11 de agosto de 2014
por Esmael Morais
Comentários desativados em Trabalhadores do transporte coletivo de PG aceitam proposta do prefeito e descartam greve

Trabalhadores do transporte coletivo de PG aceitam proposta do prefeito e descartam greve

Motoristas e cobradores que atuam no transporte coletivo urbano de Ponta Grossa aceitaram nesta segunda-feira proposta feita pelo prefeito Marcelo Rangel (PPS) e, com isso, foi abortada a possibilidade de uma nova paralisação da categoria. Pela proposta do prefeito , os motoristas e cobradores ganham o direito de credenciar-se no programa Mercado da Família, da Prefeitura de Ponta Grossa, que oferece produtos a preços em média 46% menores do que nos mercados comerciais. à‰ uma proposta que não causa nenhum impacto na planilha de custos do transporte coletivo!, reforça Rangel.

Com essa proposta, os trabalhadores recebem uma substancial vantagem nas compras de produtos alimentícios e de higiene e limpeza, disponíveis nas lojas do Mercado da Família.

O Executivo já enviou projeto de lei para apreciação da Câmara, autorizando a inclusão dos trabalhadores do transporte coletivo urbano entre os beneficiários do programa Mercado da Família. Acreditamos que essa proposta, sem alterar o equilíbrio do contrato e sem causar impacto na planilha, atende aos motoristas e cobradores e não ocasionará qualquer prejuízo ou custo extra aos usuários do sistema!, anota Rangel.

Dentro do que propôs o governo, será também cedida uma sala, para uso de motoristas e cobradores, no prédio do Terminal Central de Transporte Coletivo. Além disso, motoristas e cobradores receberão, em sua folha de pagamento, um abono de R$ 150, este ano, e outro de R$ 50, em janeiro de 2015.

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Trocadores de Ponta Grossa (Sintropas), Ricardo Peloze, que recebeu do prefeito Marcelo Rangel a proposta, disse ontem (segunda) que os trabalhadores aceitaram de forma unânime! a oferta da prefeitura, destacando que motoristas e trocadores não tinham acesso ao programa Mercado da Família, e que essa solução foi bastante apreciada. Sem a intervenção do prefeito Marcelo Rangel essa composição não seria possível!, avaliou. Peloze também lembrou o atendimento a uma reivindicação antiga da categoria, igualmente ate Leia mais

4 de julho de 2014
por Esmael Morais
11 Comentários

Coluna do Ricardo Mac Donald: Curitiba não merece sabotagem

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, lamenta que o Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), tenha tentado sabotar o último jogo da Copa decretando greve nos ônibus da capital; segundo o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet, como motivo, reivindicações adicionais ao acordo coletivo de trabalho promovido pelo TRT há poucos meses; O que ocorreu pode ser comparado à  situação em que alguém assina um contrato de aluguel anual e dois meses depois exige aumento do valor sob ameaça de despejo!, explica o colunista, que vê ação dos sindicalistas como gangsterismo; dos anos 90 para cá, destaca Mac Donald, houve confusões, cassações, agressões, atentados, apreensões de vultuosas somas pela Justiça, falsificação de notas fiscais e até assassinatos fizeram parte de um cenário conturbado e de fortes disputas pela receita que o Sindicato gerava!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald, em sua coluna desta sexta, lamenta que o Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc), tenha tentado sabotar o último jogo da Copa decretando greve nos ônibus da capital; segundo o capitão do time do prefeito Gustavo Fruet, como motivo, reivindicações adicionais ao acordo coletivo de trabalho promovido pelo TRT há poucos meses; O que ocorreu pode ser comparado à  situação em que alguém assina um contrato de aluguel anual e dois meses depois exige aumento do valor sob ameaça de despejo!, explica o colunista, que vê ação dos sindicalistas como gangsterismo; dos anos 90 para cá, destaca Mac Donald, houve confusões, cassações, agressões, atentados, apreensões de vultuosas somas pela Justiça, falsificação de notas fiscais e até assassinatos fizeram parte de um cenário conturbado e de fortes disputas pela receita que o Sindicato gerava!; leia o texto e compartilhe.

Ricardo Mac Donald* ... 

Leia mais

25 de junho de 2014
por Esmael Morais
2 Comentários

No último dia da Copa em Curitiba, ônibus podem parar novamente

via Paraná Online

Após uma audiência no Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), que durou mais de quatro horas, não houve acordo entre trabalhadores e donos das empresas de ônibus do transporte coletivo de Curitiba e região. Com isso, ainda não há definição se motoristas e cobradores vão entrar em greve nesta quinta-feira (26). A decisão deve sair nas próximas horas.

