STF pode pedir música no Fantástico: PGR recebe 4ª petição de investigação contra Bolsonaro

O Supremo Tribunal Federal (STF) já pode pedir música no Fantástico, programa dominical da Globo, porque a corte enviou 4º pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente cessante Jair Bolsonaro (PL), nesta quarta-feira (29/06), no caso do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro.

Para processar criminalmente o presidente da República por crime comum, a PGR deve apresentar uma denúncia ao Supremo – que tem a competência de julgar esses casos.

Na quarta-feira (22/06), o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores denunciados foram presos por corrupção no MEC.

Há indícios de envolvimento do presidente da República, que supostamente interferiu nas investigações para proteger o ex-ministro.

Essa quarta petição de investigação contra Bolsonaro foi apresentada pela bancada do PT no Congresso Nacional e a ministra do STF, Cármen Lúcia, relatora da ação, requereu a manifestação da PGR citando “quadro de gravidade incontestável”.

Bolsonaro jura que “não interferiu na PF” e que não tem “nada a ver com essas gravações” de áudio dos investigados.

A ministra Cármen Lúcia já analisou uma notícia-crime apresentada ao Supremo por senadores do PT, bem como encaminhou à PGR outros pedidos dos deputados Reginaldo Lopes e Israel Batista para investigar Bolsonaro no caso do “Bolsolão do MEC”.

Segundo as regras do Fantástico, com três pedidos de investigação contra Bolsonaro enviados pelo STF já pode pedir música.

No entanto, leitores questionam se a PGR – que recebeu os pedidos – também pode pedir música.

Blog do Esmael, notícias verdadeiras.