Chifrado por Bolsonaro, líder do governo no Senado pede para sair

Chifrado por Bolsonaro, líder do governo no Senado pede para sair

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), pediu para sair nesta quarta-feira (15/12) após ser chifrado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

Fernando Bezerra foi preterido da vaga de novo ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). O Palácio do Planalto trabalhou na surdina pelo senador Antonio Anastasia (PSD-MG).

O ex-líder de Bolsonaro foi esmagado na votação secreta, em cédula, por 52 votos a 7. Ele ficou em terceiro lugar.

A senadora Kátia Abreu (PP-TO) ficou em segundo lugar, com 19 votos.

Após teste de Covid, Bolsonaro garante presença na posse de André Mendonça no STF

Alckmin se desfilia do PSDB; Lula desconversa sobre vice

Lula se solidaria com Ciro Gomes; que agradece a manifestação do ex-presidente Lula

Bolsonaro jura que o chifre em seu ex-líder, Fernando Bezerra, foi apenas efeito colateral. Segundo o governo, a ideia era segurar o avanço do PT, com a indicação de Kátia, porque o suplente dela é petista; e o coordenador da campanha da senadora ao TCU era Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI da Covid.

Nessa guerra de guerrilha no Senado, o Planalto optou pelo mineiro Anastasia. Ele jantou com torresmo Bezerra.

Fernando Bezerra disse a colegas de parlamento que chifre não orna com ele, por isso pediu para sair da liderança do governo.

Ocorre que esse “rompimento” pode precipitar um movimento no MDB pelo apoio a Lula nas eleições de 2022. A velha guarda no partido já trabalha pela adesão ao petista já no primeiro turno, a despeito da pré-candidatura de Simone Tebet (MS), que tem 0% de intenção de voto.