PT vai ao MPE contra Marina por “difamação eleitoral”

via Brasil 247

Diretório nacional do partido, presidido por Rui Falcão, vai entrar com representação criminal contra a candidata do PSB, que disse ontem, durante sabatina no jornal O Globo, que o partido não é confiável, uma vez que "coloca por 12 anos um diretor para assaltar os cofres da Petrobras"; Marina Silva se referia a Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato e que tem denunciado esquema de corrupção na estatal em acordo com a Justiça; para o PT, a presidenciável praticou "difamação eleitoral" contra a legenda com fins eleitorais.

Diretório nacional do partido, presidido por Rui Falcão, vai entrar com representação criminal contra a candidata do PSB, que disse ontem, durante sabatina no jornal O Globo, que o partido não é confiável, uma vez que “coloca por 12 anos um diretor para assaltar os cofres da Petrobras”; Marina Silva se referia a Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato e que tem denunciado esquema de corrupção na estatal em acordo com a Justiça; para o PT, a presidenciável praticou “difamação eleitoral” contra a legenda com fins eleitorais.

O diretório nacional do PT pretende entrar com uma representação no Ministério Público Eleitoral contra a candidata do PSB, Marina Silva, por “difamação eleitoral” contra a legenda, noticia a jornalista Mônica Bergamo. Os petistas se referem a uma declaração feita pela presidenciável durante sabatina no jornal O Globo nesta quinta-feira 11, quando Marina disse que a sigla não é confiável, uma vez que “coloca por 12 anos um diretor para assaltar os cofres da Petrobras”.

A candidata falava de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal que foi preso durante a Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, e denuncia hoje, por meio de delação premiada !“ acordo de colaboração com a Justiça para obter uma pena maior !“ um grande esquema de corrupção na estatal, por meio de contratos superfaturados firmados entre ele e multinacionais. Parte do dinheiro era usada para pagar políticos da base política do governo, teria dito ele à  polícia.

“Não consigo imaginar que as pessoas possam confiar em um partido que coloca por 12 anos um diretor para assaltar os cofres das Petrobras. à‰ isso que estão reivindicando? Que os partidos continuem fazendo do mesmo jeito? Eu espero que as pessoas virtuosas possam renovar seus partidos, para que ele voltem a se interessar pelo que são as demandas das pessoas”, afirmou a candidata em entrevista ao Globo.

Para basear sua ação, o PT, presidido por Rui Falcão, vai usar o artigo 325 do Código Eleitoral, que aponta ser crime “difamar alguém” com “fins de propaganda, imputando-lhe fato ofensivo à  sua reputação”. A legenda afirmará, na representação, que Marina “extrapolou, e em muito, o mero direito de crítica, ferindo abertamente a honra da agremiação”. A pena para esse time de delito eleitoral varia de três meses a um ano de prisão, além de pagamento de 5 a 30 dias de multa.

Comentários encerrados.