Golpe gerou 19% de desemprego na construção

A situação de golpe — culminado com a derrubada de Dilma Rousseff — gerou 19% de desemprego só na indústria da construção. Segundo o IBGE, a crise econômica que atingiu o país nos últimos anos causou a perda de 432 mil empregos formais entre 2015 e 2016. No setor de infraestrutura o recuo foi de 15%.

Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou hoje (7), no Rio de Janeiro, a Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2016 (Paic). O estudo indica que, naqueles meses que compreendem o pré e o golpe, a atividade da construção somou R$ 318,7 bilhões em incorporações, obras e serviços da construção.

O desemprego foi causado principalmente por culpa do governo Michel Temer, como testemunha José Carlos Guabyraba, gerente da pesquisa. “Vários setores reduziram muito as suas atividades e o que mais sofreu foi o de infraestrutura com menor aporte e redução drástica de investimentos, principalmente do estado, que parou ou diminuiu os investimentos principalmente nas usinas, rodovias e ferrovias, o que vinha sendo mantido pelos governos anteriores a 2016”, resumiu.

Praticamente no auge da crise econômica do país, refletida na queda do Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país), foi o setor de infraestrutura, altamente dependente de investimentos públicos, o que mais sofreu com a falta de recursos e a suspensão de investimentos importantes para o setor.

Com informações da Agência Brasil

Comentários encerrados.