26 de setembro de 2015
por Esmael Morais
13 Comentários

Deputado Aliel Machado, do PCdoB, caiu na #Rede de Sustentabilidade

aliel_redeO deputado federal Aliel Machado deixou neste sábado (26) o PCdoB pela Rede de Sustentabilidade, partido da Marina Silva, que se confirmou como única “janela” no troca-troca partidário para quem tem mandato e vai disputar as eleições de 2016.

O parlamentar pontagrossense informou alguns correligionários sobre a saída da legenda vermelha. Ele também confirmou esta noite ao Blog do Esmael sua ida para a Rede.

No início de agosto, o Blog do Esmael havia mostrado que o deputado planejava deixar o PCdoB pelo PDT, mas recuou porque o Congresso Nacional não aprovou a “janela da infidelidade” para quem disputará as eleições de 2016. Ele é candidato a prefeito do município de Ponta Grossa.

No Paraná, além de Aliel, quem poderá perder deputados estaduais é PV e PMDB. O verde Rasca Rodrigues e o peemedebista Luiz Claudio Romanelli, líder do governo Beto Richa, também flertam com a Rede. Leia mais

30 de julho de 2014
por Esmael Morais
3 Comentários

Procurador Eleitoral é favorável à  impugnação da candidatura de Cheida

via Folha de Londrina

O procurador regional eleitoral do Paraná, Alessandro José Fernandes de Oliveira, emitiu parecer favorável ao pedido de impugnação da candidatura à  reeleição do deputado estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB), condenado em maio deste ano por improbidade administrativa dolosa pela 4!ª Câmara do Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná. “A notícia de inelegibilidade procede”, escreveu o procurador no parecer anexado à  impugnação apresentada pelo também candidato a deputado estadual Emerson Petriv, o “Boca Aberta” (PSC). O Ministério Público Eleitoral não havia questionado a candidatura de Cheida.

Para Oliveira, o político está inelegível em razão da Lei da Ficha Limpa, que alterou a Lei Complementar 64/90, que trata das inelegibilidades. No artigo 1!º, inciso I, alínea l, a norma prevê que está inelegível “os que forem condenados à  suspensão dos direitos políticos, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, por ato doloso de improbidade administrativa que importe lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito”.

O procurador lembra que na sentença, expedida em abril de 2011 pela 1!ª Vara Cível de Londrina e mantida pelo órgão colegiado do TJ, Cheida foi condenado à  suspensão dos direitos políticos por 8 anos por improbidade dolosa e ressarcimento do erário: ele contratou, com dinheiro público, advogado particular para defendê-lo em dois processos criminais quando era prefeito de Londrina (1993-1996). Além disso, a contratação foi feita sem licitação e o custo das duas defesas foi de R$ 60 mil, valor muito superior ao da tabela da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) que vigorava na época.

Oliveira citou trecho do acórdão do TJ onde ficaria claro o entendimento de que houve dolo do então prefeito. “Resta claro dos elementos dos autos que Luiz Eduardo Cheida, ao contratar o advogado Omar Baddauy, atuou com a intenção de vulnerar as normas legais para satisfazer o fim ilícito de patrocinar com recursos públicos a sua defesa em processo criminal.”

Cheida e Baddauy recorreram ao TJ com embargos de declaração e medida cautelar, ambos negados. Também já ajuizaram recurso especial ao Superior Tribunal de Justiça e recurso extraordinário ao Supremo Tribunal Fed Leia mais

7 de junho de 2014
por Esmael Morais
Comentários desativados em Eleitores “órfãos” de Vargas e Cheida estão na mira dos políticos

Eleitores “órfãos” de Vargas e Cheida estão na mira dos políticos

via Folha de Londrina

Contrariando as perspectivas iniciais do ano eleitoral, o deputado federal André Vargas (sem partido) e o deputado estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB), ambos londrinenses e na lista dos principais nomes da política paranaense, podem ficar impedidos de disputar as urnas em outubro. Nesse cenário, o potencial de votos deles é cobiçado por políticos que pretendem ocupar esse espaço junto ao eleitorado “órfão”.

Pressionado por correligionários, Vargas saiu do PT após revelada sua ligação com o doleiro preso Alberto Youssef e não tem mais como participar das eleições. Pela legislação eleitoral, o candidato já deve ter, na data do pleito, pelo menos um ano de filiação a algum partido.

