Por Esmael Morais

Carmén Lúcia entre golpistas corruptos

Publicado em 03/02/2018

O site BuzzFeedNews foi feliz ao fazer uma montagem na foto Nelson Jr, do STF, na qual a presidenta da corte máxima Carmén Lúcia aparece ladeada por golpistas investigados por corrupção na lava jato. Ela abriu na quinta-feira (1º) o ano do judiciário de 2018 amparada por Raquel Dodge (Procuradoria-Geral da República), Eunício Oliveira (presidente do Senado), Michel Temer (presidente da República), Rodrigo Maia (presidente da Câmara) e Cláudio Lamachia (OAB).

Eunício, Temer e Maia são investigados pelo STF por corrupção. É a aí que está a desgraça mostrada na fotografia publicada pelo BuzzFeedNews, pois estão sentados juntos na mesma mesa, 1) suspeitos de corrupção; 2) aqueles que devem pedir sua punição; e 3) aqueles que devem julgá-los. Não se discute aqui a presunção de inocência ou não dos agentes, mas o seletivismo e o caráter duvidoso de parte do judiciário brasileiro.

Antes, porém, “Carminha”, como é chamada a presidenta do STF, se confraternizou num jantar com membros da mídia e executivos da Shell, empresa que está de olho no petróleo brasileiro, e da Coca-Cola, que não esconde de ninguém a intenção de comprar reservas de água como o Aquífero Guarani, nessas ondas de privatizações de ativos públicos, bem como lobbies da indústria do tabaco e de outras.

“Carminha” foi dura com os brasileiros e a democracia ao antecipar a abutres, com quem se reuniu, que não iria pautar a antecipação de prisão em caso de condenação na segunda instância (no entanto, a ministra foi atropelada pelo colega Gilmar Mendes). Ela também tem elevado o tom em relação ao descumprimento da decisão das ordens judiciais extravagantes, como esta que sentenciou o ex-presidente Lula mesmo não existindo uma única prova de que ele seria o proprietário do tríplex do Guarujá (SP).

Juristas renomados e a presidenta nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, têm repetido que o judiciário quebrou o pacto firmado na Constituição Federal de 1988, a qual prevê a escolha do presidente da República por eleições livres e diretas. Sem Lula na disputa, argumentam, cai a 6ª República.

Pensando bem, o judiciário está carcomido, podre. A crise do auxílio-moradia para juízes e integrantes da magistratura é só uma ponta do iceberg chamado “privilégios” numa ditadura disfarçada de democracia. Somente a “Refundação da República” poderá reinventar os três poderes brasileiros.

Resumo da ópera: Carminha se sente bem ao lado de golpistas, vigaristas, entreguistas e possíveis corruptos; são as fotografias que dizem isso.