29 de setembro de 2015
por admin
11 Comentários

Coluna do Enio Verri: Paraná revive desastres do governo Lerner

Enio Verri*

Desde que assumiu o governo do Estado, em 2011, Beto Richa foge da comparação com o ex-governador Jaime Lerner como o diabo foge da cruz. Escaldado pela desaprovação de Lerner junto aos paranaenses, por ele ter feito um governo marcado pela explosão das desigualdades regionais e principalmente pela implantação do pedágio mais caro do mundo, Richa sempre adotou um oportuno discurso de distância ideológica. A prática, entretanto, mostra que a gestão tucana se resume a uma versão 2.0 do governo Lerner.

A evidência mais recente do caráter lernista do governo Richa está estampada na capa da Gazeta do Povo desta segunda-feira (28). Reportagem do jornalista Fernando Jasper mostra que 90% dos recursos do programa Paraná Competitivo, criado em 2011 para estimular o desenvolvimento econômico do Estado por meio de benefícios fiscais, foram ou serão aplicados em cidades da Região Metropolitana de Curitiba e dos Campos Gerais.

Isso significa que R$ 22,1 bilhões, do total de R$ 24,8 bilhões viabilizados pelo programa, serão investidos nas duas regiões mais ricas do Paraná, que juntas detêm 51,3% do PIB estadual. Enquanto isso, as demais oito regiões metropolitanas, que concentram 48,7% do PIB, ficam com apenas 8,3% dos investimentos do Paraná Competitivo.

Quando o governo anunciou a criação do programa eu era líder da oposição na Assembleia Legislativa. Entre considerações elogiosas pela iniciativa de fomentar o desenvolvimento econômico do Estado, fui também o autor de incontáveis críticas ao Paraná Competitivo, pois entendia que o programa não previa incentivos diferenciados para indústrias se instalarem nas localidades mais pobres, justamente aquelas que mais necessitam da interferência governamental para alavancar o progresso. “Que empresa vai escolher a região central ou pelo Vale do Ribeira se os incentivos fiscais oferecidos pelo governo são os mesmos para os Campos Gerais e Região Metropolitana de Curitiba?”, repetia.

A previsão da oposição, de que o Paraná Competitivo potencializaria a atividade industrial e a concentração de riqueza nas regiões mais desenvolvidas, se confirmou. Assim como Lerner fez, Richa aumenta o abismo econômico entre as regiões do Estado, ignorando que municípios localizados em regiões mais pobres precisam de incentivos diferenciados para crescer

7 de junho de 2014
por esmael
43 Comentários

Última reunião da Caravana Volta Requião; assista ao vivo

Completando 25 encontros em todas as regiões do Paraná, termina hoje à  noite, em Curitiba, à s 19h30, no restaurante Dom Antônio, a Caravana Volta Requião; movimento pela candidatura própria do PMDB, ao Palácio Iguaçu, reunirá delegados e lideranças da região metropolitana; pela manhã, correligionários do senador Roberto Requião se reuniram em Londrina, Dois Vizinhos e Cornélio Procópio; disputa interna! no PMDB é o principal embate político do Paraná dos últimos três anos e meio; Blog do Esmael vai transmitir ao vivo para todo o mundo; assista.

Completando 25 encontros em todas as regiões do Paraná, termina hoje à  noite, em Curitiba, à s 19h30, no restaurante Dom Antônio, a Caravana Volta Requião; movimento pela candidatura própria do PMDB, ao Palácio Iguaçu, reunirá delegados e lideranças da região metropolitana; pela manhã, correligionários do senador Roberto Requião se reuniram em Londrina, Dois Vizinhos e Cornélio Procópio; disputa interna! no PMDB é o principal embate político do Paraná dos últimos três anos e meio; Blog do Esmael vai transmitir ao vivo para todo o mundo; assista.

O Blog do Esmael transmite ao vivo na noite deste sábado (7), a partir das 19h30, desde o restaurante Dom Antônio, no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba, a última reunião promovida pela Caravana Volta Requião. Leia mais

6 de Abril de 2014
por esmael
24 Comentários

“Nem a pau, Juvenal”, diz Requião sobre acordo eleitoral com Pessuti

Senador Roberto Requião, ao blog, jura que não fará acordo com o ex-governador Pessuti na convenção do PMDB; "Nem a pau, Juvenal", reagiu; segundo o parlamentar, 90% dos convencionais vão aprovar a candidatura própria e o projeto de retorno do partido ao Palácio Iguaçu; nesta semana, quando retornar do Uruguai, onde presidente o Parlasul, Requião deverá registrar sua pré-candidatura na agremiação, bem como o deputado Marcelo Almeida também deverá anotar seu desejo de concorrer ao Senado.

Senador Roberto Requião, ao blog, jura que não fará acordo com o ex-governador Pessuti na convenção do PMDB; “Nem a pau, Juvenal”, reagiu; segundo o parlamentar, 90% dos convencionais vão aprovar a candidatura própria e o projeto de retorno do partido ao Palácio Iguaçu; nesta semana, quando retornar do Uruguai, onde presidente o Parlasul, Requião deverá registrar sua pré-candidatura na agremiação, bem como o deputado Marcelo Almeida também deverá anotar seu desejo de concorrer ao Senado.

