Mundo alcança 25 milhões de casos de covid-19 enquanto Brasil atinge 3,8 milhões de infectados

O mundo atingiu neste domingo (30) 25.377.090 de casos do novo coronavírus, informa a Organização Mundial de Saúde (OMS), enquanto o Brasil somou hoje 3.862.311 casos confirmados de covid-19.

O número de mortes pela doença em todos os países chegou a 850.140 e no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, bateu 120.828 mortes neste domingo (30).

O Brasil fica em segundo lugar, atrás dos Estados Unidos, em números absolutos de casos de mortes pela doença. Em terceiro lugar vem a Índia e em quarto lugar a Rússia, que recentemente anunciou a descoberta da vacina para a covid-19.

Com 3,8 milhões de casos e mais de 120 mil mortos por coronavírus, o governo do presidente Jair Bolsonaro vem sendo apontado por políticos e autoridades sanitárias como principal responsável pela tragédia humanitária no Brasil, embora a maioria dos habitantes o isente de culpa, segundo recentes pesquisas de opinião.

Talvez a face da pior tragédia seja a econômica, que poderá ser agravada nos próximos meses com a redução do auxílio emergencial para R$ 300 mensais até dezembro deste ano. Hoje, esse valor é de R$ 600, mas há pressão dos bancos e da mídia corporativa para cortar essa ajuda pela metade.

A gravidade da situação pode ainda ser medida pela quantidade de desempregados no País, cerca de 80 milhões, se considerados os informalizados, precarizados, uberizados, pejotizados, intermitentes, desalentados, semiescravizados, enfim, somam 50% da população economicamente ativa. É a maior taxa de desocupados do planeta, de acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

Como se fosse uma ditadura, o governo Bolsonaro faseia os números. Para fins estatísticos oficiais, o Palácio do Planalto dissemina que são apenas 13% de desempregados no Brasil. Trata-se da maior fake news produzida durante a pandemia. Tudo com a anuência dos barões da mídia, é claro.

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro vai anunciar auxílio emergencial de R$ 300 na terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro não irá anunciar nesta terça-feira (1º) que o auxílio emergencial não será de R$ 600 nem de R$ 200. Bolsonaro vai bater o martelo no valor de R$ 300, metade, que será estendido até o fim deste ano.

A redução do benefício pela metade expõe as populações mais vulneráveis economicamente à pandemia do novo coronavírus e à fome, haja vista que são mais de 80 milhões de desempregados no País, 50% da população economicamente ativa (PEA), embora as estatísticas oficiais apontem apenas 13% de desocupados.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi uma conquista da oposição no Congresso Nacional, no início da pandemia, quando o presidente e o ministro da Economia, Paulo Guedes, propunham somente R$ 200 de ajuda.

Saque emergencial do FGTS. Veja como receber R$ 1.045

A Caixa credita nesta segunda-feira (31) o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para os trabalhadores nascidos em setembro.

Apesar de a Medida Provisória 946, que instituiu o saque emergencial, ter perdido a validade, a Caixa manteve o calendário de saques, com base no princípio da segurança jurídica. Ao todo, o governo pretende injetar R$ 37,8 bilhões na economia, beneficiando cerca de 60 milhões de pessoas.

Nesta fase, o dinheiro poderá ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem. A ferramenta permite o pagamento de boletos (água, luz, telefone), compras com cartão de débito virtual em sites e compras com código QR (versão avançada de código de barras) em maquininhas de cartão de lojas parceiras com débito instantâneo do saldo da poupança digital.

O pagamento será feito na conta poupança social digital. O saque em dinheiro estará disponível somente em 31 de outubro.

O valor do saque emergencial é de até R$ 1.045, considerando a soma dos saldos de todas as contas ativas ou inativas com saldo no FGTS.

Orientações

A Caixa orienta os trabalhadores a verificar o valor do saque e a data do crédito nos canais de atendimento eletrônico do banco: aplicativo FGTS e telefone 111. Caso o trabalhador tenha direito ao saque emergencial, mas não teve a conta poupança digital aberta automaticamente, deverá acessar o aplicativo FGTS para complementar os dados e receber o dinheiro.

O banco alerta que não envia mensagens com pedido de senhas, dados ou informações pessoais. Também não envia links nem pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.

Cancelamento do crédito automático

O trabalhador poderá indicar que não deseja receber o saque emergencial do FGTS até dez dias antes do início do seu calendário de crédito na conta poupança social digital, para que sua conta do FGTS não seja debitada.

Caso o crédito dos valores tenha sido feito na poupança social digital do trabalhador e essa conta não seja movimentada até 30 de novembro de 2020, os valores corrigidos serão retornados à conta do FGTS.