A Urbs deverá apresentar melhorias de condições de trabalho para as estações-tubo já existentes. Em relação à  dupla função – de motorista e cobrador – nos micro-ônibus, o sindicato dos trabalhadores, junto com os patrões, deve redigir uma cláusula de convenção coletiva sobre o assunto.

O presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de à”nibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), Anderson Teixeira, visitará todas as garagens de ônibus do transporte coletivo ainda na noite desta quarta-feira (25) para perguntar aos representantes dos trabalhadores se eles optam por manter a paralisação.

O vice-presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp), Maurício Gulin, afirmou que se a categoria decidir fazer somente a greve de cobradores, nenhum ônibus será liberado das garagens.

Leia mais

5 de junho de 2014
por Esmael Morais
Comentários desativados em Acordo no TRT-PR põe fim à  greve no transporte coletivo em Ponta Grossa

Acordo no TRT-PR põe fim à  greve no transporte coletivo em Ponta Grossa

via TRT

A Viação Campos Gerais (VCG) e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Passageiros de Ponta Grossa e Região (SINTROPAS) fizeram um acordo em audiência conciliatória na Justiça do Trabalho do Paraná e encerraram mais de duas semanas de greve no transporte coletivo da cidade.

A audiência começou à s 14h30 de quarta-feira e estendeu-se por onze horas de intensas negociações. O acordo só foi obtido na madrugada de quinta-feira, depois que a Câmara de Vereadores e a Prefeitura decidiram propor subsídio ao transporte público. A Câmara pretende devolver ao município R$ 2,4 milhões referentes à  rubrica de “custos economizados”, o que deverá ainda ser aprovado pelos vereadores. Já a prefeitura dispôs-se a assumir os custos de manutenção dos terminais de ônibus.

Veja o que foi acertado na audiência, presidida pela desembargadora Ana Carolina Zaina:

– Data-base fixada em 1!º de maio;

– 9% de reajuste linear imediato nos salários, chegando a 10% quando da efetiva implementação dos subsídios propostos pela Câmara e pelo Município;

– 9% de reajuste imediato no ticket-alimentação, chegando a 50% de reajuste a partir da implementação dos subsídios;

– Abono de R$ 250 a ser pago em parcela única, em setembro;

– Trabalhadores farão compensação escalonada dos dias de paralisação com prazo inicial de seis meses, podendo ser prorrogado até 30 de abril de 2015.

– A frota de ônibus de Ponta Grossa volta a circular integralmente a partir das 6h desta quinta-feira, 5/6.

Leia mais

3 de junho de 2014
por Esmael Morais
Comentários desativados em Sindicato pede liberação de catracas dos ônibus de Ponta Grossa

Sindicato pede liberação de catracas dos ônibus de Ponta Grossa

Com 16 dias de paralisação, a greve dos ônibus de Ponta Grossa é considerada uma das maiores já realizadas no Brasil. Sindicato teria pedido em audiência no TRT que as catracas fossem liberadas, e nesse caso, os trabalhadores colocariam 100% dos ônibus em funcionamento. Viação Campos gerais diz que o pedido não aconteceu e que os sindicalistas só querem tumultuar a situação. Impasse continua e quem paga é a população.

Com 16 dias de paralisação, a greve dos ônibus de Ponta Grossa é considerada uma das maiores já realizadas no Brasil. O Sindicato dos trabalhadores teria pedido em audiência no TRT que as catracas fossem liberadas, e nesse caso, os trabalhadores colocariam 100% dos ônibus em funcionamento. A Viação Campos Gerais diz que o pedido não aconteceu e que os sindicalistas só querem tumultuar a situação. Impasse continua e quem paga é a população.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de passageiros Urbanos Intermunicipais Fretamento e Turismo de Ponta Grossa e Região (Sintropas-PG), Ricardo Peloze, afirma que solicitou durante a última rodada de conciliação, que aconteceu na última sexta-feira, no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-PR) – entre a Viação Campos Gerais e representantes da categoria – a liberação das catracas dos ônibus para os 100 mil usuários do transporte coletivo. Caso a empresa acatasse o pedido, 100% da frota voltaria!  operar normalmente. ... 

Leia mais

2 de junho de 2014
por Esmael Morais
2 Comentários

Ponta Grossa: Greve sem precedentes pode romper contrato com a Viação Campos Gerais

Após anunciar multas diárias à  Viação Campos Gerais (VCG) pela greve no transporte de Ponta Grossa, o prefeito Marcelo Rangel (PPS) pretende entrar com uma ação no Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) para rescindir o contrato com a concessionária. A decisão sucede à  notificação da VCG, publicada no Diário Oficial da última sexta-feira, na qual a Prefeitura evocou as penalidades previstas no artigo 30 da lei municipal do transporte (Lei 7.018 de 2002) pelo déficit nos serviços prestados.