O senador Roberto Requião falou ao blog neste domingo (6) momentos antes de embarque para Montevidéu, no Uruguai, onde vai presidir amanhã mais uma sessão do Parlasul – o Parlamento do Mercosul. Este blogueiro foi direito na “jugular” perguntando-lhe sobre hipotético acordo com seu desafeto no PMDB, o ex-governador Orlando Pessuti. Leia mais

4 de Abril de 2014
por esmael
7 Comentários

à”nibus podem entrar em greve novamente em Curitiba

Presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, nesta sexta (4), afirmou que a categoria poderá cruzar os braços novamente; sindicalistas acusa empresas de ônibus de darem calote nos trabalhadores ao não honrar dissídio firmado no TRT, em fevereiro, durante a greve em Curitiba e Região Metropolitana; "Os motoristas e cobradores do transporte de passageiros de Curitiba e Região Metropolitana poderão entrar em greve novamente", advertiu Teixeira.

Presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores, nesta sexta (4), afirmou que a categoria poderá cruzar os braços novamente; sindicalistas acusa empresas de ônibus de darem calote nos trabalhadores ao não honrar dissídio firmado no TRT, em fevereiro, durante a greve em Curitiba e Região Metropolitana; “Os motoristas e cobradores do transporte de passageiros de Curitiba e Região Metropolitana poderão entrar em greve novamente”, advertiu Teixeira.

E menos de dois meses, motoristas e cobradores de ônibus de Curitiba podem entrar em greve pela segunda vez. O Sindimoc, entidade que representa os trabalhadores, denuncia que as empresas deram calote no acordo firmado nas vésperas do Carnaval perante o Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Leia mais

3 de Abril de 2014
por esmael
19 Comentários

A pedido de Lula, prefeito mais popular do país renuncia mandato nesta sexta

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última visita que fez ao Paraná, convenceu o prefeito de Pinhais, Luizão Goulart, o mais popular do país, a disputar uma cadeira na Câmara para ajudar campanha de Gleisi ao governo do estado; nesta sexta, dia 4, petista deverá renunciar ao mandato cuja gestão tem aprovação de 93% dos eleitores, segundo a Paraná Pesquisas; uma mulher vai comandar o município a partir da semana que vem: Marli Paulino, do PDT.

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última visita que fez ao Paraná, convenceu o prefeito de Pinhais, Luizão Goulart, o mais popular do país, a disputar uma cadeira na Câmara para ajudar campanha de Gleisi ao governo do estado; nesta sexta, dia 4, petista deverá renunciar ao mandato cuja gestão tem aprovação de 93% dos eleitores, segundo a Paraná Pesquisas; uma mulher vai comandar o município a partir da semana que vem: Marli Paulino, do PDT.

O prefeito de Pinhais, Luizão Goulart (PT), o mais popular do país, deverá renunciar ao cargo nesta sexta-feira (4) para concorrer à  Câmara Federal. Ele é uma aposta do ex-presidente Lula e do PT para fortalecer a campanha da senadora Gleisi Hoffmann (PT) na região metropolitana de Curitiba. Leia mais

3 de dezembro de 2013
por esmael
13 Comentários

Pós-CPI: Richa ameaça, outra vez, cortar subsídio de R$ 100 mi ao transporte coletivo de Curitiba

O governador Beto Richa (PSDB) estuda acabar com o subsídio de R$ 100 milhões ao ano para a Rede Integrada de Transporte (RIT), que permite que usuários de Curitiba e mais 13 municípios da região metropolitana paguem a mesma tarifa.

O tucano deverá tomar a decisão tendo como base o relatório final da CPI do Transporte, concluída semana passada pela Câmara Municipal de Curitiba, que afirma haver “gordura” de R$ 0,48 no preço da tarifa. O presidente da comissão, vereador Jorge Bernardi (PDT), advoga a tese de que a tarifa tem que baixar para R$ 2,22.

Além de Bernardi, que é líder do PDT no legislativo municipal, partido prefeito Gustavo Fruet, o governador Beto Richa também se apoia em parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que analisou contratos e planilhas de custo do sistema de ônibus em Curitiba. No relatório, produzido em setembro, órgão afirma que a passagem de ônibus deveria custar, no máximo, R$ 2,25 aos passageiros.

O subsídio concedido pelo governo do estado serve para compensar o valor da tarifa técnica da passagem, ou seja, aquela que é efetivamente paga à s empresas. Enquanto os usuários arcam com R$ 2,70, as empresas de ônibus recebem, atualmente, R$ 2,99 por cada passageiro transportado.

Depois dos protestos de junho nas ruas da capital, Fruet reduziu a tarifa nas linhas da Rede Integrada de Transporte de R$ 2,85 para R$ 2,70, equivalente a 5,23%, que vigora desde 1!º de julho.

No esforço para garantir a tarifa em R$ 2,70, até o presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), se somou ao esforço ao destinar R$ 10 milhões de sobra do orçamento para os cofres municipais.

Como confusão pouca é bobagem, de posse do relatório da CPI do Transporte, vereadores de todos os partidos se movimentam no sentido de cobrar de Roberto Gregório da Silva Junior, presidente da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A), a empresa que gerencia o transporte em Curitiba, que reduza a tarifa do ônibus para R$ 2,20 conforme determinou a comissão de investigação presidida pelo líder do partido do prefeito Fruet.

Na prática, a CPI do Transporte deu a Richa o álibi que precisava: a tarifa tem uma gordura e o município não precisa de subsídio do governo do estado; ou a CPI é laranja?