De longe, Weintraub mostra "valentia" contra judiciário [vídeo]

De longe, Weintraub mostra “valentia” contra judiciário [vídeo]

“Volte para nos ajudar, Weintraub”, implorou um bolsonarista pelas redes sociais enquanto dos Estados Unidos, para onde fugiu, o ex-ministro da Educação Abraham Weintraub critica o judiciário –sobretudo o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do inquérito das milícias digitais.

“Antes da Internet, não era necessário nos calar. Tinham a hegemonia da globo e da folha. Agora, é fundamental nos manterem amordaçados, para salvarem esse regime totalitário que chamam de “Estado Democrático de Direito””, escreveu em seu Twitter.

Ingrato, Abraham Weintraub chora de barriga cheia. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acabou de julgar improcedente os crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro na campanha de 2018, apesar, pasme, de os ministros da corte reconheceram que o mandatário abusou de poder econômico e usou indevidamente meio de comunicação social com disparos de fake news.

Para Weintraub, mesmo a decisão do TSE dizendo outra coisa, “o Brasil já vive um regime de exceção” [comandado pelos tribunais judiciais].

O ex-ministro da Educação, que fugiu para não ser alcançado pelo Xandão, acredita que ditadura válida só existe uma: a de Jair Bolsonaro e seus asseclas.

A valentia de Weintraub contra o judiciário brasileiro é à distância e via internet.

Volta, Weintraub, volta. Volta para ajudar seus correligionários e seu chefe. Volta.

Em tempo: o vídeo postado por Weintraub é de 14 de junho de 2020, quando ele ainda era titular do MEC.

Leia também

Arthur, irmão de Abraham Weintraub, terá cargo na OEA

Por unanimidade, TSE passa a mão na cabeça de Bolsonaro e Mourão e não cassa a chapa

Resultado do roubo na Petrobras: R$ 32 bilhões para acionistas somente em 2021