5 de Fevereiro de 2018
por esmael
7 Comentários

Jucá estancou mais uma sangria no STF

O senador Romero Jucá (MDB-RR) é um craque do estancamento de sangrias no Supremo. Ele começou esta semana, por exemplo, se livrando de uma bronca que já durava 14 anos sobre suposta prática de desvio de recursos públicos. O crime prescreveu, por isso o ministro Marco Aurélio Mello arquivou a denúncia. Leia mais

4 de junho de 2016
por esmael
7 Comentários

Tucano relator do impeachment de Dilma recebeu propina em Minas

jorge_bernardi_antonio_anastasia

Jorge Bernardi (REDE), em sua coluna deste sábado (4), observa que as delações em crimes do colarinho branco são demais seletivas. Ele lembra que o primeiro grande delator da Lava Jato, Alberto Youssef, protegeu alguns políticos do Paraná. Segundo o colunista, até mesmo as gravações do ex-senador Sérgio Machado (PSDB), bem como os executivos da Odebrecht e OAS, foram seletiva porque também protegem políticos em suas delações. Dentre as delações mais graves, que não prosperaram, ainda de acordo com Bernardi, é aquela contra o ex-governador e Minas e atual senador Antonio Anastasia (PSDB). “O doleiro Alberto Youssef chegou a entregar o senador Anastasia, relator do processo de impeachment da Presidenta Dilma, como beneficiário de uma propina de R$ 1 milhão de reais. A denúncia não foi em frente”, registra. Abaixo, leia, ouça, comente e compartilhe o texto: