Joice: ‘matérias de Oswaldo Eustáquio eram compartilhadas pelos filhos do presidente’

A deputado federal Joice Hasselmann (PSL-SP) afirmou nesta sexta-feira (26), via Twitter, que as “matérias” do blogueiro Oswaldo Eustáquio eram compartilhadas pelos filhos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Agora repaginada como parlamentar “anti-BolsoLula”, Joice disse Oswaldo se identificava como assessor de imprensa da ministra Damares Alves e que suas “matérias” compartilhadas pelos filhos do presidente. A deputada se refere ao deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), ao vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Joice Hasselmann se dispôs a declinar os nomes dos demais membros da “quadrilha”, como ela chama.

“Atenção Supremo Tribunal Federal e ministro Alexandre de Moraes. Há outros que fazem parte da quadrilha”, disse. “Tem muita gente que vai dormir de sapatos amarrados agora.”

Quem também comemorou a prisão de Oswaldo Eustáquio, mas por razões diversas das de Joice, foi o jornalista americano Glenn Greenwald, cofundador do site The Intercept Brasil. O blogueiro bolsonarista insistia na fake news de que Greenwald estaria para ser preso, mas, como se vê, o feitiço funcionou contra o feiticeiro.

LEIA TAMBÉM

Glenn Greenwald comenta a prisão de blogueiro bolsonarista; confira

O jornalista americano Glenn Greenwald, em tom de ironia, comentou a prisão blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, no Mato Grosso do Sul, após suspeita de fuga do país.

Nesta sexta-feira (26), a Polícia Federal cumpriu mandado de prisão no âmbito da Operação Lume, inquérito que apura financiamento e organização de atos antidemocráticos para a volta da ditadura militar e fechamento do Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao longo dos últimos meses, Eustáquio não parava de escrever que Glenn estava “preparando a fuga”, que “a casa caiu”, “o cerca esta se fechando”, “escondido”, “prisão preventiva decretada”, “tic tac”.

“Essas são as únicas coisas verdadeiras já escritas por Oswaldo Eustáquio”, afirmou o cofundador do site The Intercept Brasil, porém, completou Greenwald: “ele só disse tudo isso sobre a pessoa errada”.

As “previsões” do feiticeiro –cujo feitiço virou contra ele– aconteceram no curso da série de reportagens da “Vaza Jato” do Intercept, El País, Folha, Uol e Veja.

Segundo a PF, o ex-assessor do Ministério dos Direitos Humanos, pasta de Damares Alves, quase já estava com um pé no Paraguai quando foi preso hoje pela manhã no MS.

No dia 19 de abril, à noite, tendo o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como plateia, bolsonarista Oswaldo Eustáquio entrevistou numa live o ex-deputado mensaleiro Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB.

Jefferson e Eustáquio prometiam revelar na transmissão “detalhes” da trama do golpe “iminente” de Rodrigo Maia (DEM-RJ) contra Bolsonaro.

Por óbvio, era mais uma fake news. Maia não deu golpe e Bolsonaro não caiu. Pelo contrário. Eles, sob a bênção da velha mídia e da frente ampla, estão juntinhos da Silva.

“A ministra Damares Alves sempre sabe quem é o cidadão de bem”, concluiu Gleen Greenwald, novamente ironizando o “cretino primitivo” preso hoje.