Lucro das estatais aumenta 214%, mas os golpistas querem privatizar tudo


O lucro líquido das cinco principais empresas estatais brasileiras aumentou 214% em 2017. A Petrobras, Caixa, Banco do Brasil, BNDES e Eletrobras renderam R$ 28,3 bilhões aos cofres públicos. Mesmo com a rentabilidade em alta, o governo do ilegítimo Michel Temer só pensa em torrar o patrimônio brasileiro e vender as empresas que são as “joias” da nossa coroa.

E não é só o vampirão Temer que quer vender tudo. Os pré-candidatos à presidência que são da base do golpe também propõem entregar as estatais ao capital internacional. Geraldo Alckmin (PSDB), Flávio Rocha (PRB), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) e Rodrigo Maia (DEM) nem escondem a sanha privatista.

Porém, muito mais que o lucro líquido, as estatais que atuam no ramo financeiro, na produção de petróleo e energia, na tecnologia e infraestrutura são estratégicas para o país. Qualquer governo que tenha uma visão nacional de desenvolvimento produtivo vai querem manter, investir e ampliar essas empresas.

É o caso da Eletrobras, que o vampirão Temer quer privatizar de qualquer jeito. A empresa é responsável por grande parte da produção e distribuição da energia elétrica do Brasil. Sua privatização significa submeter esse setor às exigências do mercado, que só visa lucro. Isso pode encarecer ainda mais a energia elétrica das residências. Isso sem falar que torna incerto qualquer empreendimento industrial, pois a eletricidade é fundamental para o funcionamento das fábricas.

Os bancos públicos são fundamentais para disponibilizar crédito para as pessoas e para os empreendimentos que geram empregos e renda. O papel do Banco do Brasil, por exemplo, na agricultura nacional é fundamental. A Caixa Econômica Federal é a principal fonte de investimentos para habitação e construção civil. Isso sem falar no BNDES.

Enfim, a Petrobras, mesmo com os ataques da operação Lava Jato ainda se mantém lucrativa. Porém, o preço dos combustíveis dispararam sob a gestão Temer. Isso é ruim para toda a economia nacional. O preço do gás de cozinha impacta de maneira cruel no cotidiano dos mais pobres. Agora, imaginem, isso tudo nas mãos do mercado, do capital internacional. Seria uma catástrofe.

O balanço com o lucro das empresas foi divulgado quarta-feira (28) pelo Ministério do Planejamento.

Charge do Mariano (Charge Online).

Comentários encerrados.