20 de julho de 2018
por Esmael Morais
Comentários desativados em Adeus, Veja! Em artigo, Nassif explica como o discurso do ódio põe fim à Abril

Adeus, Veja! Em artigo, Nassif explica como o discurso do ódio põe fim à Abril

O jornalista Luís Nassif, em excelente artigo em seu blog, detalha os motivos que estão levando Veja à morte. Ele atribui o fim da Abril a erros estratégicos de Roberto Civita e ao discurso do ódio de um tipo de jornalismo de esgoto. ... 

Leia mais

10 de novembro de 2015
por admin
8 Comentários

Coluna do Enio Verri: Amigos de Richa também voam às custas do Paraná?

Enio Verri*

No domingo, a Folha de S. Paulo publicou reportagem que escancarou a farra de viagens aéreas do atual senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, quando era governador de Minas Gerais.

Entre 2003 e 2010, o tucano cedeu aviões do governo do Estado para deslocamento de amigos, entre celebridades, políticos, empresários e outras pessoas fora da administração pública. Segundo o jornalão, foram quase 200 viagens sem a presença de algum membro do governo a bordo, todas patrocinadas pelos cofres públicos mineiros.

Voaram de graça nos aviões de Minas Gerais, em nome da amizade com Aécio, o apresentador da Rede Globo, Luciano Huck; os cantores Sandy e Junior; o ex-homem forte da Rede Globo, José Bonifácio Sobrinho, o Boni; o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira e Roberto Civita, o falecido dono da Editora Abril, proprietária da revista Veja.

No Paraná, o governador Beto Richa é frequentemente flagrado confundindo o público e o privado quando o assunto é o uso de aeronaves do governo.

Em 2013, por exemplo, Richa usou o avião oficial para ir ao Rio de Janeiro assistir à final da Copa das Confederações. Mais grave, foi acusado neste ano de ceder o helicóptero da governadoria para a repressão aos professores no Centro Cívico. Segundo relatos, o aparelho de uso pessoal do governador despejou bombas de efeito moral e ouras munições nos professores e trabalhadores da educação que protestavam contra as mudanças na previdência.

Richa ainda foi condenado a reembolsar o governo estadual em R$ 2 milhões pela contratação emergencial de aeronaves em 2011. Segundo a Justiça, a irregularidade aconteceu na ausência de licitação na contratação dos aviões junto a empresa Helisul, que também prestou serviços para a campanha a governador do tucano.

O governador paranaense nunca escondeu a admiração pelas práticas políticas do candidato à presidência derrotado em 2014. A pergunta obrigatória dos paranaenses neste momento é: os “amigos” do governador Beto Richa também voam de graça, às custas do erário, nas aeronaves do governo do Paraná?

*Enio Verri é deputado federal, presidente do PT do Paraná e professor licenciado do departamento de Economia da Universidade Estadual do Paraná. Escreve nas terças sobre poder e socialismo.

Leia mais