Por Esmael Morais

Beto Richa manobra para não ir para a cadeia, diz Globo

Publicado em 01/08/2018

Até a Globo ficou “perplexa” com as manobras do ex-governador Beto Richa (PSDB), do Paraná, para escapar da cadeia.

A polêmica veio à tona depois que o desembargador Fernando Wowk Penteado, do Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), determinou que o inquérito contra o tucano sai da Vara do juiz federal Sérgio Moro e tramite na Justiça Eleitoral.

“Se o processo for só eleitoral, Beto Richa vai responder por caixa dois, que dificilmente manda alguém para a cadeia. Agora se o crime for de corrupção o ex-governador poderá até ser preso”, explicou o repórter Wilson Kirsche numa transmissão ao vivo, na noite desta terça (31), para o Jornal da Globo.

O ex-governador é acusado de favorecer a Odebrecht na licitação da PR-323 em troca de propina de R$ 2,5 milhões para a campanha de reeleição de 2014.

O repórter Wilson Kirsche ainda revelou, citando como fonte o site O Antagonista, que a filha do desembargador, Camilia Penteado, é filiada no PSDB desde 2003 e ocupa cargo comissionado do governo do Paraná cujos vencimentos ultrapassam 7 mil reais mensais.

O processo contra Beto Richa faz vai-e-vem e passei por varas e tribunais desde abril, quando ele renunciou ao cargo de governador para concorrer ao Senado. Sem foro por prerrogativa de função, o inquérito desceu em um primeiro momento para Moro, mas em seguida o STJ determinou que fosse enviado para a Justiça Eleitoral. Em junho, Moro recebeu de volta o caso e o STJ negou ao tucano julgamento no TRE. Agora, para surpresa geral da Nação, o desembargador da corte eleitoral atropelou o STJ.

O juiz eleitoral Fernando Wowk Penteado é desembargador no TRF4.