Por Esmael Morais

Coluna do Jorge Bernardi: “A herança maldita de Beto Richa para Curitiba vai até 2035”

Publicado em 11/07/2015

A CPI apontou ainda formação de cartel, sonegação fiscal, improbidade administrativa além da fraude na licitação, entre outras irregularidades. Mais de 40 itens do edital da licitação, elaborado durante a gestão de Beto Richa na Prefeitura de Curitiba, foram alterados para beneficiar as mesmas empresas de ônibus que operavam o sistema de transporte coletivo a décadas.

O Tribunal de Contas do Paraná, através de auditoria paralela a CPI, apontou todas as irregularidades como as demais comissões. Passados quase dois anos, vem a decisão histórica, daquela corte administrativa, que determina retirada de vários itens da composição tarifaria que deverá baixar o custo tarifa técnica (aquela que as empresas recebem) em, pelo menos R$ 0,33 (trinta e três centavos).

Cada centavo na tarifa representa R$ 3.100,000,00 a mais por ano para empresas, ou seja, mais de R$ 100 milhões por ano, ou R$ 450 milhões recebidos ilegalmente por elas até julho de 2015. Este dinheiro terá que ser ressarcido aos usuários do transporte coletivo de Curitiba.

A pergunta que fica: quem vai ressarcir a herança maldita de Beto Richa para a cidade de Curitiba até 2.035?

*Jorge Bernardi, vereador de Curitiba pelo PDT, é advogado e jornalista. Mestre e doutorando em gestão urbana, ele escreve aos sábados no Blog do Esmael.