Bolsonaro vai anunciar auxílio emergencial de R$ 300 na terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro não irá anunciar nesta terça-feira (1º) que o auxílio emergencial não será de R$ 600 nem de R$ 200. Bolsonaro vai bater o martelo no valor de R$ 300, metade, que será estendido até o fim deste ano.

A redução do benefício pela metade expõe as populações mais vulneráveis economicamente à pandemia do novo coronavírus e à fome, haja vista que são mais de 80 milhões de desempregados no País, 50% da população economicamente ativa (PEA), embora as estatísticas oficiais apontem apenas 13% de desocupados.

O auxílio emergencial de R$ 600 foi uma conquista da oposição no Congresso Nacional, no início da pandemia, quando o presidente e o ministro da Economia, Paulo Guedes, propunham somente R$ 200 de ajuda.

Proposta de Orçamento para 2021 chega ao Congresso nesta segunda-feira, dia 31

Ainda não há data para instalação da Comissão Mista de Orçamento. Em razão da Covid-19, as propostas orçamentárias têm sido analisadas pelo Congresso por meio de rito sumário.

O texto deverá ser entregue à tarde, informou o Ministério da Economia.

Pela primeira vez desde a Constituição de 1988, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) chegará ao Congresso Nacional sem que a Comissão Mista de Orçamento (CMO) esteja em funcionamento.

LEIA TAMBÉM

  • Bolsonaro é o governo da fome e da morte
  • Com 80 milhões de desempregados, Folha vê “volta de empregos” sob Bolsonaro e Guedes
  • Presidente Bolsonaro é uma mãe para a mídia corporativa e os bancos o amam por isso
  • Bolsonaro é o Lula depois da pandemia
  • PT: Bolsonaro enganou o povo com promessa de “combate à corrupção”; assista ao vídeo
  • Bolsonaro vai tirar R$ 300 do auxílio emergencial, depois de tirar emprego de milhões de pessoas
  • Saque emergencial do FGTS. Veja como receber R$ 1.045

    A Caixa credita nesta segunda-feira (31) o saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para os trabalhadores nascidos em setembro.

    Apesar de a Medida Provisória 946, que instituiu o saque emergencial, ter perdido a validade, a Caixa manteve o calendário de saques, com base no princípio da segurança jurídica. Ao todo, o governo pretende injetar R$ 37,8 bilhões na economia, beneficiando cerca de 60 milhões de pessoas.

    Nesta fase, o dinheiro poderá ser movimentado apenas por meio do aplicativo Caixa Tem. A ferramenta permite o pagamento de boletos (água, luz, telefone), compras com cartão de débito virtual em sites e compras com código QR (versão avançada de código de barras) em maquininhas de cartão de lojas parceiras com débito instantâneo do saldo da poupança digital.

    O pagamento será feito na conta poupança social digital. O saque em dinheiro estará disponível somente em 31 de outubro.

    O valor do saque emergencial é de até R$ 1.045, considerando a soma dos saldos de todas as contas ativas ou inativas com saldo no FGTS.

    Orientações

    A Caixa orienta os trabalhadores a verificar o valor do saque e a data do crédito nos canais de atendimento eletrônico do banco: aplicativo FGTS e telefone 111. Caso o trabalhador tenha direito ao saque emergencial, mas não teve a conta poupança digital aberta automaticamente, deverá acessar o aplicativo FGTS para complementar os dados e receber o dinheiro.

    O banco alerta que não envia mensagens com pedido de senhas, dados ou informações pessoais. Também não envia links nem pede confirmação de dispositivo ou acesso à conta por e-mail, SMS ou WhatsApp.

    Cancelamento do crédito automático

    O trabalhador poderá indicar que não deseja receber o saque emergencial do FGTS até dez dias antes do início do seu calendário de crédito na conta poupança social digital, para que sua conta do FGTS não seja debitada.

    Caso o crédito dos valores tenha sido feito na poupança social digital do trabalhador e essa conta não seja movimentada até 30 de novembro de 2020, os valores corrigidos serão retornados à conta do FGTS.