Lava Jato tira Henrique Alves do ministério de Dilma; deputado João Arruda mais perto da Esplanada

Compartilhe agora!

henrique_dilma_joao.jpgO presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), deve ser descartado de ministério no segundo governo da presidenta Dilma Rousseff (PT). O peemedebista fora citado esta semana como beneficiário do esquema de desvio de verbas na Petrobras.

Alves foi apontado na lista do delator Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, cita 28 políticos que, supostamente, teriam sido beneficiados pelo esquema de desvios na estatal (clique aqui).

Na eleição de 2014, Henrique Alves levou cartão vermelho das urnas na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte. Durante a campanha ele flertou com o PSDB e Aécio Neves, pois o PT e Lula apoiaram o governador eleito Robinson Faria (PSD).

Sem mandato na Câmara a partir de 2015, Alves lutava para assumir a cota do PMDB na Casa. Com o surgimento de seu nome na lista da Lava Jato, consequentemente, o deputado paranaense João Arruda, do Paraná, ganha mais musculatura para essa corrida ministerial. O sobrinho do senador Roberto Requião está de olho no Turismo, que já está sob a guarda do partido.

Compartilhe agora!

Comments are closed.