13 de Fevereiro de 2017
por esmael
41 Comentários

Richa consuma hoje farra de R$ 120 mi em propaganda com dinheiro público

Em tempos de crise (para os outros), o governador Beto Richa (PSDB) consuma nesta segunda-feira (13) uma farra de R$ 120 milhões em propaganda com dinheiro público.

9 de agosto de 2016
por esmael
23 Comentários

Temer estuda utilizar lei antiterrorismo contra trabalhadores que lutam por direitos

temer_lei_antiterrorismo_trabalhadoresO clima está muito tenso na Câmara, em Brasília. Dois petroleiros foram presos na manhã desta terça (9), que protestavam contra o PLP 257 (Projeto de Lei Complementar sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal).

17 de Fevereiro de 2016
por admin
8 Comentários

Os calotes de Beto Richa continuam

jacarezinho

O Blog do Esmael publicavou matéria,em julho do ano passado, citando o calote no aluguel do prédio utilizado pela Secretaria do Trabalho do Estado no município de Jacarezinho, situado no Norte Pioneiro.

Pois bem, passados sete meses a notícia se repete.

Naquela oportunidade, em virtude do registro nesta página, o tucano quitou os aluguéis de janeiro a junho de 2015. Mas ficaram para trás três aluguéis de 2014. Após essa data, nenhum aluguel mais foi pago, e agora são onze meses acumulados.

Se chegarem a março sem receber, os proprietários prometem bolo e festa de aniversário para o calote de Beto Richa.

Dona Ciroba, assídua leitora do Blog do Esmael, comentou o calote do tucano: assim até eu consigo um “superávit” nas minhas contas.

Veja a seguir a carta enviada pelo advogado dos proprietários. 

22 de dezembro de 2015
por admin
29 Comentários

Jeito tucano de governar: Beto Richa agora fecha universidades no Paraná

Primeiro foi a Faculdade de Artes do Paraná (FAP), campus da Unespar (Universidade Estadual do Paraná), em Curitiba, que suspendeu as atividades acadêmicas há duas semanas devido aos calotes aplicados pelo governador Beto Richa (PSDB) em empresas terceirizadas.

Depois, na semana passada, foi a vez do campus de Paranaguá — da mesma Unespar — que interrompeu as atividades também por falta de recursos.

Ontem foi a vez dos campi da Unicentro, em Guarapuava, e da Unespar, em União da Vitória, anunciarem a suspensão das atividades.

Em reunião plenária do Conselho Universitário da Unicentro, ocorrida na manhã desta segunda-feira (21), ficou decidido, por maioria, pelo fechamento da instituição a partir desta terça-feira (22).

Segundo o reitor Aldo Nelson, o “fechamento da universidade será até a realização do pagamento, isso implica dizer que não é um fechamento só por hoje ou amanhã, é um fechamento a partir de amanhã.”

Ainda, segundo a reitoria: “todas as tratativas estão sendo feitas para que o problema se resolva ainda hoje, de forma a evitar a adoção da medida determinada pelo COU, o que geraria uma série de transtornos ao calendário acadêmico, em pleno vigor em razão da greve do primeiro semestre do ano, além de prejuízos a inúmeros pacientes atendidos nas clínicas de Psicologia, Fonoaudiologia, Nutrição, Farmácia, Fisioterapia, Órtese e Prótese e Medicina Veterinária. Caso a Secretaria de Fazenda libere os recursos para efetuar o pagamento, as ativid

19 de Maio de 2015
por esmael
55 Comentários

Secretário da Fazenda de Beto Richa afirma que governo estuda vender ‘fatias’ da Copel e Sanepar

privatiza

Não bastasse o confisco da previdência dos servidores, os sucessivos calotes em fornecedores e nos próprios servidores, agora o governo Beto Richa (PSDB) fala em retomar as privatizações das duas principais empresas do Estado, a Copel e a Sanepar. Leia mais

20 de dezembro de 2014
por esmael
24 Comentários

Depois da 6!ª maldade, Richa foi descansar em Foz do Iguaçu

richa_piscina_foz.jpgO governador Beto Richa (PSDB) imagina-se Deus. Depois da sexta maldade praticada no fim deste primeiro mandato, ele decidiu descansar ‘esse restinho de ano’ em resort com piscina aquecida em Foz do Iguaçu. Leia mais

25 de novembro de 2014
por esmael
27 Comentários

No Paraná, 2, 1 mil escolas decretam greve nesta quarta contra Richa

educadores_upes.jpgDe volta de férias, o governador Beto Richa (PSDB) vai enfrentar nesta quarta-feira (26) a dura realidade que havia esquecido nos últimos quinze dias dentro de um transatlântico no Mar do Caribe. Educadores de 2,1 mil escolas da rede pública do Paraná decretaram greve de 24 horas contra calotes em avanços e progressões, fim da eleição para diretor, violência sofrida pela categoria na Assembleia Legislativa, dentre outras pautas.

