Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

21 de maio de 2018
por esmael
Comentários desativados em Gleisi Hoffmann: O submundo das delações premiadas          

Gleisi Hoffmann: O submundo das delações premiadas          

A senadora Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, detalha o submundo das delações premiadas na lava jato e destaca o papel do advogado Figueiredo Basto no “concerto de delações” com o objetivo, segundo ela, de atingir adversários políticos do PSDB e em troca de propina. Acusado por delatores premiados, Figueiredo Basto agora diz que a palavra de delatores não deve ser considerada. “Seria a piada pronta, mas é o trágico retrato de um sistema judicial envenenado e partidarizado”, escreve. Leia mais

27 de maio de 2016
por esmael
19 Comentários

Golpistas não desistem de pegar Lula

lula

A velha mídia golpista voltou bater bumbos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Reportagem da revista Veja, deste fim de semana, divulgou trechos de uma suposta delação do ex-deputado Pedro Correa (PP-PE), condenado a mais de 20 anos de cadeia por corrupção e lavagem de dinheiro.

A publicação da Editora Abril tenta incriminar Lula visando abafar gravações de senadores do PMDB que mostram planejamento do golpe de Estado, para destituir a presidente eleita Dilma Rousseff, em conluio com ministros do Supremo Tribunal Federal e setores da mídia.

5 de dezembro de 2013
por esmael
11 Comentários

Joaquim Barbosa manda prender mais quatro réus condenados no mensalão

da Agência BrasilO presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, determinou hoje (5) a prisão de mais quatro réus condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Os mandados de prisão foram encaminhados para a Polícia Federal. No dia 15 de novembro, Barbosa determinou a prisão de outros 12 condenados.

Com a decisão, tiveram a prisão decretada: deputado Federal Valdemar Costa Neto (PR-SP), condenado a sete anos e 10 meses, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro , em regime semiaberto; Pedro Corrêa, ex-deputado federal (PP-MT), condenado sete anos e dois meses de prisão, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; Bispo Rodrigues, ex-deputado federal do PL (atual PR), condenado a seis anos e três meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro; e Vinícius Samarane, ex-diretor do Banco Rural, condenado a oito anos e nove meses de prisão por lavagem de dinheiro e gestão fraudulenta.

Somente Samarane cumprirá a pena em regime fechado por ter recebido pena maior de oito anos. Os demais, com penas abaixo de oito, ficarão em regime semiaberto. De acordo com a Lei de Execução Penal, condenados em regime semiberto podem trabalhar dentro do presídio, em oficinas de marcenaria e serigrafia, por exemplo, ou externamente, em uma empresa que contrate detentos.

Os réus João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados e deputado federal (PT-SP), condenado a nove anos e quatro meses de prisão; o ex-assessor parlamentar do PP João Claudio Genu, condenado a quatro anos; e o ex-sócio da corretora Bônus Banval Breno Fischberg, condenado a três anos e seis meses, ainda poderão recorrer em liberdade, por terem direito aos embargos infringistes, outra fase de recursos do processo.