Já Cheida sofreu condenação no mês passado, já em segunda instância, por improbidade administrativa. Mas sua participação ou não na eleição ainda depende de desdobramentos. A condenação por colegiado pode o enquadrar na Lei da Ficha Limpa, mas o PMDB considera que a candidatura poderá ser efetivada, com o argumento de que não houve “dolo ou má fé”. Segundo o pré-candidato a deputado estadual Gilberto Martin (PMDB), “caso Cheida não consiga, será uma grande perda para a composição da legenda”. Peemedebistas calculam que o ex-prefeito de Londrina poderia alcançar 50 mil votos.

Martin, que a exemplo de Cheida também é médico, aposta na conquista de parte dos votos do correligionário, mas reconhece ser muito difícil manter todos esses votos no partido. “A região pode perder em representatividade.”

No PT, a avaliação é de que parte dos votos de Cheida pode migrar para a vereadora londrinense Lenir de Assis (PT), pré-candidata à  Assembleia Legislativa. O presidente estadual do PT, Enio Verri, acredita também em Tercílio Turini (PPS) e Martin. “Londrina tem uma classe média exigente, que vota no Cheida, e que pode sim votar na Lenir.” Para Verri, Cheida sempre teve uma postura mais à  esquerda.

Pré-candidato a deputado federal, Verri já começou a busca pelo capital eleitoral de Vargas, calculado em 200 mil votos, ao contratar parte da equipe do ex-petista. “Os votos do Vargas não devem ir para o Hauly (PSDB), nem para o Canziani (PTB), que têm o ele Leia mais

15 de maio de 2014
por Esmael Morais
20 Comentários

Nova baixa nas fileiras de Richa: Cheida é condenado e fica inelegível

via Jornal de LondrinaO deputado estadual Luiz Eduardo Cheida (PMDB) foi condenado pelo Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) por improbidade administrativa. Com a decisão unânime da 4!ª Câmara Cível, na noite de quarta-feira (14), o deputado se torna inelegível para a próxima eleição, conforme determina a Lei da Ficha Limpa.

Cheida foi condenado por utilizar dinheiro público para pagar os honorários ao advogado Omar Baddauy, que o defendeu no processo sobre a venda de ações da Sanepar na época em que era prefeito de Londrina.

Segundo Baddauy, o Ministério Público entendeu que os honorários pagos ao advogado eram excessivos. Fui contratado pelo Município para defender o então prefeito em uma ação que durou cinco anos [1996-2001]. O valor cobrado na época era condizente ao trabalho técnico prestado e as diversas estâncias em que o processo passou.!

Segundo o advogado, o MP definiu que os honorários cobrados deveriam ser condizentes a uma tabela mínima de valores estipulados pela Ordem de Advogados do Brasil (OAB) na época.

Em entrevista ao JL, Luiz Eduardo Cheida, que está em Londrina para compromissos políticos, confirmou apenas que irá recorrer da decisão e que deve se pronunciar sobre o caso em nota.

Leia mais

6 de março de 2014
por Esmael Morais
9 Comentários

Olha que fofo: Cheida critica uso de cães como cobaias; mas se cala sobre animais que passam fome na PM

Secretário de Meio Ambiente, deputado licenciado Luiz Eduardo Cheida, criticou o uso de animais como cobaias de laboratório, mas não enxergou no próprio governo que participa cães que prestam serviço na Polícia Militar passando fome; Rasca Rodrigues, deputado verde que coordena a Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, foi mais assertivo nesse tema ao elaborar requerimento pedindo explicações à  PM; Tá ruim pra cachorro. Será que é falta de planejamento ou de recursos?!, questionou o parlamentar do PV; posição de Cheida contra as cobaias não deixa de ser fofa, mas é politicamente insuficiente.

Secretário de Meio Ambiente, deputado licenciado Luiz Eduardo Cheida, criticou o uso de animais como cobaias de laboratório, mas não enxergou no próprio governo que participa cães que prestam serviço na Polícia Militar passando fome; Rasca Rodrigues, deputado verde que coordena a Frente Parlamentar em Defesa dos Animais, foi mais assertivo nesse tema ao elaborar requerimento pedindo explicações à  PM; Tá ruim pra cachorro. Será que é falta de planejamento ou de recursos?!, questionou o parlamentar do PV; posição de Cheida contra as cobaias não deixa de ser fofa, mas é politicamente insuficiente.

O deputado licenciado Luiz Eduardo Cheida (PMDB), atual secretário de Estado do Meio Ambiente, nesta quinta (6), emitiu “recado” criticando a utilização de animais como cobaias mantidas em cativeiros de laboratórios para testes e pesquisas na fabricação de medicamentos e cosméticos. ... 

Leia mais