Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

30 de abril de 2014
por esmael
33 Comentários

Coluna do Ademar Traiano: Paraná desenvolve a economia e faz política social sem demagogia

Ademar Traiano*

A Assembleia aprovou mensagem do governo do Estado sobre o novo salário mínimo regional. O novo piso, que entra em vigor no feriado de 1!º de Maio, será aplicado em quatro faixas salariais, que variam de R$ 948,20 a R$ 1.095,60. à‰ o mínimo regional mais alto do país e seu valor foi estabelecido a partir de uma ampla negociação e um consenso entre governo, trabalhadores e iniciativa privada.

O piso regional, que beneficia um milhão de pessoas, regula o salário de categorias profissionais que não têm convenção nem acordo coletivo de trabalho. O piso busca um equilíbrio que permita ao empresário continuar a investir e garantir a reposição do poder de compra dos trabalhadores, duramente atingido pela inflação provocada pelas barbeiragens econômicas do governo do PT.

Ao contrário do governo federal, que provoca pânico nos investidores com seu voluntarismo e incompetência, o bom ambiente para empreendimentos criado pelo governo do Paraná fez com que o estado contornasse, com êxito, a crise que atingiu o setor automobilístico. O estado acaba de firmar um novo acordo com a montadora francesa Renault para a produção de dois novos carros no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais.

A empresa vai investir R$ 500 milhões no desenvolvimento e produção de dois novos veículos. O novo empreendimento da Renault vem se somar aos R$ 30 bilhões de novos investimentos atraídos ao Paraná em 3 anos pelo programa Paraná Competitivo.

Por privilegiar a economia, em lugar da ideologia, o Paraná também se destaca na geração de empregos. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Estado gerou 341.393 empregos com carteira assinada entre janeiro de 2011 e fevereiro de 2014. São bons resultados colhidos apesar da notória perseguição e políticas discriminatórias movidas contra o estado. Entre elas, o bloqueio dos empréstimos que continua, apesar de seguidas liminares do STF determinarem a liberação dos recursos para o estado.

O estado faz investimentos pesados em setores essenciais, como a educação. Entre eles, é importante citar a reposição salarial de 50,16 % para os professores da rede estadual, que enfrentaram um longo período de achatamento salarial no governo anterior.

Outro destaque são os programas sociais. O Programa Família Paranaense, por exemplo, que envolve 17 secretarias de Estado e é coordenado pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, garante atenção especial à s pessoas com vulnerabilidade social e se revelou um exemplo de eficiência.

Em três anos, de 2011 a 2013, o Paraná atingiu 92% de uma meta prevista para quatro anos: tirar 100 mil famílias da extrema pobreza. Quem atesta que a quase totalidade desse objetivo já foi atingido é o Ministério do Desenvolvimento Social. Em três anos, 92.250 famílias tiveram melhoria substancial em suas condições de vida no estado.

O acompanhamento à s famílias carentes e a garantia dos direitos das crianças e adolescentes que vivem no Paraná é feito pela Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, criada pelo governador Beto Richa. Até então o Paraná não possuía uma pasta dedicada exclusivamente das pessoas que vivem em vulnerabilidade social.

No Paraná, o objetivo das políticas sociais é ajudar p