Beto Richa aumenta preço do pedágio para caminhoneiros no Paraná

Compartilhe agora!

richa_pedagio_caminhoesDesde a zero hora desta terça-feira (8), o governo Beto Richa (PSDB) autorizou as concessionárias de pedágio a cobrarem pedágio dos eixos suspensos de caminhões. A decisão do tucano foi amparada pela Agência Reguladora do Paraná (Agepar) por meio da resolução 002/15.

Considerado o “Rei do Pedágio”, Richa alegou que as pedageiras estavam tendo prejuízo com a isenção para os eixos suspensos, quando o caminhão trafega sem carga, conforme determina a lei federal 13.103, conhecida como Lei dos Caminhoneiros, publicada no dia 2 de março deste ano.

O fim da isenção poderá representar reajuste superior a 30% para uma combinação de cavalo-trator mais carreta de três eixos, sem carga, por exemplo, no trecho entre Londrina-Paranaguá.

O governador do Paraná advoga criminosamente em desfavor dos usuários das rodovias haja vista que em outras unidades da federação, como São Paulo, luta-se pelo interesse público e coletivo.

Neste feriado da Independência, a título de comparação, a Justiça antecipou o fim da concessão do sistema Anhanguera-Bandeirantes para 2018. Com essa decisão, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) realizará nova licitação que poderá baixar o preço do pedágio. Vale ressaltar que a iniciativa de interromper a concessão partiu do governo paulista.

No Paraná, ao contrário, Beto Richa age como se fosse sócio privado das empresas de pedágio. Além de aumentar o preço, de acordo com a vontade das concessionárias, o tucano briga politicamente para prorrogar a existência do ‘pedágio mais caro do mundo’ para até 2050.

Na Assembleia Legislativa, os deputados fingem que a bronca não é com eles. A maioria dos parlamentares está ‘abduzida’ pela máfia do pedágio, que deita e rola e nem fornece nota fiscal

Compartilhe agora!

Comments are closed.