Coluna do João Arruda: Em defesa dos interesses do Paraná

bancada

Na sua última coluna do ano, o deputado federal João Arruda (PMDB) faz um balanço da sua atuação como deputado e como coordenador da bancada federal do Paraná. Ele comenta a liberação de verbas em diversas áreas, além das reuniões e debates realizados com integrantes do governo federal para resolver as demandas do Estado. Leia, ouça, comente e compartilhe.

Download áudio

João Arruda*

A atividade política exige posições claras e firmes, mas as diferenças não podem jamais ficar acima do interesse público. É o que busco como coordenador da bancada paranaense no Congresso Nacional. Ser adversário do atual governador não significa fazer oposição ao Estado. Pelo contrário.

Em 2015, a bancada levou o governo federal ao Paraná. O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) montou escritório em Dois Vizinhos, no Sudoeste. O ministro dos Transportes, Antônio Carlos Rodrigues, foi à Fiep falar sobre a ferrovia Norte-Sul. O então ministro dos Portos, Edinho Araújo, foi ao litoral tratar da Poligonal de Paranaguá. Já Hélder Barbalho, então ministro da Pesca, incentivou a criação de tilápias no Lago de Itaipu.

Nossa atuação no Ministério da Saúde ajudou a liberar R$ 13,5 milhões para procedimentos de média e alta complexidade que estavam com pagamentos atrasados. Na condição de relator da saúde na Lei de Orçamento Anual (LOA) de 2016, consegui garantir ao Paraná 50% a mais em recursos que outros estados. Isso vai possibilitar a manutenção de unidades de saúde, aquisição de equipamentos hospitalares, além de reforma e ampliação de hospitais.

Ainda trabalhamos para reforçar a parceria entre a Sanepar e a Fundação Nacional de Saúde, com pagamento de convênios, novos acordos e mais obras de saneamento básico, principalmente nos municípios com menos de 50 mil habitantes. Por falar em parceria, as emendas da bancada paranaense na LOA foram definidas em consenso e direcionadas para grandes obras estruturantes, como a duplicação da BR 163, no sentido Cascavel–Marmelândia, além da restauração do Contorno Sul de Curitiba.

Também indicamos recursos para o Hospital Cajuru, na Capital, e o Hospital Metropolitano de Sarandi, no Noroeste, e ainda para aquisição de equipamentos destinados a universidades estaduais e federais. Nós também analisamos a questão do pedágio. Ouvimos representantes de concessionárias, do DER, do TCU e do Ministério dos Transportes, além de deputados estaduais que investigaram o pedágio no Paraná.

A bancada se encontrou com o vice-presidente da República, Michel Temer, para tratar da Estrada do Colono. Outra reunião importante foi com o então ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, sobre o programa de aeroportos regionais. Na presidência da Câmara dos Deputados, pedimos a criação de novas turmas recursais do Tribunal Regional Federal em Curitiba. Ainda fomos ao presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para discutir formas de evitar demissões na venda do HSBC ao Bradesco.

Em Curitiba, na Assembleia Legislativa, realizamos o seminário “Políticas Públicas para a Cultura e Turismo Religioso no Paraná”, um segmento em franca expansão. Para defender ainda mais os interesses da nossa região, participei da criação da bancada sulista, que reúne 77 deputados federais e nove senadores dos três estados. Os outros coordenadores são os deputados Mauro Mariani (Santa Catarina) e Giovani Cherini (Rio Grande do Sul).

Entre tantas reuniões importantes com entidades como a Associação dos Médicos, o Movimento Pró-Paraná e a OAB, uma boa notícia para fechar o ano: a pedido de autoridades, empresários e moradores da região Oeste e próximos da fronteira, o trecho da BR 163 que Guaíra a Marechal Cândido Rondon não será estadualizado. Um decreto presidencial será baixado nos próximos dias para manter o trecho sob jurisdição federal, como o ministro dos Transportes havia nos prometido em outubro.

Como vocês veem, foi um ano bastante produtivo. Muitos desafios foram vencidos, mas há outros pela frente. Que venha 2016. Não perca a esperança.

Feliz Ano Novo.

*João Arruda é deputado federal pelo PMDB, coordenador da bancada do Paraná no Congresso Nacional, escreve nas terças-feiras sobre “Os bastidores do poder em Brasília”.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Vizinhense, você é que tem que saber melhor sobre o
    que está falando. E ainda se achou no direito de
    usar expressões chulas sobre o comentário mais que
    pertinente do Silvestre.
    Vizinhense, vá baixar em outra vizinhança.
    Tchau e “bença procê”.

  2. So que ele estava nas negociações em Brasilia sobre os pedágios paranaense.Prorrogação jamais.

  3. SERGIO VC DORME,E ACORDA COM TITICA DE GALINHA NA CABEÇA.O ARRUDA É DEPUTADO FEDERAL,NÃO GOVERNADOR E MUITO MENOS PRESIDENTE DO BRASIL.

  4. João Arruda precisa explicar para nós paranaenses o por que das suas andanças e como anda as negociações dos pedágios do Paraná.
    Precisa também contar para nós para onde vai perto de 3.5 bilhões arrecadados que todo ano daria para fazer 1500 km de estradas começando do zero.
    Precisa também explicar para onde vai tanta mala de dinheiro em especie,já que ali não dão nf nem o governo sabe quanto arrecada,só quanto recebe por baixo do pano.
    Sei que as propostas para o distinto são tentadoras ,quase irrecusáveis ,mas estamos de olho no SR,