Bolsonaro recorre para não usar máscara em Brasília. Pode isso, Arnaldo?

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mandou a AGU (Advocacia-Geral da União) recorrer da obrigatoriedade dele usar máscara quando sair em público em Brasília.

O juiz federal do DF, Renato Borelli, concedeu liminar na terça-feira (23) tornando mais rígida a fiscalização sobre o presidente da República.

Desde 30 de abril, o uso da máscara é obrigatório no Distrito Federal. No entanto, até agora, o presidente Bolsonaro vem ignorando a determinação da lei e do magistrado.

Bolsonaro corre o risco de levar multa de R$ 2 mil pelo descumprimento da ordem judicial que, segundo o juiz, “como autoridade máxima do Poder Executivo, o presidente da República deve zelar pelo cumprimento de todas as normas vigentes no país”.

Borelli escreveu ainda que há “inúmeras imagens do réu Jair Messias Bolsonaro transitando por Brasília e entorno do Distrito Federal, sem utilizar máscara de proteção individual, expondo outras pessoas à propagação de enfermidade que tem causado comoção nacional”.

Para a AGU, não cabe uma decisão específica do magistrado do DF impondo a obrigação individualmente para Bolsonaro.

LEIA TAMBÉM

Notícias ao vivo do Coronavírus: Doria afrouxa geral em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), não só não entregou a vacina contra o coronavírus que prometera numa coletiva em 11 de junho como também, agora, afrouxou geral no distanciamento social para conter a pandemia. O tucano autorizou na capital a reabertura de restaurantes, bares, barbearias e salões de beleza a partir do dia 6 de julho.

Pois bem, na coletiva desta sexta-feira (26), além de liberar com algumas restrições os setores acima, Doria ainda ampliou o horário de funcionamento do comércio de rua, de shoppings centers e de escritórios. O afrouxamento também vale para a região do ABC e o sudoeste da Grande São Paulo, que inclui cidades como Itapecerica da Serra e Embu das Artes.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), no entanto, disse que irá aguardar mais uma semana para acompanhar a evolução do coronavírus na cidade. Ele tinha programado a reabertura na capital no dia 29 de junho, ou seja, na próxima segunda-feira.

Se Doria afrouxou na capital e no ABC, por outro lado, apertou o cerco ao coronavírus com restrições mais severas ao funcionamento do comércio em nove áreas onde apenas serviços essenciais estão autorizados: Araraquara, Franca, Araçatuba, Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba, Registro e Piracicaba.

O governador tucano liberou para a região de Barretos o comércio de rua, shoppings e escritórios, mas ainda não restaurantes ou salões de beleza.

São Paulo tem 258.508 novos casos confirmados de covid-19. Foram mais 9.921 casos nas últimas 24 horas, segundo o secretário estadual da saúde, José Henrique Germann. O total de mortes passou de 13.759, registrados até esta quinta, para 13.966 nesta sexta-feira, um aumento de 207 mortes em 24 horas.

Assista ao vídeo: