23 de Maio de 2014
por esmael
53 Comentários

Ainda magoado, Pessuti afirma que foi traído em 2010 pela cúpula do PMDB

O ex-governador Orlando Pessuti, em mensagem enviado ao Blog do Esmael, na noite desta sexta-feira (23), negou que tenha desistido de concorrer ao Palácio Iguaçu nas eleições de 2010.

“Nunca desisti. Fui impedido de ser candidato”, lamenta Pessuti, ao recordar que cometeu erro ao delegar poderes ao diretório estadual do PMDB.

“Meu erro foi aceitar esse acordo de delegação de poderes, pois três dias depois Requião, os deputados, a cúpula nacional, a executiva estadual e o diretório do PMDB colocaram o Osmar Dias (PDT) de candidato e a candidatura Pessuti do PMDB deixou de existir. à‰ essa a verdade. Nunca desisti. Fui impedido de ser candidato”, afirma o ex-governador, sugerindo que foi traído.

Naquela disputa, Pessuti indicou o suplente na senadora Gleisi Hoffmann (PT) — seu pupilo Sérgio Souza (PMDB), que assumiu o cargo por mais de 2 anos — e o vice de Osmar — o então deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB).

Um poço de mágoas, o ex-governador peemedebista também acusa o antecessor e senador Requião de “coveiro” de candidaturas. Ele cita como exemplos, além do próprio, Elias Abrahão e Gustavo Fruet, que não conseguiram disputar eleições no partido.

Leia a integra da mensagem de Pessuti:

NUNCA DESISTI. FUI IMPEDIDO DE SER CANDIDATO

em nenhum momento, em 2010, deixei de ser candidato. lutei até o fim para manter meu nome como candidato a governador pelo pmdb. o ex.governador requião e muitos outros fizeram de tudo, e conseguiram, impedir a minha candidatura. no dia 27.06.2010, nas reuniões e depois na convenção, o que estava acertado que eu seria o candidato a governador e que a convenção delegaria poderes ao diretório estadual para ajustar as coligações. MEU ERRO FOI ACEITAR ESSE ACORDO DE DELEGAà‡àƒO DE PODERES, pois três dias depois o requião, os deputados, a cúpula nacional, a executiva estadual e o diretório do pmdb colocaram o osmar dias (pdt) de candidato e a candidatura pessuti do pmdb deixou de existir. à‰ essa a verdade. NUNCA DESISTI. FUI IMPEDIDO DE SER CANDIDATO.

O requião sempre foi assim. sempre matou candidaturas de companheiros do pmdb. foi assim em 1994 quando não deixou o Elias Abrahão ser candidato a governador. Foi assim em 2004 quando não deixou o Gustavo Fruet ser candidato a prefeito de Curitiba. foi assim em 2010 quando não deixou que eu fosse candidato a governador. foi assim em tantos municípios onde impediu candidaturas do pmdb ou apoiou candidatos de outros partidos quando o pmdb tinha candi

9 de Maio de 2014
por esmael
16 Comentários

Em nota, Gleisi garante que recebeu doações dentro da legalidade em 2010

A senadora Gleisi Hoffmann, pré-candidata ao governo do Paraná pelo PT, por meio de nota oficial, disse que recebeu ‘legalmente’ doações para a campanha de 2010. “No Brasil, o financiamento de campanha ainda é privado”, afirma um trecho do documento.

O esclarecimento da petista se deu depois que veículos de imprensa passaram a relacioná-la a empresas que têm contrato com o governo federal, que teriam doado R$ 3,71 milhões a Gleisi. Ao todo, a senadora arrecadou R$ 7,97 milhões na campanha de 2010. “A prestação de contas foi aprovada integralmente pelo TSE”, garante.

Leia a íntegra da nota oficial de Gleisi Hoffmann:

1. Todas as doações de campanha da Senadora Gleisi Hoffmann são oficiais e foram contabilizadas. A prestação de contas foi aprovada integralmente pelo Tribunal Superior Eleitoral, TSE, que não fez qualquer ressalva à  documentação sobre as doações recebidas.

2. Cópia da prestação de contas da Senadora Gleisi Hoffmann está à  disposição no site (www.tse.jus.br/) do próprio TSE – Tribunal Superior Eleitoral e pode ser acessada por qualquer cidadão ou cidadã. A transparência é absoluta.

3. No Brasil, o financiamento de campanha ainda é privado. Qualquer pessoa física ou jurídica pode doar recursos para campanhas eleitorais, desde que cumpra os limites estabelecidos pela legislação eleitoral. A pessoa física pode doar no máximo dez por cento de sua renda bruta do ano anterior à  eleição e a pessoa jurídica, dois por cento do faturamento bruto (arts. 23, !§ 1!º, I, e 81, !§ 1!º, da Lei n.!º 9.504/97).

