9 de outubro de 2014
por esmael
45 Comentários

Largada na frente de Aécio no 2!º turno desafia rota de Dilma

via Brasil 247

O que já era percebido nos comandos das campanhas presidenciais ganhou os primeiros números de pesquisas: o senador Aécio Neves largou!  na frente da presidente Dilma Rousseff no segundo turno. Com 54% das intenções de votos válidos para o dia 26 deste mês, segundo o Instituto Paraná de Pesquisas, o tucano apareceu 8 pontos à  frente da petista, que marcou 46%. Esses porcentuais poderão variar nos próximos levantamentos, mas não se acredita numa inversão imediata de posições entre os candidatos.

O primeiro quadro é mesmo balizador. Nele, se para o PSDB se manter na dianteira a fórmula parece ser a de fazer “mais do mesmo”, no caso do PT a tarefa é mais difícil. A partir de agora, o favoritismo trocou de lado e vai sendo encorpado pelo adversário. O histórico de eleições resolvidas em segundo turno mostra que o candidato que larga na frente, como fez a própria Dilma em relação a José Serra, em 2010, chega na frente também nas urnas.

Aécio conseguiu no primeiro turno com 33,6% dos votos em disputa no domingo 5, dando um salto, agora, segundo o primeiro levantamento registrado, para 49% das intenções de votos nominais. Havia uma forte tendência de ele ser o depositário da maior parte dos votos dados contra o governo, dirigido à !  candidata Marina Silva, do PSB, e aos chamados “nanicos”. Esse ganho está se confirmando e!  começou a ser apurado agora.

Para Dilma, que fechou o primeiro turno com 41,5% dos votos em disputa no domingo 5, ainda não teria ocorrido crescimento algum, segundo o Instituto Paraná. Ela manteve na pesquisa o mesmo índice de seus votos na primeira volta.

A presidente conseguiu, nesta campanha, alcançar quem aparecia na frente nas pesquisas. Logo após ter seu nome lançado pelo PSB, Marina surgiu numa pesquisa Datafolha com dez pontos à  frente de Dilma. Com uma dura campanha de desconstrução da adversária, o PT não só anulou a vantagem, como, efetivamente, terminou na dianteira.

Agora, mesmo que pareça mais difícil, a mesma aposta será feita. Em João Pessoa, na Paraíba, nesta quarta-feira 8, Dilma taxou o PSDB de elitista! e bateu novamente na tecla de que o partido não tem compromisso com as políticas sociais que ela desenvolveu. Em São Paulo, nesta quita 9, o ex-presidente Lula promete voltar à  campanha, liderando uma plenária partidária.

Pela televisão, no horário eleitoral gratuito, o comando da campanha promete abrir baterias já a partir de amanhã, nos dez minutos de propaganda que a presidente dispõe.

Um problema da estratégia de demolição é que, superada a fase dos tempos diferentes de exposição no horário político, Aécio, agora, também terá seus dez minutos para se defender, atacar ou passar a mensagem que achar mais adequada. Marina não chegou a contar com essa isonomia. Aécio também não, ele que tinha pouco mais