Requião explica por que poderá vencer no primeiro turno com 60%

► Dentre os pré-candidato dos PT a governos estaduais, Requião é o segundo melhor posicionado no País

O ex-senador Roberto Requião (PT), pré-candidato ao governo do Paraná, a despeito de não liderar as pesquisas, explica por que ele ainda pode vencer no primeiro turno com 60% das intenções de votos.

– Em torno de 30% da população paranaense tem que escolher no fim do mês se paga a conta de água ou compra uma caixa de leite – justificou ele.

Para Requião, os temas inflacionários tendem a derrotar os aliados Jair Bolsonaro (PL) e Ratinho Junior (PSD) na eleição de outubro.

Some-se à crise econômica com reflexo direto na vida das pessoas, a bagunça no palanque “BolsoRato” no Paraná.

– Vocês conhecem a história de nossas eleições no Paraná – evocou o pré-candidato ao Palácio Iguaçu. “Nossa previsão é chegarmos ao primeiro turno com 60%. Lula vencendo com facilidade!”, disse.

A pauta econômica tem tomado boa parte da caravana que Requião realiza pelo interior do Paraná. Foram 18 reuniões plurais e suprapartidárias desde o ano passado.

Pelo Twitter, o aliado de Lula reproduz comparações de seus governos com o de Ratinho Junior:

– 210 mil famílias pagavam R$ 5 pela conta de água graças à Tarifa Social da Sanepar criada pelo Requião. Como está sua conta de água hoje? – questiona um dos cards publicados na rede social.

Noutra peça: “O tão falado maior salário mínimo do Brasil foi criado em 2006 pelo Requião, os outros governadores só atualizam o valor.

– Na educação, nomeação feitas por Requião após concursos: 63.531; nenhuma por Ratinho.

Requião ainda compara sua atuação saúde com a de Ratinho Junior.

Veja também  Gleisi Hoffmann acompanha a eleição da Bolívia

O ex-governador disse que construiu 13 hospitais, reformou e ampliou outros 30 de médio e grande portes.

– A diferença entre quem pensa na saúde dos paranaenses e de quem só faz propaganda – afirma o card publicado no Twitter.

Sobre as pesquisas, Requião evita brigar com os números. A correligionários ele repete como mantra que as sondagens não mudam a realidade, no entanto, ele e os eleitores ‘sim’ podem mudar o governo.

– Se eu quero comprar peixe, vou à peixaria. Se eu quero comprar pesquisa, vou a uma dessas empresas – repetia Requião na eleição de 2002, quando venceu a disputa. Na época, as sondagens apontavam a derrota de Roberto Requião.

Dentre os pré-candidato dos PT a governos estaduais, Requião é o segundo melhor posicionado no País. Ele só não tem mais intenções de voto que Fernando Haddad, que concorre ao governo de São Paulo.

Apesar da aparente “fraqueza”, o PT tem tradição de chegada na reta final das campanhas.

Nas eleições de 2018, por exemplo, mesmo com a vitória de Bolsonaro, o PT foi o partido que mais elegeu governadores: quatro – Rui Costa, BA, Camilo Santana, CE, e Wellington Dias, PI, no primeiro turno; Fátima Bezerra, RN, no segundo turno -, seguido do MDB, PSB, PSDB e PSL com 3 cada.