PT: Bolsonaro enganou o povo com promessa de “combate à corrupção”; assista ao vídeo

O Partido dos Trabalhadores divulga neste domingo, 30, nova peça da campanha “Na hora do vamos ver, quem defende você é o PT”. Desta vez, o tema é um alerta sobre como Bolsonaro enganou a população brasileira com sua falsa promessa de “combate à corrupção”, durante a campanha eleitoral.

Durante o fim de semana, coroando o noticiário nacional, a corrupção do clã Bolsonaro ganhou destaque de página inteira no jornal The New York Times – veja matéria neste link.

O vídeo lançado hoje está sendo difundido pelas pré-candidaturas, direção e militância do partido em todo o território nacional. A campanha já divulgou vídeo sobre os temas da economia, destacando a importância das reservas cambiais deixadas pelos governos petistas, e da saúde, que podem ser vistos no site do PT.

Segundo a agremiação, o objetivo central da campanha é defender o legado dos governos Lula e Dilma.

Neste vídeo, a campanha resgata o papel do PT na criação e fortalecimento de instrumentos de Estado para enfrentar a corrupção e garantir o bom uso do dinheiro público no país. A peça destaca a Lei Anticorrupção, a Controladoria Geral da União (CGU) e o Portal da Transparência.

O PT ainda reafirma o fato de que não interferiu nas instituições, como faz atualmente Bolsonaro para proteger sua família, milicianos e a corrupção. E mais, chama a atenção para o desmonte das instituições que, além de afastar a sociedade do controle das ações governamentais, está impondo um apagão de dados no país.

Lançado em 2004, o Portal da Transparência do Governo Federal é um site de acesso livre. Por meio dele, o cidadão pode encontrar informações sobre como o dinheiro público é utilizado. A iniciativa ganhou vários prêmio na categoria de e-Serviços Públicos e de gestão pública. A iniciativa também ganhou reconhecimento na categoria de projetos que utilizam a tecnologia da informação para a melhoria dos serviços públicos. Em dezembro de 2008, o Portal da Transparência foi premiado na II Conferência dos Estados-Partes da Convenção das Nações Unidas contra a Corrupção (UNCAC, na sigla em inglês), em Bali.

PT lança ofensiva nas redes sociais

A campanha terá ainda a publicação de vários cards com temas que hoje tomam conta do debate político, como a questão de gênero e a defesa da participação das mulheres na política. O PT hoje é o partido que tem mais mulheres como pré-candidatas a prefeitas às eleições municipais. Assim como irão resgatar a criação da Lei Maria da Penha, a lei que beneficiou as domésticas e o disque-denúncia 180, todas iniciativas dos governos petistas.

Também terão destaque as conquistas para a juventude brasileira, como a criação de universidades federais, cujo o número ultrapassa o que foi feito por todos os demais governos anteriores ao PT e os programas que beneficiaram a população estudantil negra. Foram 18 universidades e 178 Campus federais criados durante os governos petistas, e mais Prouni, Pronatec, Sisu e Novo Enem, todos programas desenvolvidos nas gestões do PT.

LEIA TAMBÉM

  • Deu no New York Times: Bolsonaro chafurda na lama da corrupção
  • Bolsonaro vai tirar R$ 300 do auxílio emergencial, depois de tirar emprego de milhões de pessoas
  • Gleisi cobra do STF julgamento de suspeição de Moro
  • “Rapaz, você não sabe quanto eu sofri nesses 14 anos”, diz José Genoino
  • Bolsonaro é o Lula depois da pandemia

    O presidente Jair Bolsonaro quer ser Lula “quando crescer”, ou melhor, ele é o petista depois da pandemia.

    As semelhanças entre Bolsonaro e Lula podem ser resumidas numa brincadeira de criança, que, quando fala ser semelhante ao “Brad Pitt”, outra diz que só se for depois da febre amarela.

    Sim, Bolsonaro é o Lula depois da pandemia do novo coronavírus.

    Até os aliados do presidente Jair Bolsonaro, como a Folha de S. Paulo, afirmam que o atual inquilino do Palácio do Planalto não tem projeto nem imaginação.

    Bolsonaro inaugura obras de infraestrutura dos governos do PT Lula e Dilma.

    O presidente faz cortesia com o chapéu alheio, senão vejamos o placar das 33 obras que Bolsonaro inaugura país afora:

  • 25 foram planejadas por Lula e Dilma
  • 2 começaram ainda no governo Michel Temer
  • 6 iniciaram neste governo, embora fossem planejadas nas gestões anteriores
  • O presidente Bolsonaro perde do antecessor golpista Temer no quesito “ruindade”, devido à falta de projeto e de iniciativas governamentais. Bolsonaro é um “zero à esquerda”, um inútil, enquanto governante.

    De acordo com o levantamento da oposição ao governo Jair Bolsonaro, a maioria das obras inauguradas são rodoviárias, a exemplo de duplicação de trechos de BRs. Também há obras remanescentes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), símbolo do PT, lançado no longínquo ano de 2007.

    Portanto, o governo atual não existe. Bolsonaro é o Lula depois da pandemia.