O rompimento no contrato de concessão foi estudado ontem pelo prefeito junto à  Procuradoria Geral do Município. Embasado nas cláusulas contratuais, vou pedir na Justiça a anulação, o cancelamento da concessão, uma vez que a empresa apresenta problemas na prestação dos serviços!, anunciou Rangel. Com mais de dez dias de paralisação, percebemos que não existe interesse em nenhuma das partes em terminar a greve!, comentou o prefeito.

VCG se posiciona sobre greve no transporte coletivo

A Viação Campos Gerais (VCG) disponibilizou uma nota a imprensa sobre as últimas notícias veiculadas a respeito da greve no transporte coletivo da cidade !“ amanhã a paralisação completa 15 dias e se torna a maior em andamento no Brasil. Em nota, a VCG informou que vem adotando todas as medidas que estão ao seu alcance para encerrar a greve dos trabalhadores!.

A empresa informou que no mesmo dia em que o movimento grevista foi iniciado, a empresa ajuizou dissídio coletivo de greve perante a Justiça do Trabalho, buscando uma solução rápida para a paralisação!. Segundo a empresa, a iniciativa da VCG garantiu que ao menos 50% da frota de ônibus circule nos horários de pico e 30% nos horários de menor movimento, assim reduzindo os efeitos da greve!, informa a empresa.

Segunda a nota da VCG, “o aumento salarial pretendido pelo SINTROPAS não causará impacto apenas na VCG, mas também em toda a comunidade pontagrossense, na medida em que o salário dos motoristas Leia mais

30 de maio de 2014
por Esmael Morais
3 Comentários

Revolta popular e confronto na greve dos ônibus em Ponta Grossa

Com mais de dez dias de paralisação no transporte coletivo, o terminal central de Ponta Grossa foi palco de conflitos entre manifestantes e policiais. Em protesto contra a interrupção parcial dos serviços, um grupo de pessoas bloqueou, ontem, a saída dos ônibus do local. A Guarda Municipal e a Polícia Militar interviram e uma pessoa foi presa na aglomeração.

Sem acordo entre a Viação Campos Gerais (VCG) e o sindicato dos motoristas e cobradores (Sintropas), há quase duas semanas a população conta com somente 40% da frota para se deslocar na cidade. Em horários de pico, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou que 50% dos ônibus da VCG operem.

A paralisação atinge cerca de 100 mil passageiros por dia. Em uma audiência realizada na segunda-feira (26), o Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR) sugeriu a fixação da data base em 1!º de fevereiro, um reajuste salarial de 7,5% e um aumento de 30% no auxílio-alimentação dos funcionários. A Justiça do Trabalho ofereceu também um adicional de 10,5% para motoristas de micro-ônibus, um abono salarial de R$ 200 incidente sobre a folha de maio e o não desconto dos dias parados.

Contudo, o Sindicato de Motoristas e Cobradores do Transporte Coletivo de Ponta Grossa e Região não aceitaram a proposta da Justiça. Esta foi a terceira tentativa de acordo entre o sindicato e a Viação Campos Gerais (VCG), mas não houve avanço em nenhuma delas.

Com informações do Jornal da Manhã e do G1 Paraná

Leia mais

4 de abril de 2014
por Esmael Morais
7 Comentários

à”nibus podem entrar em greve novamente em Curitiba

Presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, nesta sexta (4), afirmou que a categoria poderá cruzar os braços novamente; sindicalistas acusa empresas de ônibus de darem calote nos trabalhadores ao não honrar dissídio firmado no TRT, em fevereiro, durante a greve em Curitiba e Região Metropolitana; "Os motoristas e cobradores do transporte de passageiros de Curitiba e Região Metropolitana poderão entrar em greve novamente", advertiu Teixeira.

Presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, nesta sexta (4), afirmou que a categoria poderá cruzar os braços novamente; sindicalistas acusa empresas de ônibus de darem calote nos trabalhadores ao não honrar dissídio firmado no TRT, em fevereiro, durante a greve em Curitiba e Região Metropolitana; “Os motoristas e cobradores do transporte de passageiros de Curitiba e Região Metropolitana poderão entrar em greve novamente”, advertiu Teixeira.

E menos de dois meses, motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba podem entrar em greve pela segunda vez. O Sindimoc, entidade que representa os trabalhadores, denuncia que as empresas deram calote no acordo firmado nas vésperas do Carnaval perante o Tribunal Regional do Trabalho (TRT). ... 

Leia mais