Guerra Rússia-Ucrânia: Joe Biden faz visita surpresa a Kiev em momento crítico

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fez uma visita surpresa a Kiev antes do aniversário de um ano da guerra Rússia-Ucrânia. Na sexta-feira, 24 de fevereiro, o conflito bélico entre os dois países completa um ano.

Durante encontro com o presidente ucraniano Vladimir Zelensky, Biden anunciou um novo pacote de suprimentos adicionais de armas dos EUA para a Ucrânia no valor de US$ 500 milhões, incluindo munição de artilharia, sistemas antitanque e radares de vigilância aérea.

A ação foi vista como uma repreensão deliberada ao presidente russo, Vladimir Putin, com a visita de Biden ocorrendo antes de um discurso planejado de Putin.

Economia

A luta continua no leste da Ucrânia, e a Rússia lança regularmente ataques com mísseis além das linhas de frente.

O principal diplomata da União Europeia, Josep Borrell, afirmou que a UE precisa garantir que a Ucrânia tenha munição suficiente para continuar sua luta contra a invasão russa.

Natal Foz

Enquanto isso, o Japão prometeu um novo pacote de ajuda financeira de £ 4,6 bilhões [cerca de R$ 29 bilhões] para a Ucrânia, e o primeiro-ministro Fumio Kishida anunciou que o Japão sediaria uma cúpula online do Grupo dos Sete (G7) com o presidente Vladimir Zelenski para marcar o primeiro aniversário da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Zelenskiy alertou que haveria uma “guerra mundial” se a China decidisse apoiar a Rússia em sua guerra contra a Ucrânia.

Conselheiro de Segurança vê visita de Biden “sem precendentes” na história moderna

biden zelensky kiev
Guerra Rússia-Ucrânia: Joe Biden faz visita surpresa a Kiev em momento crítico

O conselheiro de segurança nacional dos EUA, Jake Sullivan, descreveu a visita do presidente Biden como “sem precedentes nos tempos modernos” devido ao esforço logístico operacional de segurança envolvido na organização da viagem.

Embora a equipe de segurança tenha trabalhado para minimizar os riscos, ainda havia risco envolvido na visita.

Biden decidiu fazer a viagem por causa da importância do momento crítico em que a guerra Rússia-Ucrânia se encontra, com o aniversário de um ano do conflito se aproximando.

A decisão final de realizar a visita do presidente americano foi tomada após um briefing final de segurança na sexta-feira.

LEIA TAMBÉM