Gleisi será julgada por defender Lula e a democracia brasileira, diz PT

O PT não tem dúvidas de que o julgamento da senadora Gleisi Hoffmann na próxima terça (19), na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal, será um julgamento político por ela defender Lula e a democracia brasileira.

Para parlamentares de todas as colorações políticas, as acusações contra a presidenta nacional do partido não se sustentam por falta de provas e têm caráter estritamente político.

“As denúncias não têm qualquer sustentação técnica nem jurídica. Ela está sendo julgada pelo papel político que exerce no Brasil. Toda solidariedade à nossa presidenta e pelo respeito que ela merece como mulher, cidadã e dirigente de um dos maiores partidos de esquerda do mundo”, disse a senadora Fátima Bezerra (PT-RN).

Não é só dentro do PT que Gleisi obteve solidariedade. O senador Roberto Requião (MDB-PR) levou parlamentares petistas e não petistas às lágrimas, esta semana, ao testemunhar na tribuna do Senado sobre sua retidão, seriedade e compromisso com o povo.

“Era de se esperar que suas posições históricas em defesa da soberania nacional, dos trabalhadores, do capital produtivo, das mulheres e das minorias provocassem as reações raivosas de parte da imprensa e de setores do Judiciário e do Ministério Público. E daquela banda da internet contaminada pela hidrofobia fascista”, discursou Requião.

As palavras do senador emedebista também reverberaram no Supremo. Coube ao ministro Marco Aurélio Mello citar o discurso de Requião para referir-se ao ‘Caso Gleisi’ e fundamentar seu voto contrário às conduções coercitivas.

“Não há moralidade em um sistema judiciário que faz da licença hermenêutica a lei, que acusa, processa e condena segundo a visão de mundo dos juízes”, repetiu Marco Aurélio trecho do discurso do emedebista no Senado. “As palavras são muito oportunas”, completou.

“As evidências de que a lava jato tem se pautado desde o início pelo partidarismo e pela falta de isenção estão cada vez mais claras”, reforça o diretório nacional do PT.

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) também fez questão de deixar seu testemunho: “Gleisi é uma mulher gigante e eu como mulher, companheira de partido e de luta, tenho certeza que este julgamento só existe em razão do trabalho que ela tem feito como uma das principais porta-vozes da esquerda no Brasil. Qualquer resultado que não seja inocentá-la será injusto”.