Depoimento de Youssef empurra governo de Beto Richa para o abismo

youssef_richa

Conforme o Blog do Esmael e outros cronistas da política local e nacional já haviam adiantado, o depoimento do doleiro Alberto Youssef para a Procuradoria Geral da República, nesta quinta-feira (23), atingiu em cheio o governo Beto Richa (PSDB) ao destrinchar o modus operandi da corrupção estabelecida no Palácio Iguaçu, na Receita Estadual e nas secretarias de Administração e Educação.

Segundo informações recebidas de um orelha seca no Ministério Público, até o líder do governo na Assembleia, Luiz Claudio Romanelli (PMDB), ficaria de cabelo em pé. “Só o capelão do Palácio Iguaçu se salva”, disse a fonte, coincidindo com a opinião do comentarista Marcelo Santana aqui nesta página.

De acordo com a própria mídia palaciana, Youssef citou a secretária da Administração, Dinorah Nogara, e descreveu o papel do primo de Beto Richa, Luiz Abi Antuon, que fazia o “meio de campo” organizando os esquemas.

Seriam basicamente três os esquemas de corrupção revelados até agora. Um na Receita Estadual, em que empresários pagavam propina para auditores fiscais em troca de perdão em dívidas com o Estado. O segundo envolveria a Educação e a Administração com pagamentos indevidos por obras de construção ou reforma de escolas sem que as mesmas tenho sido devidamente executadas. O terceiro esquema é da fraude na licitação de oficinas para manutenção das viaturas da PM.

Os esquemas foram desbaratados pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e pelo Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce). O Gaeco, aliás, já havia indicado a suspeita da participação da secretária Dinorah Nogara na fraude das oficinas, outro esquema coordenado por Luiz Abi.

Já na Educação, as investigações que levaram o amigo e parceiro de partida de tênis do governador, Maurício Jandoi Fanini Antonio para a prisão também apontam para a Luiz Abi e teriam sidos esmiuçados ontem no depoimento do doleiro.

Ou seja, com o depoimento do doleiro para a Procuradoria Geral da República, os esquemas da corrupção entranhada desde o primeiro escalão do governo Beto Richa ficaram mais claros, e a situação do ocupante do Palácio Iguaçu é insustentável — cada vez mais empurrado para o abismo.

Com informações do Blog do Cícero Cattani.

Comentários encerrados.