Por que a Globo prefere discutir o 'Caso Bolsonaro' a debater a tragédia econômica? Gleisi explica

Por que a Globo prefere discutir o ‘Caso Bolsonaro’ a debater a tragédia econômica? Gleisi explica

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PR), está para a política e para o Brasil assim como está Sigmund Frued para a psicanálise. Dito isso, ela explica por que a Globo prefere discutir o ‘Caso Bolsonaro‘ [ou seria o ocaso?] a debater a tragédia econômica no País. Por quê?

Ao fazer um contraponto ao editorial do Globo nesta sexta-feira (07/01), Gleisi disse que está na hora de revogar o que deu errado, como a Lei do Teto, a reforma trabalhista e a política de preços dos combustíveis. Bingo!

Acusando a Globo de praticar o bolsonarismo econômico, a dirigente petista disse que a empresa de comunicação carioca sempre foi negacionista em relação ao desenvolvimento do país, defendendo nos últimos anos a terra-arrasada, do golpe a Paulo Guedes, que resultaram em atraso, desemprego, desigualdade, miséria e fome.

Gleisi Hoffmann questionou a tentativa de a Globo dar lição de política econômica ao PT e afirmou estar na hora de revogar o que deu errado, citando a Lei do Teto, a reforma que não gerou empregos e política de preços dos combustíveis. Ela também destacou a necessidade de deter a privatização selvagem e rever os contratos lesivos ao país.

Veja na íntegra o que Gleisi explicou sobre e para a Globo:

1. Globo sempre foi negacionista do desenvolvimento. Apoiou teto de gastos, privatização selvagem, destruição dos direitos de trabalhadores, a extorsão do preço dos combustíveis;

2. Cinco anos de terra-arrasada, do golpe a Paulo Guedes, q a Globo segue defendendo, resultaram em atraso, desemprego, desigualdade, miséria e fome. E querem dar lição de política econômica […];

3. Terraplanismo fiscal é manter um teto de gastos suicida, que só funcionou para cortar investimento em obras, saúde e educação, enquanto dívida, juros e inflação crescem no país em recessão;

4. O projeto reconstrução do país que o PT defende e Lula representa é bem claro: retomar o crescimento, gerar empregos, resgatar as políticas públicas e os direitos dos trabalhadores e aposentados; e

5. Está na hora de revogar o que deu errado: Lei do Teto, a reforma q não gerou empregos, política de preços dos combustíveis. Deter a privatização selvagem e rever os contratos lesivos ao país. Só não vê quem não quer.

No editorial de hoje, além do negacionismo bolsonarista, Globo ainda atacou o ex-presidente Lula, acusando economistas ligados ao PT de defender um “terraplanismo fiscal” na economia. Até a turma do “mercado” riu da cara do editorialista, que pagou um mico.

O ‘Caso Bolsonaro’ se convencionou ser problema de internamento, caso de psiquiatria, enquanto a tragédia econômica virou um caso de polícia. Sim, polícia.

Por trás das privatizações, da Lei de Teto, dos preços abusivos dos combustíveis, das reformas trabalhista e previdenciária, há crimes contra a sociedade brasileira. É isso que a Globo et caterva querem driblar nas eleições de 2022.

Requião ameaça mostrar ‘coxas saradas’ para forçar presidenciáveis a discutir programas de governo