Fome volta a rondar 10 milhões de brasileiros, diz IBGE

O IBGE afirma que a fome voltou a atormentar os brasileiros com a crise econômica.

Segundo levantamento do instituto, 25% das pessoas não sabem o que vão comer na próxima refeição.

As pessoas estariam deixando de comer para não virarem sem teto, ou seja, deixam a barriga roncar de fome para sobrar o dinheiro do aluguel.

O IBGE não divulgou números atuais. Trabalhou com dados estruturais coletados entre meados de 2017 a meados de 2018.

Na época, que ainda havia resquícios do pleno emprego dos governos do PT, 5% da população brasileira era afetada pela fome.

O índice da insegurança alimentar havia recuado para 3,6% no ano de 2013, no então governo Dilma Rousseff.

Se o IBGE focar a próxima pesquisa da fome em 2020 encontrará, com certeza, as digitais do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes.

O próprio governo reconhece oficialmente 67,2 milhões de brasileiros que dependem de ajuda emergencial para poderem se alimentar e escapar da fome.

O Brasil tem a maior taxa de desocupados do planeta, segundo a OIT. São 80 milhões de desempregados, metade da população economicamente ativa (PEA) do País.

Há pouco mais de um ano, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a fome no Brasil seria uma “grande mentira”. “Passa-se mal, não come bem. Aí eu concordo. Agora, passar fome, não”, afirmou o presidente na ocasião.

Além de fazer um governo de fake news, de mentiras, Bolsonaro promove ainda a fome, a morte, o ódio entre os brasileiros.

Espere a próxima pesquisa do IBGE para ver o estrago na vidas dos brasileiros.

Compartilhe agora