A paralisação dos professores e funcionários de escola foi definida pela categoria em uma assembleia estadual realizada no dia 8 de novembro, em Apucarana, no Norte do estado. O protesto conta com o apoio da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), que fez até ensaio fotográfico pela eleição direta nas escolas (clique aqui).

Nós precisamos reinstalar a greve no Paraná porque o governo Beto Richa está nos tirando direitos e ampliando os calotes. Em fevereiro teremos uma assembleia geral, onde vamos defender greve por tempo indeterminado a partir de março de 2015!³, disse ontem (24) ao Blog do Esmael Professor Paixão, ex-candidato à  presidência da APP-Sindicato (veja o vídeo).

A seguir, leia a integra da pauta do movimento dos educadores:

26 de setembro de 2014
por esmael
31 Comentários

A equiparação salarial dos professores com as demais carreiras do Estado

Ricardo Fernandes Bezerra*, especial para o Blog do Esmael

VERDADES SOBRE O SALàRIO DOS PROFESSORES

A valorização dos professores nunca foi tão respeitada quanto na gestão Requião. Podemos relacionar como os fatores mais determinantes da valorização, além do respeito, o salário, a carreira e a formação continuada.

Vamos abordar neste artigo a questão do salário dos professores. Temos alguns personagens importantes, cada um a seu tempo, que no exercício do poder no Paraná, tiveram influência neste tema tão importante para a qualidade da educação. Estamos falando do Lerner, do Richa e do Requião.

Lerner assume o governo do estado em 1995 e sob o seu governo, os professores amargaram, praticamente durante os oito anos da sua gestão, um grande arrocho salarial, sob a alegação de indisponibilidade de recursos, que não faltaram para diversos outros investimentos de necessidade e importância duvidosa.

à‰ bom não esquecer, que no segundo mandato de Lerner, o descaso com os professores chegou a ponto da gratificação de férias ser paga em parcelas mensais, isso mesmo, em parcelas como se fosse um crediário de uma loja popular e não um direito inquestionável, não só do servidor público, mas de todos os trabalhadores, previsto na legislação.

O Beto Richa fala insistentemente em seu programa eleitoral que foi o responsável pela equiparação salarial dos professores aos demais servidores do estado, o que é uma meia verdade, ou se preferir, para ser mais preciso, um quarto de verdade. Já vamos esclarecer.

Vejamos: Requião assumiu o governo do Paraná pela segunda vez em janeiro de 2003, com um difícil cenário orçamentário e financeiro, um longo e grave achatamento salarial que envolvia todos os servidores do estado, com maior impacto para os professores, pois eles tinham como agravante, o salário extremamente defasado em relação aos demais servidores públicos.

à‰ importante rememorar um pouco da história para se dar valor ao que se alcançou, e certamente os professores da educação básica do estado do Paraná lembram e podem confirmar.!  No final do governo Lerner, em 2002, o salário inicial dos professores precisava de um reajuste de 98,06% (é isso mesmo!) para se equiparar ao salário dos demais profissionais do estado que tinham como requisito de ingresso licenciatura/graduação de nível superior, como era o caso dos professores.

O salário inicial dos professores, na época, era de R$ 770,08, enquanto os demais profissionais ingressavam no estado com um salário de R$ 1.525,25.!  Vamos enfatizar, para não deixar cair em esquecimento: à  época, era necessário quase dobrar o salário inicial dos professores para equiparar ao salário dos demais profissionais do estado. Lembrem que o salário dos demais profissionais também estava arrochado

Apenas na primeira gestão do Requião, a diferença entre o salário de ingresso dos professores e dos técnicos do estado se reduziu quase à  metade.!  Em 2006, a diferença estava em 56,94%, uma aproximação em 4 anos de 41,12%.!  Requião manteve a firme política de recuperação salarial dos professores, sem descuidar da recuperação do salário dos demais servidores públicos, concedendo ao mesmo tempo contínuos aumentos salariais para todos os servidores de todas as carreiras do funcional