

2 de setembro de 2016
por esmael
22 Comentários

Sem legitimidade, golpe de Temer empurra país para a guerra civil

fora_temerAs breves horas pós-golpe foram suficientes para provar que o ilegítimo Michel Temer (PMDB) não tem condições para governar o país.

9 de agosto de 2016
por esmael
155 Comentários

O senado vota hoje o fim do 13º salário, não o impeachment de Dilma

CLT_senadoAlguns “trouxas” comemoram o golpe contra Dilma Rousseff, mas, de fato, o Senado vota nesta terça (9) o fim do 13º salário, redução das férias e até o fim do adicional noturno para os trabalhadores.

7 de junho de 2016
por esmael
10 Comentários

Enio Verri: integrantes do governo Temer com ficha criminal ao invés de currículo

enio_temer_medalha_cunha

O deputado Enio Verri (PT-PR) observa que o interino Michel Temer (PMDB) tem exigido ficha criminal ao invés de currículo de alguns de seus ministros.

Segundo o colunista, os apoiadores do governo ilegítimo têm “reputação e posições duvidáveis” em comparação a presidente eleita Dilma Rousseff.

Para Enio, os golpistas querem tirar direitos dos trabalhadores, recursos da saúde e educação, ameaçar a cultura e as investigações da

Lava Jato. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe a íntegra do texto:

19 de agosto de 2015
por esmael
9 Comentários

“Volta Lula” será lançado nesta quinta em manifestação de Curitiba

volta_lula_curitiba

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deverá ser o centro das atenções na manifestação desta quinta-feira, dia 20, em Curitiba, mesmo não estando presente na Praça Santos Andrade (UFPR), ponto de encontro dos movimentos sociais que aproveitarão a aglomeração para lançar a campanha “Volta Lula” em 2018. Leia mais

8 de julho de 2015
por esmael
6 Comentários

Além do palavrório: o ‘discurso funcional’ do golpe para os governistas e oposicionistas

Por Milton Alves*

Golpe, golpismo, golpistas, direita golpista, golpistas(que não passarão) tenho ouvido com intensidade e estridência o palavrório sobre a marcha inexorável da intentona em curso liderada por Aécio, Aloysio Nunes, Sérgio Moro, Malafaia e Kim Kataguiri. Tem gente que já dormita até debaixo da cama e enxerga golpistas em cada esquina.

Alguns companheiros já vivem um verdadeiro “estado de pânico”. Surgiu até a modalidade do golpe “suave”, como se isso fosse possível. Golpe é golpe! É sempre duro golpear alguém ou um governo democrático. Até a presidenta Dilma vem a público declarar “que não vai cair”, assumindo uma pauta discursiva da oposição.

Cá me pergunto: Golpe sem banqueiros? Golpe sem o latifúndio e a turma do agronegócio? Golpe com Levy no Ministério da Fazenda aplicando o ajuste fiscal?Golpe sem a Febraban (adorando a escalada sideral dos juros), CNI, CNA, Anfavea- aliás, as montadoras acabaram de ganhar um presentão do governo com o PPE…

Outra indagação: a quem serve o discurso do golpe batendo na soleira das nossas casas e forcejando as grades dos nossos prédios?

É uma resposta necessária para evitar mal entendidos e desnudar o jogo de cena em curso de setores à direita e da “esquerda oficialista” na atual conjuntura. Se é verdade que há segmentos políticos e sociais que defendem uma saída golpista ou conservadora para o impasse político que o país atravessa, é verdade também que o discurso do golpe ou da iminência do golpe vai se tornando um discurso funcional para governistas e para oposicionistas.

Para os governistas e a direção do PT, é necessário manter a esquerda do partido e os movimentos sociais prisioneiros da lógica da governabilidade pró ajuste fiscal. Ou seja, gente, pé no freio nas críticas e no combate aos efeitos perversos das medidas econômicas regressivas patrocinadas pela coalizão governista. Afinal, combater a necessidade do ajuste fiscal é “colocar água’” no moinho da oposição, o “centro é combater o golpe”.

Quem não ouviu ou leu essa argumentação binária e reducionista, esquecendo ou renegando o programa agitado pela então candidata que precisou levantar as bandeiras populares para vencer o candidato tucano no segundo turno? Depois de reeleita aplicou um mega cavalo-de-pau na economia, frustrando politicamente sua base social, o que arrastou a presidenta Dilma para o atual e impressionante grau de isolamento político.

Já para o tucanato e, principalmente, para Aécio Neves, a questão fundamental é segurar o governo na defensiva política, deixar Dilma sangrando em plena via pública, mas sem risco de vida, que chegue até o fim do mandato tão enfraquecida que a eleição de 2018 se torne um passeio dos tucanos até a Esplanada.

E cá prá nós, o governo tem dado um empurrão danado nessa direção: batendo cabeça, sem iniciativa política e agenda po