Greve de caminhoneiros sem bloqueio de pedágio, determina Justiça

A concessionária de pedágio CCR — aquela dos R$ 5 milhões de propina para Geraldo Alckmin — conseguiu interdito proibitório na Justiça proibindo que caminhoneiros em greve, a partir desta segunda (21), fechem as praças de pedágio. A multa é de R$ 300 mil, em caso de descumprimento da liminar.

Em outra decisão, a Justiça Federal do Paraná acatou pedido da Advocacia-Geral da União (AGU) proibindo que caminhoneiros bloqueiem qualquer rodovia federal que cruze o estado, sob pena de multa de R$ 100 mil por hora em caso de descumprimento da decisão. A decisão é do juiz Marcos Josegrei da Silva.

As rodovias paranaenses são importantes ligações com o porto de Paranaguá e os países do Mercosul.

Cerca de 700 mil caminhoneiros autônomos prometem infernizar a vida de Michel Temer se o preço do combustível não baixar imediatamente pela metade. O Blog do Esmael avalia que a paralisação poderá antecipar a queda do Vampirão Neoliberalista, se houver desabastecimento nos centros urbanos e o movimento paredista se estender além do razoável.

A Associação Brasileira de Caminhoneiros (ABCAM) jura que atenderá às decisões judiciais e, neste domingo (20), orientou aos associados que não bloqueiem rodovias e praças de pedágio em todo o país.

“Meus companheiros, mais uma vez apelo ao bom senso de todos para que permaneçam em suas casas ou, no caso daqueles que estejam em trânsito, fiquem em postos de combustíveis, em segurança, e sem fechar rodovias ou participar de movimentos violentos”, recomendou José da Fonseca Lopes, presidente da ABCAM.

Comentários encerrados.