4. Jornais e revistas divulgam com destaque notícias sobre doações da campanha paranaense, mas no caso da Senadora Gleisi Hoffmann não assinalam qualquer irregularidade porque está tudo rigorosamente certo com as contas de sua campanha.

5. A Senadora Gleisi Hoffmann sempre prestou, e continuará prestando, todas as informações sobre o mandato parlamentar que exerce em nome do povo paranaense.

6. Em breve, os paranaenses terão de definir com clareza que linha de rumo vão seguir para

18 de Março de 2014
por esmael
23 Comentários

Pressionado, governo Richa aceita explicar privatização da Sanepar em “reunião secreta” da Assembleia

A pedido do líder da bancada do PT, Tadeu Veneri, o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone, vai depor nesta quarta (19) à s 10 horas em "sessão secreta", no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa do Paraná, sobre a privatização da ainda estatal de água e esgoto; A venda das ações da companhia transformará água, um bem comum, em mercadoria como outra qualquer!, criticou Enio Verri, presidente estadual do PT do Paraná.

A pedido do líder da bancada do PT, Tadeu Veneri, o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone, vai depor nesta quarta (19) à s 10 horas em “sessão secreta”, no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa do Paraná, sobre a privatização da ainda estatal de água e esgoto; A venda das ações da companhia transformará água, um bem comum, em mercadoria como outra qualquer!, criticou Enio Verri, presidente estadual do PT do Paraná.

O presidente da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Fernando Ghignone, vai depor amanhã à s 10 horas em “sessão secreta”, no gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa do Paraná, sobre a privatização da ainda estatal de água e esgoto. Leia mais

11 de Março de 2014
por esmael
4 Comentários

Câmara de Colombo pode investigar ex-prefeito na “CPI da Uva”

Treze dois 21 vereadores de Colombo assinaram requerimento para instalação da "CPI da Uva" nesta terça (11); parlamentares querem investigar tradicional festa na gestão de J. Camargo, entre os anos de 2009 e 2012; vereadores suspeitam de desvio superior a R$ 500 mil no período do ex-prefeito do PSC.

Treze dois 21 vereadores de Colombo assinaram requerimento para instalação da “CPI da Uva” nesta terça (11); parlamentares querem investigar tradicional festa na gestão de J. Camargo, entre os anos de 2009 e 2012; vereadores suspeitam de desvio superior a R$ 500 mil no período do ex-prefeito do PSC.

A Câmara Municipal de Colombo, na região metropolitana de Curitiba, a partir das 15h30 desta terça (11), pode instalar a “CPI da Uva” para investigar suposto desvio de R$ 500 mil da tradicional Festa da Uva na gestão do ex-prefeito J. Camargo (PSC). Leia mais

28 de Fevereiro de 2014
por esmael
23 Comentários

Viatura da polícia sem combustível é puxada por bois no interior do Paraná

Viatura da PM sem combustível funciona com tração animal no interior do Paraná; bois são utilizados para puxar veículo da polícia; carroças eram usadas pela PMPR até 1909, ou seja, no governo Richa houve uma volta de 105 anos ao passado.

Viatura da PM sem combustível funciona com tração animal no interior do Paraná; bois são utilizados para puxar veículo da polícia; carroças eram usadas pela PMPR até 1909, ou seja, no governo Richa houve uma volta de 105 anos ao passado.

O governo Beto Richa (PSDB) continua batendo biela na área da segurança pública. Além de a pasta estar acéfala, sem titular, agora falta gasolina para as viaturas da Polícia Civil. Ofício encaminhado aos delegados comunica que tem apenas etanol disponível aos veículos. Leia mais

30 de outubro de 2013
por esmael
8 Comentários

Lula e Dilma comemoram dez anos de sucesso do Bolsa Família

da Agência BrasilA presidenta Dilma Rousseff e vários ministros participam hoje (30) de cerimônia em comemoração aos dez anos do Bolsa Família. Será ás 11h no Museu da República.

Vários ministros participam da solenidade, entre eles Guido Mantega, da Fazenda, Alexandre Padilha, da Saúde, e Tereza Campello, do Desenvolvimento Social e Combate á Fome. Também estarão presentes parlamentares e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Hoje, 13,8 milhões de famílias recebem o Bolsa Família, o que representa 50 milhões de pessoas. Com o programa, 36 milhões de brasileiros saíram da linha de pobreza extrema.

Como parte das comemorações, será lançado ás 16h, também no Museu da República, o livro Programa Bolsa Família – Uma Década de Inclusão e Cidadania. A iniciativa é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Ministério do Desenvolvimento Social. O ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos e presidente do Ipea, Marcelo Neri, e a ministra Tereza Campello apresentam a obra. Os artigos reunidos na publicação traçam um panorama da evolução do programa, resgatam as principais contribuições do Bolsa Família para as políticas de assistência social e apresentam dados sobre seu impacto nos indicadores de saúde, educação e proteção social e na redução da pobreza.